Praga vista da Ponte Carlos sobre o Rio Moldava.

A encantadora Praga vista da Ponte Carlos, sobre o Rio Moldava.

Se existe uma cidade que vai te encantar a cada esquina, posso dizer que é Praga. Outra coisa que vai te surpreender é a coroa tcheca, amiga dos turistas. Me diga onde é que duas pessoas vão jantar um imenso e suculento joelho de porco, tomar cerveja premiada e pagar R$ 47? Só nesse lugar mágico mesmo.

Almoço na feirinha medieval: lombo de porco na brasa, pão caseiro, chucrute e pepino em conserva. Cerveja artesanal para refrescar.

Almoço na feirinha medieval: lombo de porco na brasa, pão caseiro, chucrute e pepino em conserva. Cerveja artesanal para refrescar.

A cidade ideal é andar a pé, tranquilamente, pela cidade. A única coisa fora do ritmo é a escada rolante do metrô – ela é bem animada. Meu guia foi o podcast do Rick Steves, perfeito para entender o contexto histórico da cidade, conhecer as construções mais interessantes, muitas no belíssimo estilo art nouveau, e encontrar lugares curiosos como a estátua equestre de São Venceslau, na Galeria Lucerna, ou o Museu do Comunismo, que fica entre uma loja do McDonald’s e um cassino.

Estátua equestre de São Venceslau na escondida Galeria Lucerna.

Estátua equestre de São Venceslau, na antiga Galeria Lucerna.

A parada para o almoço foi em uma feirinha medieval perto da Torre da Pólvora. Pedi uma bela fatia de lombo de porco na brasa, acompanhada de chucrute, pepino em conserva e uma fatia de pão caseiro. Para beber, uma deliciosa e refrescante cerveja artesanal. Tudo deve ter custado o equivalente a uns R$ 15.

O desafiador joelho de porco com picles do restaurante Amos.

O desafiador joelho de porco com picles do restaurante Amos.

A culinária local é influenciada pelos tempos do império Austro-Húngaro e tem muitos pratos à base de carne de porco, incluindo o clássico eisbein. Essa foi nossa pedida para o jantar, após um longo dia de caminhada. O lugar escolhido foi o simpático Restaurante Amos, no centro da cidade.

Já espertos com o tamanho das porções, pedimos somente um joelho de porco, acompanhado de picles. E não precisava de mais nada mesmo. Encaramos o delicioso desafio com a companhia da premiada Pilsner Urquell, que você encontra no supermercado local pelo preço de uma cerveja nacional simples [e tem vontade de chorar]. A conta do jantar para dois saiu por R$ 47, com o serviço. O que dizer? Saudade Praga… saudade.

A massa do Trdelník, o doce mais tradicional da cidade.

A massa do Trdelník, o doce mais tradicional da cidade.

Um arrependimento: com tanta fartura não dei conta da sobremesa. Deixei de provar o Trdelník, o doce de massa recheada mais popular de Praga. Que pena. Agora vou ter que voltar.

Amos Restaurant
Masná, 17 – Praga
+420 222 323 933

info@amosrestaurant.cz
Aberto diariamente, das 11h às 23h.

O clássico apfelstrudel da histórica confeitaria Demel, no centro de Viena.

O clássico apfelstrudel da histórica confeitaria Demel, no centro de Viena.

Entre as palavras que o turista mais ouve falar na capital da Áustria estão Mozart, Sissi e Schnitzel. O terceiro, uma ‘personalidade’ da gastronomia local, inspirada no milanesa italiano, se apresenta desde a forma mais simples, no sanduba, ao mais requintado, o Wiener Schnitzel.

Além de Viena, o Braun Café também passa por Praga e Berlim (em breve, nos próximos posts), trazendo dicas saborosas para seu roteiro de viagem.

Prato-banquete com schnitzel de lombo de porco e salada de batatas cozidas.

Prato-banquete com schnitzel de lombo de porco e salada de batatas cozidas.

O Figlmüller, no centro, é o lugar mais tradicional da cidade para provar o famoso filé de carne de porco ou vitelo empanado à moda vienense. Mas sem reserva, nada feito. Daí que fui provar meu schnitzel ali perto, no Zum Blumenstock.

Cidra é opção refrescante nos dias quentes, além das cervejas.

Cidra é opção refrescante nos dias quentes, além das cervejas.

Na antiga capital do império austro-húngaro, as porções são dignas de banquetes. Tanto é que recebi um prato com três filés de lombo de porco empanados e uma deliciosa salada de batatas cozidas ao molho vinagrete. Tudo por 9,90 euros. A suave cerveja pilsen local é servida em canecas generosas.

A majestosa costelinha de porco do ... com batatas coradas.

A majestosa costelinha de porco do MariahilferBräu com batatas coradas.

Não se acanhe em dividir pratos, que aparentemente, seriam individuais. Foi o que fizemos ao pedir as maravilhosas costelinhas de porco do restaurante e cervejaria MariahilferBräu. Servida em uma tábua de madeira, no estilo medieval, a linda peça de costela vem acompanhada de batatas coradas e dois molhos (custa 17 euros e serve muito bem dois comilões). Além das cervejas da casa, vale provar a cidra bem refrescante.

Melange, o capuccino vienense, no café que foi cenário de 'Antes do Amanhecer'.

Melange, o capuccino vienense, em um dos cenários de ‘Antes do Amanhecer’.

Depois desses banquetes fica difícil encarar a sobremesa, mas não deixe Viena sem provar um doce e um café. Aproveite uma tarde para conhecer a histórica confeitaria Demel, berço da clássica Torta Sacher (Sacher-Torte), desde 1786. Experimentei um sublime apfelstrudel, outro orgulho local. Um café no bule com creme acompanhou meu doce favorito. O preço da elegância saiu 9 euros, mas valeu a pena. E se você quer provar doces austríacos em São Paulo, a Confeitaria Cristina, no Campo Belo, é um bom lugar.

Ali perto da Demel, na charmosa Franziskanerplatz, você também pode tomar um café ou drink em um dos cenários românticos do filme “Antes do Amanhecer”. O pequeno Kleines Café também serve alguns petiscos, num esquema simples, meio “botecafé”. Tomei um ótimo melange, o cappuccino vienense, com uma suntuosa espuma de leite.

Antes do pôr do sol
Dois lugares bacanas e meio fora da curva turística para conhecer em Viena:

Cardápio de 1839 para um jantar do rei da Áustria em uma viagem, na Biblioteca Nacional da Áustria.

Cardápio do século 19 para um jantar do rei da Áustria em uma viagem a Monte Carlo, na Biblioteca Nacional da Áustria.

– A Biblioteca Nacional Austríaca é um cenário espetacular. Além do acervo de obras seculares, encontrei um cardápio de 1839, na exposição sobre o rei Franz Joseph.

Viena vista de cima no mirante Kahlenberg, para encerrar um dia de passeios e ver o pôr-do-sol.

Viena vista de cima no mirante Kahlenberg, antes do pôr-do-sol.

– O mirante da cidade, que fica na montanha Kahlenberg, tem uma vista maravilhosa. No caminho dá para conhecer vinícolas locais. Depois é só admirar o visual de toda a cidade e ver o Rio Danúbio até o pôr do sol. Para chegar lá pegue a linha verde do metrô (U4) até a estação final Heiligenstadt. De lá, pegue o ônibus 38A até a estação chamada Kahlenberg.

Demel
Kohlmarkt, 14 – Viena

Figlmüller
Bäckerstrasse, 6 ou Wollzeile, 5 – Viena
Reserve pelo site: https://www.figlmueller.at/en/

Kleines Café
Franziskanerplatz, 3 – Viena

MariahilferBräu
Mariahilfer Strasse, 152 (esquina com a Rosinagasse)

Zum Blumenstock
Ballgasse, 6 – Viena

Confeitaria Christina (especializada em doces austríacos)
Rua Vieira de Morais, 837, Campo Belo – São Paulo – SP
Tel.: (11) 5561-2354

O chef Ken Mizumoto comanda a grelha no Yorimichi Izakaya, no Paraíso.

Ken Mizumoto comanda a grelha do Yorimichi Izakaya, no Paraíso. Vale fazer reserva.

Yorimichi significa ‘desvio’ ou ‘sair do caminho de casa’. Para mudar sua rota, o novo Yorimichi Izakaya aposta nos espetinhos na brasa (kushiyaki) muito bem preparados pelo chef Ken Mizumoto, do Shin-Zushi.

Espetinho de asinhas crocantes parcialmente desossadas (R$ 6,50).

Espetinho de moela (R$ 6,90) é um ótimo começo para o happy hour.

Entre as especialidades de frango estão asinhas crocantes, cubos de sobrecoxa com cebolinha ou wasabi, coração, fígado e moela. Os preços variam de R$ 6,90 (moela e coração) a R$ 8,50 (asinha). E se você torceu o nariz para os miúdos, esta é uma ótima oportunidade de mudar de opinião.

Butabara, barriga de porco com o ótimo molho tare (R$ 9,50) e bolinho de arroz grelhado em alga crocante (Misoyaki onigiri).

Barriga de porco com o ótimo molho tare da casa (R$ 9,50) e bolinho de arroz grelhado em alga crocante (Misoyaki onigiri).

Vale provar também o Gyutan, espeto de língua bovina (R$ 11,50) e a Butabara, barriga de porco com o ótimo molho tare (R$ 9,50) feito com redução de vinho, frango e açúcares. Uma boa dupla é pedir um espetinho e o bolinho de arroz grelhado e servido em alga crocante (Misoyaki onigiri).

Carta refinada de saquês tem dose a partir de R$ 50. A cerveja kirin ichiban sai por R$ 12.

Dose de saquê custa a partir de R$ 50. Cerveja Kirin sai por R$ 11, a long neck.

A carta de bebidas do Yorimichi é requintada. Entre os rótulos de saquê, a dose parte de R$ 50. Há também opções de shochu (aguardante de batata ou arroz) e uísques japoneses. Eu fiquei na cerveja mesmo. Você pode escolher Original ($15), Kirin (R$ 11) ou Sapporo (R$ 18).

Porção de frango frito (karaague) com molho de ameixa.

Porção de frango frito (Tori ume karaague) com molho de ameixa (R$ 19).

O cardápio inclui espetinhos vegetarianos, pratos e porções. A de frango frito (Tori ume karaage) leva molho de conserva de ameixa (R$ 19), mas o empanado não agradou muito. O caldo de frango com ovo (R$ 10) é saboroso, mas ainda prefiro os espetinhos.

Caldo de frango com ovo e espeto de sobrecoxa com cebolinha.

Caldo (owan) de frango com ovo e espeto de sobrecoxa com cebolinha.

É importante fazer reserva antes de desviar o caminho para o Yorimichi. Estive por lá primeira semana de funcionamento, com o amigo Edgard, e garantimos nossos lugares no balcão. No andar superior há três salas para grupos reservados.

Yorimichi Izakaya
Rua Otávio Nébias, 203 – Paraíso – São Paulo – SP
Horários: Segunda-feira a sábado, das 18h30 às 00h30
Tel.: (11) 3052-0029

A marguerita de massa finíssima da Napoli Centrale, nova integrante da área de alimentação do Mercado Municipal de Pinheiros.

A marguerita de massa finíssima da Napoli Centrale, nova integrante da área de alimentação do Mercado Municipal de Pinheiros.

A pizza de massa finíssima da Napoli Centrale, aberta em junho, é mais um bom argumento para visitar o Mercado Municipal de Pinheiros. Estive por lá na semana passada para experimentar a pizza, mas antes dei uma passada pelo Mocotó Café, que faz parte da nova fase do mercado, ao lado da pioneira Comedoria Gonzales.

Porção de torresmos crocantes e irresistíveis do Mocotó Café.

Porção de torresmos crocantes e irresistíveis do Mocotó Café.

Difícil resistir à porção de lindos torresmos na vitrine, que vão bem com a cerveja extra clara da Bamberg (R$ 12). Também precisei apresentar à uma amiga os dadinhos de tapioca com molho agridoce picante. E aí a gente acabou dividindo um baião de dois com carne de panela, farofa e vinagrete (R$ 26).

O forno italiano da Napoli Centrale, de onde saem as pizzas certificadas como 'veramente napolitanas'.

O forno italiano da Napoli Centrale, de onde saem as pizzas certificadas como ‘veramente napolitanas’.

Mas e a pizza? Também teve. As pizzas individuais da Napoli têm ingredientes e modo de preparo certificados pela Associazione Verace Pizza Napoletana (AVPN). Fiquei impressionada com a massa de fermentação lenta tão delicada.

Pizza frita de calabresa na cachaça é outra opção do cardápio.

Cardápio inclui pizzas fritas como a de calabresa na cachaça (R$ 18).

Provei a mais napolitana de todas: Marguerita com molho de tomates suave, fatias de queijo dispostas com parcimônia e folhas frescas de manjericão (R$ 20). Simples, leve e deliciosa. O cardápio inclui pizzas fritas como a de calabresa na cachaça (R$ 18) e entradas, como pão de calabresa (R$ 8, a fatia) e os bolinhos de arroz (arancini). Só achei que a IPA da Porco Loco Cervejeiros (R$ 14) é too much para a leveza da pizza. Talvez seja mais bacana com os bolinhos. A casa também oferece vinhos em taça.

Pizza do mês da Napoli Centrale, a partir de quinta (18/8) tem mascarpone, pancetta, cogumelos e ovo estrelado. Foto: Facebook/Napoli Centrale

Pizza do mês da Napoli Centrale, a partir de quinta (18/8), tem mascarpone, pancetta, cogumelos e ovo estrelado. Foto: Facebook/Napoli Centrale

A pizza do mês merece outra visita. Quando estive por lá, era de peras e gorgonzola, mas o sabor mudou na última quinta-feira (18/8). Agora, a combinação é de queijo mascarpone, pancetta, cogumelos Portobello e um ovo de gema mole no meio. Quero.

Mercado de Pinheiros tem boxes com produtos de regiões como Cerrado, Pampas e Amazônia.

Mercado de Pinheiros tem boxes com produtos de regiões como Cerrado, Pampas e Amazônia.

E depois do almoço duplo, bora pro andar térreo, onde estão as bancas de hortifruti, empórios e, desde março, três boxes com produtos de cooperativas da Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica e Pampas. No box da Central do Cerrado, me encantei com a geleia de umbu, doce e azedinha, e com a pasta de pequi, que vai bem no arroz, frango e até com torradinha. E se for comprar castanhas e grãos, minha dica é o box Truques da Vovó, que tem boa qualidade e variedade.

Mercado Municipal de Pinheiros
Rua Pedro Cristi, 89 – Pinheiros, São Paulo – SP
Horários: Segunda a sábado das 8h às 18h

Mocotó Café
Rua Pedro Cristi, 89 – Box 62/63
Tel.: (11) 3031-7932
Horários: Segunda a sábado das 8h às 17h

Napoli Centrale
Rua Pedro Cristi, 89 – Box 84
Tel.: (11) 3031-1689
Horários: Segunda a sábado das 10h às 20h

Truques da Vovó
Rua Pedro Cristi, 89 – Box 1B
Tel.: (11) 3031-6800
Horários: Segunda a sábado das 8h às 18h

O picante Tantan Lamen é uma das especialidades do Momo Lamen, na Liberdade

O picante Tantan Lamen é uma das especialidades do Momo Lamen, aberto em junho, na Liberdade.

O Momo Lamen é o mais recente endereço de lamens e udons, na Liberdade, em São Paulo. A casa de três andares, aberta em junho pelos mesmos donos da loja de produtos orientais Marukai, aposta nas massas feitas no local para atrair clientes que fazem fila na porta de vizinhos adorados como Aska, Lamen Kazu entre outros.

Veja também: Três dicas quentes de lamen para você abraçar em São Paulo

O tradicional shio lamen simples (R$ 27). Casa aposta em massas caseiras.

O tradicional shio lamen simples (R$ 27). Casa aposta em massas caseiras.

O inverno ainda está aí chamando a gente para um tradicional shio lamen. No Momo, a massa bem leve é servida em um caldo suave, à base de frango e porco. A versão básica do shio (R$ 27) vem com broto de bambu, ovo cozido com gema dura (ao contrário da gema molinha de outras casas, que prefiro), broto de feijão, alga, cebolinha e uma fatia de copa lombo derretendo. Se quiser com quatro fatias de copa, o prato sai por R$ 33.

Frango frito (karaague) e pão cozido recheado de frango ou carne (...) são opções de entrada.

Frango frito (karaague) e pão cozido recheado de frango ou carne (nikuman) são opções de entrada, além do guioza.

Entre as especialidades da casa está o Tantan Lamen, com molho de gergelim bem picante e supersaboroso. Acompanha carne de porco moída, broto de feijão, acelga chinesa e cebolinha. Diz o garçom que os clientes suam a camisa, mas a maioria encara o Tantan sem deixar rastros.

Balcão no terceiro andar da casa, que abre diariamente.

Balcão no terceiro andar da casa, que abre diariamente.

Vale experimentar também as entradinhas como o frango frito (karaague), servido com um pedacinho de limao siciliano (hummm), e a porção de nikuman (pão japonês recheado de frango ou porco e cozido no valor), que custa R$ 15.

Quando estive por lá, na última quinta-feira à noite, o salão estava bem tranquilo, os pedidos chegaram rápido e a equipe foi bem atenciosa. Outra boa notícia é que a casa abre todos os dias para o almoço e para o jantar.

Momo Lamen
Rua dos Estudantes, 34, Liberdade, São Paulo – SP
Tel: (11) 3207-5626
Horários: Diariamente das 11h às 15h e das 18h às 22h

A fila na porta do badalado Jojo Ramen, aberto no começo de maio, no Paraíso, é um exemplo de como o lamen vem encantando os paulistanos. Aqui no Braun Café, com a ajuda do amigo expert Edgard Kanamaru, vamos falar de três casas mais recentes dedicadas a esse prato tão querido dos japoneses.

Veja também: 8 dicas de lamen e udon para se esquentar em SP

2nd Floor Noodle Bar

O '2nd floor lamen' tem pancetta e ovo pochê bem molinho.

O ‘2nd floor lamen’ tem pancetta e ovo pochê bem molinho.

O andar superior de uma casa, em uma região tranquila da Vila Mariana, dá nome ao restaurante aberto há pouco mais de um ano por uma turma simpática de jovens chefs. O salão descolado atrai clientela jovem e tem rock clássico na playlist. No cardápio, o pessoal reforça que trabalha com três caldos feitos artesanalmente, e sem conservantes, para compor as receitas. O resultado é evidente no saboroso prato de lamen, que leva o nome da casa (R$ 35), com caldo a base de shoyu, copa de lombo, pancetta, ovo pochê bem molinho e interessante variedade de algas.

Pãozinho Bun recheado de kimchi, pancetta e cebolinha é ótima opção de entrada no 2nd Floor Noodle Bar.

Bun recheado de kimchi, pancetta e cebolinha é ótima opção de entrada.

A cozinha inclui outros clássicos quentes como udon, domburi e tonkasu karê. Na entrada, peça os buns, pãezinhos macios feitos no vapor com recheios como o de kimchi e pancetta (dois por R$ 23). É um sucesso e vai bem com uma cervejinha (a witbier Or  Blanc Terezópolis sai por R$ 21). Na próxima quero provar as ‘korean ribs’ ao som de Queen e Aerosmith.

Jojo Ramen

Chio Ramen do Jojo com carne de porco finalizada na grelha e caldo bem saboroso.

Ramen Jojo com carne de porco finalizada na grelha e caldo bem saboroso.

Na primeira colherada você conclui que a espera de uma hora, em plena segunda-feira, valeu a pena. O caldo, bem temperado, tem um leve defumado das finas fatias de carne de porco finalizadas na grelha e a saborosa gordurinha aparente da carne de frango. A massa, que leva farinha de tapioca, é leve e delicada. O Ramen Jojo Shio (R$ 32) acompanha algas, broto de bambu e ovo curtido com gema macia. Uma explosão de sabores. Para beliscar, peça o ‘Kimuchi’,  acelga picante de origem coreana (R$ 4) e o Tsukudani (R$ 4), alga curtida com peixe. A cerveja Original de 300 ml sai por R$ 12.

Para beliscar: kimchi (ao fundo) e alga curtida com peixe (tsukudani).

Para beliscar: kimchi (ao fundo) e alga curtida com peixe (tsukudani).

Os sócios da casa investiram no conceito e importaram um chef do Japão para compor a receita, mas a maioria dos ingredientes é local. Não é à toa que encontramos a turma do 2nd Floor e o mestre Masanobu Haraguchi, do Ban, esperando para conferir a novidade. Legal o app da casa para você acompanhar a espera pelo smartphone. Dá tempo de tomar uma witbier no barzinho ao lado, o Açaí Burguer, e relaxar até chegar a sua vez.

Lamen Açu

O reconfortante Shio Lamen, do Lamen Açu.

O reconfortante Shio Lamen, do Lamen Açu, na versão com caldo de frango.

Esta casa de lamen abriu há menos de dois meses, perto da saída do Metrô Praça da Árvore e já tem uma pequena fila formada, basicamente, por moradores da região. Vale a pena esperar para comer o lamen servido no simpático restaurante. Prove o Shio Lamen (R$ 25), caldo temperado com sal. Pedi para trocarem o caldo de porco, que consta no cardápio, pelo de frango, que é consistente e saboroso.

Porção de guioza do Lamen Açu é boa pedida de entrada.

Porção de guioza do Açu é ótima entrada. Prove também a berinjela grelhada.

O macarrão, que não é feito na casa, é bem trabalhado e forma uma refeição reconfortante com os toppings chassu (fatias de carne de porco), cebolinha e vegetais. Nestes dias frios vale por um abraço. Se a fome for grande, vale pedir, de entrada, a berinjela grelhada (R$ 16), sem falar do saboroso guioza (R$ 16 a porção com seis). Além de lamen, a casa oferece pratos em formato de teishoku (de R$ 25 a 35).

2nd Floor Noodle Bar
Rua Leandro Dupret, 980 – Vila Clementino
Tel.: (11) 94163-6593

Terça a Sábado das 19h às 22h30.
Não aceita cartões de crédito (Só débito ou dinheiro)

JoJo Ramen
Rua Dr. Rafael de Barros, 262 – Paraíso
Tel.: (11) 3279-5005

Segunda a Sábado das 18h30 às 22h.
Aceita cartões.

Lamen Açu
Rua Guaraú, 120 – Metrô Praça da Árvore.
Tel.: (11) 5589-9124
Terça a Domingo das 11h às 14h30 e das 18h às 21h30.
Aceita cartões e não cobra 10% de taxa de serviço.

O Poderoso Chuletão

abril 24, 2016

'Chuletão', vinagrete e porção generosa de arroz, fritas e farofa no Esquina Grill do Fuad.

‘Chuletão’, vinagrete e porção de arroz e fritas no Esquina Grill do Fuad.

O Braun Café completa dez anos (Aeee!) e lugares como o Esquina Grill do Fuad são do tipo que eu gosto de indicar (bons, bacanas e amigos do bolso). Este bar e restaurante clássico da Santa Cecília, é uma ótima opção pra quem quer comer uma bela carne, sem gastar muito. Já faz um tempão que fiquei sabendo do Fuad (dica da amiga Flávia) até que, finalmente, topei com ele dando um rolê pelo bairro, no sábado passado.

Carne macia, no ponto certo, chega à mesa causando na chapa.

Carne macia, no ponto certo, chega à mesa causando na chapa.

O poderoso Chuletão foi a escolha para o almoço para dois. A carne macia e no ponto certo chega à mesa causando na chapa quente. Custa R$ 52,80 serve muito bem duas pessoas, acompanha molho da casa levemente picante, farofinha e um bom vinagrete com tomates verdes (adoro).  Vale pedir uma cesta de pão francês fresquinho (R$ 1) pra arrematar.

Se quiser uma porção bem generosa de fritas e arroz (e mais farofa), o Chuletão à Brasileira sai por R$ 67. Mas achei que vale mais a pena a porção simples.

A esquina da Imaculada Conceição com a Martin Francisco também é popular no happy hour. No cardápio você encontra a Picanha à La Ronaldo (“Bem Gorducha!”, reforça o anúncio com a foto do ex-jogador), filé à cubana e os saudosos espetos mistos das antigas. Tem razão a amiga Flávia, que sempre dizia: “Você tem que ir no Fuad!”. Demorou, mas valeu. Você tem que ir.

Esquina Grill do Fuad
Rua Martin Francisco, 244 – Santa Cecília – São Paulo (SP)
Tels.: (11) 3666-4493/3825-1031

%d blogueiros gostam disto: