Cafés, quitutes e bikes

março 5, 2017

King Of The Fork, em Pinheiros, tem ótimos cafés e doces.

King Of The Fork, em Pinheiros, tem ótimos cafés e doces.

Vamos fazer as honras ao nome deste blog e dar uma dica de café. O King of the Fork (Kof), em Pinheiros, é um bom lugar para abastecer seus desejos de cafeína e açúcar.

Experimentei um café de torra especial Serra do Caparaó, do Espírito Santo, passado na Aeropress (R$ 10). O método dessa cafeteira deixa a bebida mais encorpada e bem saborosa. Foi uma ótima companhia para a generosa fatia de bolo caseiro de maçã.

Bolo de maçã e café do Espírito Santo na Aeropress

Bolo de maçã e café Serra do Caparaó (ES) feito na Aeropress

Os combos do cardápio também são interessantes. O Keirin (R$ 23) inclui café com leite gelado, duas torradas fofinhas de pão caseiro com linhaça e manteiga, além de um tentador cookie de baunilha com muito chocolate.

Combo Keirin com pão de linhaça torrado, latte gelado e cookie (R$ 23).

Combo Keirin com pão de linhaça torrado, latte gelado e cookie (R$ 23).

Gostei tanto do ‘Kof’ que pedi mais um, desta vez coado, com o grão Alta Mogiana, do interior de SP. Saboroso, mas o primeiro fez mais meu gênero e adorei o resultado da cafeteira.

Local tem estacionamento para bikes.

Local tem estacionamento para bikes.

O local é todo preparado para quem anda de bicicleta. O nome é uma referência à expressão “King of The Mountain”, um prêmio para ciclistas na subida (uia…). Além de coadores e cafeteiras, a casa vende acessórios para bike e tem estacionamento próprio para elas.

King of the Fork
Rua Artur de Azevedo, 1317 – Pinnheiros, São Paulo – SP
Tel.: (11) 2533-9391

Anúncios
A marguerita de massa finíssima da Napoli Centrale, nova integrante da área de alimentação do Mercado Municipal de Pinheiros.

A marguerita de massa finíssima da Napoli Centrale, nova integrante da área de alimentação do Mercado Municipal de Pinheiros.

A pizza de massa finíssima da Napoli Centrale, aberta em junho, é mais um bom argumento para visitar o Mercado Municipal de Pinheiros. Estive por lá na semana passada para experimentar a pizza, mas antes dei uma passada pelo Mocotó Café, que faz parte da nova fase do mercado, ao lado da pioneira Comedoria Gonzales.

Porção de torresmos crocantes e irresistíveis do Mocotó Café.

Porção de torresmos crocantes e irresistíveis do Mocotó Café.

Difícil resistir à porção de lindos torresmos na vitrine, que vão bem com a cerveja extra clara da Bamberg (R$ 12). Também precisei apresentar à uma amiga os dadinhos de tapioca com molho agridoce picante. E aí a gente acabou dividindo um baião de dois com carne de panela, farofa e vinagrete (R$ 26).

O forno italiano da Napoli Centrale, de onde saem as pizzas certificadas como 'veramente napolitanas'.

O forno italiano da Napoli Centrale, de onde saem as pizzas certificadas como ‘veramente napolitanas’.

Mas e a pizza? Também teve. As pizzas individuais da Napoli têm ingredientes e modo de preparo certificados pela Associazione Verace Pizza Napoletana (AVPN). Fiquei impressionada com a massa de fermentação lenta tão delicada.

Pizza frita de calabresa na cachaça é outra opção do cardápio.

Cardápio inclui pizzas fritas como a de calabresa na cachaça (R$ 18).

Provei a mais napolitana de todas: Marguerita com molho de tomates suave, fatias de queijo dispostas com parcimônia e folhas frescas de manjericão (R$ 20). Simples, leve e deliciosa. O cardápio inclui pizzas fritas como a de calabresa na cachaça (R$ 18) e entradas, como pão de calabresa (R$ 8, a fatia) e os bolinhos de arroz (arancini). Só achei que a IPA da Porco Loco Cervejeiros (R$ 14) é too much para a leveza da pizza. Talvez seja mais bacana com os bolinhos. A casa também oferece vinhos em taça.

Pizza do mês da Napoli Centrale, a partir de quinta (18/8) tem mascarpone, pancetta, cogumelos e ovo estrelado. Foto: Facebook/Napoli Centrale

Pizza do mês da Napoli Centrale, a partir de quinta (18/8), tem mascarpone, pancetta, cogumelos e ovo estrelado. Foto: Facebook/Napoli Centrale

A pizza do mês merece outra visita. Quando estive por lá, era de peras e gorgonzola, mas o sabor mudou na última quinta-feira (18/8). Agora, a combinação é de queijo mascarpone, pancetta, cogumelos Portobello e um ovo de gema mole no meio. Quero.

Mercado de Pinheiros tem boxes com produtos de regiões como Cerrado, Pampas e Amazônia.

Mercado de Pinheiros tem boxes com produtos de regiões como Cerrado, Pampas e Amazônia.

E depois do almoço duplo, bora pro andar térreo, onde estão as bancas de hortifruti, empórios e, desde março, três boxes com produtos de cooperativas da Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica e Pampas. No box da Central do Cerrado, me encantei com a geleia de umbu, doce e azedinha, e com a pasta de pequi, que vai bem no arroz, frango e até com torradinha. E se for comprar castanhas e grãos, minha dica é o box Truques da Vovó, que tem boa qualidade e variedade.

Mercado Municipal de Pinheiros
Rua Pedro Cristi, 89 – Pinheiros, São Paulo – SP
Horários: Segunda a sábado das 8h às 18h

Mocotó Café
Rua Pedro Cristi, 89 – Box 62/63
Tel.: (11) 3031-7932
Horários: Segunda a sábado das 8h às 17h

Napoli Centrale
Rua Pedro Cristi, 89 – Box 84
Tel.: (11) 3031-1689
Horários: Segunda a sábado das 10h às 20h

Truques da Vovó
Rua Pedro Cristi, 89 – Box 1B
Tel.: (11) 3031-6800
Horários: Segunda a sábado das 8h às 18h

Madri no quintal

agosto 11, 2013

Porção de tosstas do La Madrileña: destaque para a versão com quejo de cabra e cebolas caramelizadas

Tostas do La Madrileña: destaque para a de quejo de cabra e cebolas caramelizadas

Encontrar amigos queridos em um quintal charmoso, provando tapas e vinhos, a tarde toda, é um convite à felicidade.

Passei em frente ao La Madrileña, em Pinheiros, quando fui conhecer o polonês Maria Escaleira, e fiquei curiosa com a bandeira da Espanha no mesmo quarteirão. De cara, a vinoteca e restaurante espanhol bar ficou marcada na memória. Quando descobrimos, no site, que a casa tinha mesas no quintal, não houve dúvida.

Mesinhas no quintal da vinoteca em Pinheiros

Mesinhas no quintal da vinoteca em Pinheiros

A ideia inicial do lugar, aberto por dois brasileiros que viveram anos em Madri, era ter uma importadora e loja de vinhos espanhóis, mas a demora no processo de liberação fez com que os sócios Edson Sarabia e Emerson Mafra abrissem as portas, há um ano e oito meses, servindo comidas típicas – preparadas pela mãe de Edson, Dona Luisa, que é espanhola mesmo. Além das mesinhas na entrada e do quintal, a vinoteca tem um salão no andar superior e abre também para o jantar.

As tradicionais "papas bravas" com molho nervoso

As tradicionais “papas bravas” com molho nervoso

Descendo uma escada e subindo outra fomos levados a um espaço tranquilo e arborizado, nos fundos, que também tem uma parte com cobertura para os dias de garoa. O cardápio, de entradas, tapas e principais está descrito em uma única lousa que a jovem Natália – sobrinha de Edson, nascida no Brasil e criada em Astúrias – leva aos clientes.

Jarra de sangria da casa (R$ 36). Vinhos em taça custam entre R$ 15 e R$ 18.

Jarra de sangria da casa (R$ 36). Vinhos em taça custam entre R$ 15 e R$ 18.

Começamos por uma dupla de tostas de presunto (jamón) com ovo de codorna estrelado e surpreendentes tapas de queijo de cabra com cebola caramelizada (não deixe de provar), que saem R$ 36 a porção com quatro tostas. Outra boa pedida da casa são os pintxos (espetinhos) de frango empanado com molho de mostarda e mel (R$ 18). Para embalar o momento, uma jarra de sangria de vinho tinto, leve e refrescante (R$ 36).

As “papas bravas” (R$ 18) são nervosamente apimentadas, como na Espanha. Não espere batatas assadas com molho “magoado”. E se você é bravo com pimentas vai gostar. A tradicional tortilha com cebola (R$ 12) também é uma boa pedida.

"Croquetas" de frango e queijo roquefort inspiradas na nossa amada coxinha

“Croquetas” de frango e queijo roquefort inspiradas na nossa amada coxinha

Uma curiosidade da casa é a porção de “croquetas de frango com queijo” (R$ 18). “Parece coxinha, mas não é”, disse o garçom, que achou uma boa forma de descrever o quitute. De fato, os bolinhos fritos com massa crocante por fora e macia por dentro recheados de peito de frango e gorgonzola são muito apetitosos e bem inspirados na nossa amada coxinha.

Versão de tiramissú da Dona Luisa com calda de frutas vermelhas.

Versão de tiramissú da Dona Luisa com calda de frutas vermelhas.

Em um dia de calor, o sauvignon blanc Emina, vinho levemente frutado da região de Rueda, é uma das opções (R$ 55). As taças variam de R$ 15 a R$ 18 e o Emerson dá ótimas dicas.

A sobremesa da casa pode parecer um pecado dos mais graves: tiramissu com calda de frutas vermelhas. O clássico italiano é dos meus doces favoritos da vida e não o mudaria por nada, mas confesso que o crime compensa.

La Madrileña
Rua Cônego Eugênio Leite, 1127 – Pinheiros – São Paulo
(11) 3034-0344

A sopa de beterraba barszcz 'uma das entradas do polonês Mara Escaleira

A sopa de beterraba barszcz é uma das entradas do polonês Mara Escaleira

Novo endereço: O restaurante mudou para a Rua Mourato Coelho, 53, também em Pinheiros. (informação da gerente Vanessa Wica, em 17/01/2014, ao Braun Café)

O nome “Maria Escaleira” é um homenagem à avó portuguesa da proprietária Vanessa Medrado Wica, que abriu o restaurante ao lado do marido, o chef Andrzej Wica, para oferecer culinária caseira da Polônia e do leste europeu. “Os poloneses que vêm aqui comentam que se lembram da comida da mãe ou da avó”, conta Vanessa.

Porção de Lango Bread, o "bolinho de chuva" salgado da Polônia

Porção de Langos Bread, o “bolinho de chuva” salgado da Polônia

O cardápio inspirado no livro de receitas da avó de Andrzej tem entradas (R$ 17) como a saborosa sopa barszcz (“barsh”), com toque de vinagre e pedacinhos de beterraba. Minha irmã gostou tanto que ficou com desejo de só pedir, e repetir, barszcz na próxima visita. Outra surpresa boa é a porção de langos bread,  bolinhos fritos com massa de batata que mais parecem bolinhos de chuva. Os langos são acompanhados de cream cheese e um agradável chutney de cebola roxa que ameniza o tom salgado dos bolinhos.

Goulash polonês com atrigo sarraceno e creme de cenoura

Goulash polonês com trigo sarraceno e creme de cenoura

Nos pratos principais (porções individuais de R$ 30 a R$ 35, em média) há clássicos como o goulash (picadinho de carne com molho de vinho e páprica) e o pierogi (massa cozida, similar a um ravioli, com recheio de batata e queijo e variações com queijos e espinafre, chucrute ou salmão). Além do chef, o crédio também vai para a cozinheira Thais H.Carvalho.

Pierogi com recheio de batata e queijo com molho de manteiga e bacon crocante

Pierogi com recheio de batata e queijo ao molho de manteiga e bacon crocante

A versão polonesa do goulash acompanha trigo sarraceno e um creme de cenouras levemente adocicado. Optamos pelo pierogi recheado de batata e queijo com molho de manteiga e pedacinhos de bacon crocante. Simples, bem feito e equilibrado. Pena que, desta vez, não sobrou espaço para a sobremesa, que conta com opções interessantes como bolo de sementes de girassol e o Piernik, tradicional bolo de mel com recheio de doce de damasco e cobertura de chocolate (R$ 14).

A fachada do Maria Escaleira, em Pinheiros

A fachada do Maria Escaleira, em Pinheiros

No almoço, durante a semana, o menu tem preços bem convidativos (R$ 25 a R$ 26, o prato) e inclui o ‘Stroganoff Maria Escaleira’ servido com arroz e purê de batata (R$ 29).

Para acompanhar os pratos há opções como vodka polonesa e vinhos. A taça do chileno Cefiro tem preço salgado (R$ 16).

Maria Escaleira
Rua Mourato Coelho, 53 – Pinheiros
São Paulo – SP
Tel (11) 2364-9913

Almoço das meninas

maio 6, 2012

Saladinha de folhas verdes e frango desfiado do Vila das Meninas. Entrada, prato principal e sobremesa por R$ 38 no almoço, durante a semana

No fim de um longo e estreito corredor no número 139 da Rua Padre Carvalho, em Pinheiros, encontra-se o restaurante Vila das Meninas. Durante a semana, este charmoso “escondidinho” aberto há dois anos pelas chefs mineiras Renata Rodrigues e Karine Chaves oferece versões criativas da nossa culinária, com toques internacionais.

No almoço, durante a semana, o menu executivo do dia (R$ 38) inclui entrada, prato principal bem servido e sobremesa. Continue lendo »

Spaghetti de cacau

janeiro 12, 2008

Você já se viciou um único prato de um restaurante e toda vez que volta ao lugar não consegue pedir outra coisa? Isso costuma me acontecer em alguns lugares. Fico com uma certa sensação de culpa por não explorar o cardápio, mas já sei que se mudar o pedido vou me arrepender depois. Então vamos eliminar a culpa porque ela não “harmoniza” com boa gastronomia.

buttinacacau_350.jpg

Acredito que muitos clientes do restaurante italiano Buttina não se sentem culpados em pedir “o de sempre”: spaghetti de cacau ao molho de mascarpone com pedaços de presunto parma. A Deca é um destes clientes e bem que me avisou.

Quando estive lá, no ano passado, entendi porque o prato já ocupa um lugarzinho de destaque no menu – atendendo a pedidos. A mistura de sabores do leve queijo mascarpone com o toque adocicado do spaghetti e o salgadinho do parma dão até “alegria de viver”. O prato é simples, perfeito e custa 29 reais.

buttinaentrada_350.jpg

A entradinha de cortesia (cascas de legumes empanadas), além de criativa, é muito gostosa. E confesso que, antes de provar o famoso prato da casa, cheguei a me arrepender diante do filé mignon ao molho de azeitonas pretas com spaghetti de meu acompanhante. No entanto, o sabor não era tão incrível como a apresentação.

Concordo com o Josimar Melo quando ele critica a insistência da maioria dos restaurantes em servir o mignon no lugar de outros cortes mais saborosos. Fiquei feliz com meu spaghetti.

buttinasalao_350.jpg

Sinceramente, eu até comeria esse spaghetti em pé, na rua. O que importa é o que sai da cozinha e não a decoração, mas a casa que abriga o Buttina ainda oferece três ambientes muito agradáveis, boa carta de vinhos e bom atendimento. Você pode escolher entre o aconchegante salão da casa, na frente, o mezanino do moderno ambiente intermediário ou ainda sentar-se à sombra de uma jaboticabeira no quintal.

Quando voltar ao Buttina, seja para um jantar românico ou um descontraído almoço ao ar livre com os amigos, você pode até ‘brincar’ que está em um restaurante diferente, sem culpa de pedir “o de sempre”.

buttinarua_350.jpg

Lavando pratos
Verifique sempre as formas de pagamento antes de ir a um bar ou restaurante pela primeira vez. O Buttina não aceita cartões Visa.

Na noite em que estive lá, um dos clientes foi pego de surpresa. A gerência foi bem compreensiva e disse que ele poderia voltar outro dia para pagar a conta. Excluindo o fato de que as outras mesas ficaram sabendo da situação, talvez por problemas de acústica ou descrição do atendimento, pelo menos a casa é simpática e não mandou o cliente lavar pratos.

Buttina – Rua João Moura, 976, Pinheiros (SP). Tel: (11) 3083-5991 /3088-6840

%d blogueiros gostam disto: