Almoço no Soteropolitano

novembro 22, 2019

Porção de acarajés crocantes e macios do Soteropolitano. Matando a saudade.

Quando um amigo disse “vai nesse restaurante de comida baiana na Lapa. É a melhor moqueca da cidade” bem que desconfiei que poderia ser o Soteropolitano. Pois era o próprio. Que bom!

Depois que deixou a Rua Fidalga, na Vila Madalena, há cerca de sete anos, o restaurante foi reaberto numa esquina super tranquila na Vila Romana. Que alegria reencontrá-lo. Aliás, o pessoal da casa frisou que muita gente tem confundido o Soteropolitano original da Rua Fidalga com o Sotero, que fica na Santa Cecília, mas são histórias diferentes.

Moqueca de peixe e polvo com pirão, arroz e farofinha de dendê.

A porção de acarajé é de lei. São seis bolinhos super crocantes e macios por dentro que você abre e monta como quiser com os ingredientes à parte – vatapá, caruru, camarões secos, vinagrete e a pimentinha da casa. Peça uma cervejinha para refrescar (R$ 12 a Heineken de 600 ml). A porção com seis acarajés sai por R$ 42.

A moqueca da vez foi a de abadejo com polvo (meia moqueca sai por R$ 88 e serve duas pessoas) que chega à mesa borbulhando na panela de barro, acompanhada de arroz branco, pirão e farofa de dendê. Polvo macio, peixe no ponto e o tempero envolvente como sempre. Como é bom matar saudade desse prato.

Receita de sábado feliz é almoçar no Soteropolitano. A conta com uma cerveja 600 ml e um suco saiu R$ por pessoa . Só faltou o café, mas a casa não serve então você pode fazer uma caminhada digestiva de dois quarteirões até o Garimpos do Interior, na Rua Marco Aurélio mesmo, e tomar um café coado na hora. E se for numa quinta-feira, não deixe de passar no Quintal da Aurélia, ali do lado, e comprar um pão artesanal.

Restaurante Soteropolitano
Rua Marco Aurélio, 451 – Vila Romana
Tel.: (11) 3034-4881
Abre às Sextas-feiras das 12h às 15h30 e das 18h às 22h, aos Sábados das 12h às 22h e aos Domingos e feriados das 12h às 18h.

Restaurante BBB

dezembro 30, 2013

Risoto milanês com ragu de ossobuco e cogumelos (R$ 22) no almoço do Rodó

Risoto milanês com ragu de ossobuco e cogumelos (R$ 22) no almoço do Rodó

Bom, bacana e barato. O Rodó é o tipo de lugar ‘BBB’ que o Braun Café gosta de indicar. Localizado na Vila Madalena tranquila, onde antes funcionava o italiano Vito, o pequeno e charmoso restaurante oferece culinária ítalo-brasileira de ótima qualidade a preços honestos. No almoço, os valores dos pratos variam de R$ 20 a R$ 22. Que tal?

Picadinho completo com ovo frito, farofa, banana, pastéis de queijo, arroz e cumbuquinha de feijão

Picadinho completo com ovo frito, farofa, banana, pastéis de queijo, arroz e feijão

Sim… é possível servir um belo risoto milanês com ragu de ossobuco e cogumelos por até R$ 22. É justo tendo em vista que ossobuco é uma carne da felicidade: custa pouco e tem muito sabor.

Couver simpático tem focaccia com alecrim, patê de azeitonas e fatias de copa

Couver simpático tem focaccia com alecrim, patê de azeitonas e fatias de copa

Eu fui de picadinho com tudo o que ele tem direito (ovo frito ‘zóião’ com gema mole, que adoro, farofa, arroz, banana frita, pastelzinho de queijo e feijão à parte). Tirando o pastel, que ficou um pouco seco, estava uma alegria de viver. Para refrescar, uma suave limonada de limão siciliano (R$ 4).

Brigadeiro de 'colherão' dá pra dividir (R$ 6)

Show: brigadeiro de ‘colherão’ que dá até pra dividir (R$ 6)

A sobremesa foi um brigadeiro ‘de colherão’ que deu pra dividir com a amiga Cecília e custou R$ 6. Resultado: R$ 37,40 para cada uma, incluindo os merecidos 10% para o serviço atencioso. Satisfação.

Nome e logo em homenagem ao 'Rodó', velho amigo do proprietário

Nome e logo em homenagem ao ‘Rodó’, velho amigo do proprietário

Interessante é que o restaurante abriu as portas, no ano passado, com uma proposta mais refinada e preços mais elevados. Depois de alguns meses complicados e da saída do sócio, Jorge Cury optou por uma proposta mais trivial no meio deste ano. Agora, durante a semana, o salão tem três rodadas de clientes. Se deu bem.

O pequeno e charmoso salão na Vila Madalena fica cheio rapidinho

O pequeno e charmoso salão na Vila Madalena fica cheio rapidinho

O nome Rodó e o perfil no logo do restaurante homenageiam um velho amigo italiano que veramente adorava cozinhar. Jorge contou ao Braun Café que o amigo tinha um fogão só para ele em casa e lhe deu dicas gastronômicas valiosas.

No ano em que surgiram comunidades como SP Honesta e BoicotaSP ficou claro que as pessoas não querem engolir sapo em restaurantes e que é possível encontrar boa comida a preços honestos por aí. Este é o desejo do Braun Café, hoje e sempre. Que 2014 nos traga deliciosas e acessíveis descobertas. Feliz Ano Novo!

Rodó
Rua Pascoal Vita, 329, Vila Madalena – São Paulo
Tel.: (11) 3032-7517
https://pt-br.facebook.com/restauranterodo

Dicas: como o Rodó é pequeno vale reservar ou chegar cedo (até 13h) no almoço. O salão abre para almoço de segunda a sábado, das 12h às 15h. Para o jantar está aberto de  quinta a sábado, das 19h às 23h. Aceita cartões.


Semana passada, Cecília teve a felicidade de provar dois extremos da culinária brasileira. Na terça-feira esteve no D.O.M., seu restaurante dos sonhos, para experimentar o robalo com sopa de tucupi e sagu de tapioca. Almoçou com executivos, ao som de bossa nova, com direito a uma passadinha rápida do chef Alex Atala na mesa. No sábado esteve comigo no BIU Comidas Caseiras, primeiro tomando uma soda na mesa do lado de fora, ao som de ônibus e discos de freio gastos, e depois almoçando um gostoso comercial de vaquejada (carne de sol grelhada, acompanhada de abóbora à milaneza, arroz, feijão e salada).

Tomando uma cerveja na mesinha da calçada, ouvi Cecília me contar sobre o D.O.M. enquanto provava a gostosa linguiça assada com cebolas, que o simpático e grande garçom Rodrigo chamou uma vez de ‘linguiça surpresa’.


“Bom, meu PF foi um robalo crocante com consomé de tucupi e tapioca e depois um menu degustação de sobremesas. O robalo estava bem gostoso, mas não foi a coisa mais incrível que eu já comi na vida. O tucupi (que eu nunca tinha experimentado) é uma delícia e combinou muito com peixe. As sobremesas estavam deliciosas!

Conselho: não vá com fome ou então coma bastante pão. De todos os restaurantes chiques que eu conheço (que foram poucos), esta foi de longe a menor porção.

É isso. Era o restaurante dos meus sonhos, mas acho que o que eu queria mesmo era o menu degustação (que custa uns 250). Quem sabe numa próxima”. Detalhe para o trocadilho: o menu é o D.O.M.Gustação. E como bem lembrou Rê Mesquita em outro toast, Cecília ainda quer descobrir como Atala faz as deliciosas batatinhas fritas em cubinhos simétricos.


No BIU, durante a semana, o PF alimenta os operários da região, que não dispensam o refri de 2 litros na mesa. Cecília já esteve lá em dia útil. No sábado, o restaurante simples e acolhedor, com direito a TV para o futebol (desde que seja jogo do Corinthias) fica repleto de estudantes e descolados por conta da feira da Benedito Calixto, que fazem fila pelo baião de dois, pela feijoada ou pelo comercial (16 reais) com opção de vaquejada.

No D.O.M., só o prato da Cecília (75 reais) custou mais que o nosso almoço inteiro (50 reais). O que é que eu posso dizer? É o merecido preço da reinvenção gastronômica. Mas, sem desdenhar o bom PF do Atala (42 reais), que experimentei certa vez em um almoço ‘pessoa jurídica’, fico com o bom e barato do BIU.

BIU Comidas Caseiras – Rua Cardeal Arcoverde, 776 (esquina com a Rua João Moura). Tel.: (11) 3081-6739.

%d blogueiros gostam disto: