Cadê o Luizinho?… Assou!

julho 17, 2006

medium_happy-tree-friends2.jpeg

Para ser um apreciador de boa comida é preciso trabalhar o desapego. Por exemplo: nunca dê nome a um animal que você pretende levar, literalmente, para jantar. Ontem, uma amiga contou que ela e os irmãos não comem carne de coelho. Eu suspirei, triste, porque gosto muito da tenra e leve carne desse animal fofinho, mas entendo que nem todos os traumas de infância sejam superáveis.

Tudo ia bem na vida da pequena Gisele até que os coelhinhos de estimação da criançada começaram a entrar na panela. Imagine a cena dos coelhinhos saltitando pelo quintal e as crianças dizendo: “Olha o Joãozinho, que fofo…”, “Olha lá o Floquinho pulando!”, “Mãe! Olha lá o… ué… cadê o Luizinho?”.

Meu pai tinha um ganso de estimação. Uma fera, nascida do maior de todos os ovos da mamãe ganso. Protegia a casa. Brincava com as crianças. Era querido por todos. Tão querido e gostoso que foi compartilhar a mesa com a família… assado. O menino Braun chorou desolado. Hoje, não resiste a um foie gras. E agora entendo porque nunca, por mais que eu insistisse, ele me deu um coelhinho de estimação na Páscoa.

Para quem desenvolveu o desapego, recomendo o coelho cozido ao vinho branco e ervas com polenta cremosa (R$ 33 para dois) da cantina Il Cacciatore, que tem um ambiente muito acolhedor e uma alcachofra de entrada sensacional.

E dos Donuts você tem dó? Não? Então saiba o que eles pensam disso.

Il Cacciatore: Rua Santo Antônio, 855 – Bela Vista. Tel: (11) 3120-5119

Anúncios

One Response to “Cadê o Luizinho?… Assou!”

  1. brauncafe Says:

    Comentários feitos no toast original do Brauncafe.zip.net:

    [Edu Vasques] [evasques@gmail.com] [http://perolasais.blogspot.com]
    Dani, a última vez que estive em um sítio, o caseiro ia preparar uma bela galinhada pra gente. Pena que ele levou as galinhas pra gente escolher – ainda vivas. Resultado, ninguém mais queria jantar na casa do cara. Abraços Edu
    28/07/2006 10:38

    [Alê]
    Lembrei desse post e dos comentantes na hora do almoço… Fui encontrar o Sr. Fontes no Marcel, tradicional restaurante francês e responsável pelo melhor suflê de todos os tempos. Confesso que, pela primeira vez, traí a tradição – com um coelho ao molho de dijon simplesmente sensacional!!! Se bem que pela quantidade de carne do danado, ele tava mais pra Luizão que Luizinho… 😉
    27/07/2006 17:52

    [ceila] [ceilasantos@terra.com.br] [http://ceilasantos.blogspot.com/]
    Fantástico! O duro é praticar o tal desapego… Mas, cá entre nós, quando se trata de culinária para uma taurina gulosa como eu, desapego é sempre palavra-chave. Valeu a dica do restaurante. enfim, Braun, vc tá ótima aqui como sempre. Parabéns1 PS: não podia deixar de comentar apesar de vc nunca ter comentado no meu blog…. hehehehehehe
    27/07/2006 13:46

    [eugene] [http://sinaisdefumaca.zip.net/]
    Quem faz um coelho delicioso é a mãe do Kardhozo… Pena que o PF do Hotel Embaizador fechou… valeria a pena dar uma passada lá só para comer o coelhinho…
    24/07/2006 12:23

    [Kay]
    Ai Dani.. morri de rir… Mas vc sabe o q penso sobre esses bichinhos.? êta carinha gostosa né não!? Na boa… tenho mais dó dos Donuts…
    23/07/2006 12:04

    [Renata]
    Eu não lembro o nome do meu coelhinho de estimação. Mas só descobri que ele não tinha fugido e morrido atropelado, e sim servido na Páscoa com batatas pela minha querida e cruel avozinha, quando já era adulta. Depois não querem que a gente tenha traumas…
    19/07/2006 17:26

    [Cecília]
    É a velha história: evite servir coelhos na Páscoa e renas no Natal. No mais, tá liberado…
    18/07/2006 14:46

    [Calendas] [http://calendas.blog.uol.com.br]
    Olha, se você vai continuar recomendando bicho de estimação cozido ao vinho branco, aproveita me recomenda outro blog pra gastar meus preciosos minutinhos.
    17/07/2006 16:49

    [PH] [paulo@inkcom.com.br]
    Não sei se gosto de coelho, mas não sou parâmetro para isso. Se não está em extinção, pau no cu deles (e coloque sobre a brasa para assar).
    17/07/2006 16:16

    [bioNNESS] [lynchsurf.fotoblog.uol.com.br]
    tenho uma amiga que tem essa mesma relação de afeto em relação às frutas. ela sempre diz: “eu amo as frutas, mas não ao ponto de comê-las”. Freud explica e qualquer treta, chama o PETA. http://www.peta.org/
    17/07/2006 16:12

    [henrique] [henriquem@gmail.com] [http://henriquemartin.blogspot.com]
    conheço outras histórias assim. pior é a do Atração Fatal, que a Glenn Close cozinha o coelho do filho (filha?) do Michael Douglas…
    17/07/2006 15:52

    [Alê]
    Sorry, Gi, mas minha teoria quanto a bichinhos é: “não dá moleza que a panela é impiedosa!” Todo e qualquer bichinho merece um lugar na mesa, de preferência acompanhado de um bom vinho! E tenho dito. P.S.: Tem coisa melhor que pegar aquela perninha do Luizinho e se lambuzar todo? Até tem, mas essa é das boas coisas da vida!
    17/07/2006 15:48

    Curtir


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: