cristo.jpg

Outra saideira, desta vez, do Rio de Janeiro. Da semana de férias, em agosto, ficou faltando uma receita de diversão na cidade maravilhosa.

Em uma bela manhã de sol pegue um taxi até o Cristo Redentor. O taxista vai ouvir seu sotaque e lhe oferecer uma corrida completa até o topo do morro do Corcovado por 90 reais. Dispense. O trem faz um passeio super gostoso, com uma vista linda por 36 reais.

Na volta do Cristo, siga para o morro de Santa Teresa para um belo almoço no Restaurante Sobrenatural, especializado em peixes e frutos do mar. Nosso anfitrião foi Eugene, querido amigo que mora no Rio há anos. Foi a segunda vez que estive com ele lá para outro almoço fenomenal. A primeira foi no carnaval de 2004, com Eugene e a querida Pepa, quando provamos casquinha de siri e uma senhora moqueca de camarão.

Este ano, a pedida foi uma porção de pastéis de camarão, Original gelada e uma saborosa moqueca de namorado, que serve bem três pessoas. Ah! Se você gosta de samba [e bom sujeito é] veja a programação de rodas de samba do restaurante.

Para fazer a digestão, dê uma caminhada pelo charmoso bairro, que tem todo um jeito de centro histórico com um pique de Vila Madalena. Nas estreitas ruas de paralelepípedo, casinhas antigas viram restaurantes, lojas de artesanato, cinemas, residências, centros culturais e ateliers, abertos uma vez por ano, para visitas. É o evento Arte de Portas Abertas, que este ano aconteceu no final de julho.

O passeio estava ótimo, mas começou a escurerecer. Era hora de pegar o bonde do rolê. Impressionante ver como aquele bonde do arco da velha passa chacoalhando sobre os arcos da Lapa. Impressionante também é o equilíbrio do cobrador. Ele pega o dinheiro, dá o troco, pergunta se você já pagou e bate papo com o condutor, enquanto você procura um inexistente cinto de segurança ou se agarra fortemente ao banco para não saltar antes da hora.

O ponto final do bonde de Santa Teresa fica logo após a Lapa. Andando um poquinho caímos na Cinelândia, em pleno fim de expediente. Pegamos o fluxo da multidão e encontramos o clássico Cine Odeon. O teatro, todo reformado, é lindo. Deu gosto de ver o filme. Final feliz.

Restaurante Sobrenatural – Rua Almirante Alexandrino, 432 – Santa Teresa. Tels: (21) 2224-1003 / 9465

Por Jordana Viotto*

rio_jordana.jpg

Não fossem os tiroteios e as ocasionais balas perdidas, eu seria capaz de mudar para o bairro de Santa Tereza, no Rio de Janeiro, amanhã.Enfim… O bairro é charmosíssimo, cheio de ateliês lindos (me apaixonei por uma bolsa feita de negativos de filmes) e restaurantes deliciosos.

O pessoal sobe no bondinho (60 centavos) que equilibra-se nos arcos da Lapa e segue morro arriba, visita as lojinhas e ateliês e almoça por lá, aproveitando a vista do Rio que um bairro alto proporciona.

Provei um arroz ao açafrão com frutos do mar num restaurante chamado Sobrenatural. Pena que não tirei fotos, porque o prato estava muito bonito, mas minha fome era maior e eu só consegui lembrar quando o prato já tinha terminado. Mas não foi só pela fome que quase matei com uma amiga uma panela da iguaria. O sabor combina com o nome do restaurante.

rio_jordana_bolo.jpg

A sobremesa e o café deixei para o Parque das Ruínas. Como diz o nome, são as ruínas de um castelinho da “belle epoque carioca”, onde morava uma moça chamada Laurinda Santos Lobo. Uma senhora distinta, que recebia a alta sociedade do Rio nos seus salões para ouvir Villa-Lobos ou ver Isadora Duncan – coisas básicas assim. Mas isso, no momento, não importa.

O que importa é que o parque tem um café supergostoso, que serve bolos e tortas também. As opções são poucas – três ou quatro. Mas os doces têm gosto de coisa feita pela avó. Experimentei o bolo de cenoura com cobertura de chocolate. Recomendo!

Um belo lugar para passar um tempinho apreciando o sabor e a bela paisagem – lá tem um mirante de onde dá pra ver boa parte da cidade.

Restaurante Sobrenatural – Rua Almirante Alexandrino, 432, Santa Tereza – Rio de Janeiro – RJ.

Parque das Ruínas – Rua Murtinho Nobre, 169, Santa Tereza – Rio de Janeiro – RJ

*Jordana Viotto sempre conta ao Braun Café suas descobertas sobre as delícias da vida.

%d blogueiros gostam disto: