Slow Burger Food

fevereiro 17, 2019

Sorriso, com queijo taleggio e maionese da casa, é uma das opções do cardápio rotativo do chef Max Galise, que segue os princípios Slow Food em seu restaurante no Paraíso

Hambúrguer gourmet e cerveja artesanal é uma combinação que se multiplicou rapidamente pela cidade de São Paulo entre food trucks e estabelecimentos. O Galise Burger, aberto há pouco mais de um ano, no Paraíso, seria mais um só que sua proposta é trazer o hambúrguer – símbolo supremo da cultura fast food – para os princípios do slow food.

A ideia de vender “slow burger food” é de Max Galise, o simpático chef italiano e proprietário, que nasceu no povoado de Saluzzo, a 20 quilômetros de Bra, capital mundial do movimento Slow Food. O legal é que eu, andando pelo Paraíso em uma quinta-feira à noite em busca de um lugarzinho para jantar, não tinha a menor ideia dessa história até entrar para conhecer o restaurante e abrir o cardápio.

“Nada aqui é pré-cozido. Nada é de ontem. Tudo é fresco, preparado na hora, com carinho e amor, ingredientes fundamentais no preparo de uma boa comida”, diz a primeira página do menu, que começa com um trecho do statuto Slow Food. Bom… quase chorei de emoção. Veio aquela memória gostosa da charmosa cidadezinha no Norte da Itália onde provei o “ravioli plin”, uma das melhores massas da vida.

O Galise também é uma saborosa surpresa. Do cardápio rotativo provei o Sorriso (R$ 36), que é garantia de felicidade. O burguer de 160 gramas leva queijo taleggio Serra das Antas, alface, cebola roxa, tomate, maionese da casa e pão brioche da Academia do Pão, padaria artesanal que fica ali pertinho. Dá água na boca só de lembrar do suculento hambúrguer que eu comi comas mãos mesmo. O suco da carne ao ponto vai amolecendo a parte de baixo do brioche então fiz lambança, mas valeu a pena. Eles oferecem talheres para quem preferir ser mais fino, ou slow. Ah! Vale lembrar que o serviço é atencioso e não é lento :-).

Outra boa pedida foi o Luana (R$ 37), uma versão mais potente com queijo cheddar, radicchio, cebola, tomate, bacon e picles de pepino no pão brioche. A porção de fritas é igualmente bem servida então peça meia para 2 ou 3 pessoas. Vale provar a batatinha com a redução de balsâmico que decora lindamente o prato do sanduíche.

Para acompanhar escolhi a Belgian Tripel (R$ 28) da cervejaria Cevada Pura, de Piracicaba, que leva açafrão e pimenta rosa. Ótima pedida entre diversos rótulos interessantes que, assim como o cardápio, te convidam a voltar sempre ao Galise per mangiare molto bene.

Galise Burger
Rua Carlos Steinen, 270 – Paraíso, São Paulo – SP
Tel.: (11) 2372-0735

'Chica Doida Du Goiás' na Feirinha: pamonha salgada cremosa com linguiça na cachaça

‘Chica Doida Du Goiás’ na Feirinha: pamonha salgada cremosa com linguiça na cachaça

Que tal trocar o frango assado do domingão por hambúrguer de costela com molho de cebola caramelizada ou pamonha de colher com linguiça na cachaça? A dica é fazer um passeio gourmet na Feirinha Gastronômica, aos domingos, na Praça Benedito Calixto.

A feira reúne cerca de 30 participantes, entre chefs profissionais e amadores, que vendem especialidades como hambúrguer, ceviche, pasteis indianos (samosas), macaxeira recheada, espetinhos japoneses (yakitori), crepes, tapioca, massas, doces etc. Os preços variam entre R$ 15 e R$ 25.

Domingo na Feirinha Gastronômica

Domingo na Feirinha Gastronômica, na Praça Benedito Calixto, em Pinheiros

O legal do evento, que está no “Espaço Qualquer Coisa” desde agosto do ano passado, é que você encontra comidinhas diferentes a cada mês. Estive por lá recentemente para provar a “Chica Doida Du Goiás”, uma pamonha salgada de colher com queijo da Canastra, que a Larissa Januário, do site Sem Medida, resgatou. Gostei tanto que compartilhei na TV, nas dicas do G1 para o Bom Dia São Paulo da última sexta (25).

Para rechear a cremosa pamonha você tem quatro opções: linguiça na cachaça ou carne seca na manteiga (R$ 20 cada), frango caipira ou vegetais salteados (R$ 16 cada). Eu fui na de linguiça e finalizei com um molhinho de pequi que fica na bancada junto com molhinhos de pimenta. O prato cremoso e cheio de sabores surpreende a cada colherada. Para acompanhar recomendo uma tacinha de vinho do “trailer wine bar” Los Mendonzitos (R$ 10 a R$ 16 a taça).

Almoço na praça: Costela de porco na brasa e banana da terra

Almoço na praça: Costela de porco na brasa com molho barbecue e banana da terra

Também dei uma mordida no burguer de costela de boi com molho de cebola caramelizada (R$ 20 no combo com Coca de 600 ml) que o Fábio escolheu. Achei bem saboroso (o molho é levemente adocicado), mas faltou uma pitadinha de sal na carne e podia ser maior. Deu gostinho de quero mais.

Por fim, dividimos um churrasco de costelinha de porco à moda colombiana, com molho barbecue, acompanhado de banana da terra assada. Esta é uma das especialidades da banca Locombia, que também tem opções de coxinhas de frango e linguiça caseira.

Cerveja Brooklyn Beer Lager para combinar com a costela de porco

Cerveja Brooklyn Beer Lager para combinar com a costela de porco

A costelinha estava bem macia e saborosa, mas o molho não tinha cara de caseiro. Harmonizou bem com a cerveja artesanal americana Brooklyn Beer Lager (R$ 15). Para comer na praça sem fazer lambança você ganha luvinhas de plástico. Boa ideia.

Atenção: É importante chegar cedo para garantir seu almoço porque alguns pratos acabam mais para o fim da tarde. Cheguei por volta das 13h e o espaço já estava bem movimentado, com fila na porta. Não se assuste porque a fila anda. Na entrada você recebe um carimbo em forma de “like do Facebook” no pulso para ir e voltar quando quiser. Depois é só curtir.

Feirinha Gastronômica
Praça Benedito Calixto, 85 – Pinheiros, São Paulo
Domingos, das 12h às 19h
www.feirinhagastronomica.com.br

Hambúrguer no Balcão

julho 16, 2008


Nada como comer um bom cheese salada no balcão, sem frescuras e direto ao que interessa. Melhor ainda em frente ao chapeiro do Seu Oswaldo, do Joakins ou do Oregon. Mas quando me chamaram para ir ao Bar Balcão, não pensei em hambúrguer. Logo me lembrei do imenso balcão que serpenteia todo o salão do bar e convida o paulistano a se socializar após alguns chopes.

Desta vez, com os amigos Calenda e Ana Luiza, fiquei no mezanino, apreciando a serpente de madeira lá de cima, e o assunto não era o chope Brahma (leve e gostoso, mas não dos melhores de SP) e sim os sanduíches do Balcão.

Quando cheguei, eles já estavam acomodados com seus chopes em frente a uma convidativa porção de fritas (bem sequinhas e macias). A pedida era o hambúrguer com molho de gorgonzola, mas a curiosidade me levou a espiar o cardápio. A dúvida me abriu o apetite. Até o vegetariano com chutney de manga me passou pela cabeça.


Segui a recomendação inicial e o ‘cheese salada’ de gorgonzola superou minha expectativa. Diria que está pau a pau com o Drop Kick, servido no Clube Belfiori, embora a parece de carne do burguer do CB seja inigualável.

A versão do Balcão vem aberta no prato, com tomate e uma saladinha verde, que não serviu só de enfeite. A carne estava no ponto e o molho também. Ótima pedida. Difícil vai ser não repetir a escolha. Pra variar, peço o hambúrguer de gorgonzola do Balcão no balcão mesmo.

Bar Balcão – Rua Doutor Melo Alves, 150, Jardim Paulista. Tel: (11) 3063-6091.
Funcionamento: Segunda a sábado, das 18h às 2h. Domingo até 1h.

%d blogueiros gostam disto: