Se essa rua fosse minha

agosto 19, 2006

baleirofusca300.jpg

Entre a Rua da Cantareira e a Avenida Tiradentes, no Centro, esconde-se a Paula Souza, rua onde chefs, donos de restaurantes, lanchonetes, pizzarias e botecos equipam suas cozinhas, a preços amigos.

Em pouco mais de três quarteirões mágicos encontram-se diversas lojas com tudo o que você precisa para ser feliz no fogão, ou tudo o que você não precisa, mas ainda sim quer ter… de qualquer jeito.

De férias fui testar a resistência entre panelões de refeitório para ‘aquela feijoada’, chapas, frigideiras, espremedores de sucos profissionais, spagueteiras, fogões a lenha, máquinas de cortar massa e até um baleiro de vidro no formato de um Fusquinha – precisar, não precisa, mas é o máximo e só custou R$ 25.

Para relaxar depois de aplacar o vício dos utensílios domésticos dê uma parada na Esquina na Cachaça (Paula Souza com a Cantareira). Lá é possível degustar e comprar uma variedade extasiante de pingas de alambique – desde as bacanas como Germana, Santo Grau, Boazinha, Cachaça do Parol, Espírito de Minas, João Mendes e Chico Mineiro (em diversos níveis de envelhecimento e embalagens), até as mais suspeitas batizadas com trocadilhos como Tira Mágoa, Malvada, Tome Juízo entre outros nomes divertidos também encontrados no site do Museu da Cachaça.

Se ainda estiver de pé, atravesse a rua e adentre o empório Metapunto paraíso de azeites, chocolates, massas e bebidas importados. Lá encontrei toda a linha de chocolates holandeses Droste. As pastilhas de chocolate com laranja (R$ 9) vão muito bem com um café expresso. O dark chocolat com 72% de cacau é ótimo – com café deve ser algo do tipo ‘Suco Gami’.

A adega é bem variada já que o empório trabalha com Expand, Mistral, Casa do Porto, Adega Alentejana etc. Comprei um nacional da Miolo, o Fortaleza do Seival Tannat por R$ 19,50 – jovem, frutado e agradável. A área de cervejas também é bem-servida. Encontrei uma long neck da inglesa Old Speckle Hein, mas o preço estava salgado. Levei a brasileira Devassa por R$ 3,90 – a loira-pilsen e a ruiva-ale foram aprovadas.

Para encerrar sua cruzada gastronômica, avance apenas dois quarteirões na Rua da Cantareira e encontrarás o Santo Mercado Municipal. Se tiver o coração puro e o estômago vazio coma um pastel de bacalhau e tome chopes Brahma no Rocca Bar. No passeio para fazer a digestão é impossível resistir à iguarias do Mercadão. Após uma pesquisa rápida, os quijos mais em conta estavam no Empório Petali, que vende pela internet e entrega compras acima de R$ 100 em qualquer endereço da cidade, sem taxa.

Cajé:Rua Paula Souza, 198 (panelão de alumínio nº 28 por R$ 42). Tel: (11) 3311-0301
Companhia das Cozinhas: Rua Paula Souza, 222 (spagheteira Panex por R$ 68). Tel: (11) 3228-4022
Mig Center: Rua Paula Souza, 316 (escorredor de massas de inox por R$ 33). Tel: 3227-5681
Esquina na Cachaça: Rua da Cantareira, 589. Tel: (11) 3328-8220
Metapunto: Rua da Cantareira, 651. Tel (11) 3328-8200
Empório Petali: Rua da Cantareira, 306 (rua E box 19). Tel: (11) 3313-5053

Anúncios

One Response to “Se essa rua fosse minha”

  1. brauncafe Says:

    Comentários feitos no toast original do Brauncafe.zip.net:

    [françoise]
    adorei o baleiro de fusca. aliás, preciso andar na rua da cantareira. lá tem coisas tão legais e boas, né nao? qto tá o quilo do damasco e da castanha do pará por ali, vc sabe?
    08/11/2006 24:02

    [PH]
    Valeu Marina. Vivendo e aprendendo! Se bem que pelo que está no site que vc indicou, a coluna nada mais é que um “alambicão” industrial. Ou seja, todas as pingas são de alambique. O que muda é a capacidade de produção do mesmo e, claro, a qualidade do produto final. Vamos beber!
    29/08/2006 12:33

    [Marina] [marinasls@terra.com.br] [www.esquinadacachaca.com.br]
    Oi Paulo, existe sim, as cachaças que são industriais, chamadas Cachaças de Coluna, que não são cachaças de alambique as mais conhecidas são a 51, Velho Barreiro, mas existem várias outras também. Inclusive alguns produtores que fabricam cachaças de alambique fabricam cachaças de coluna também!
    28/08/2006 13:14

    [PH] [paulo@inkcom.com.br]
    Dúvida: aliás, pensei nisso hoje no almoço pois vi a mesma expressão em uma lojinha que abriu aqui perto do escri. Existe pinga que não seja de alambique?
    23/08/2006 17:10

    [Renata] [http://remesquita.blogspot.com]
    Eu queeeeeero!
    21/08/2006 19:02

    [ALice ]
    Meu, esse baleiro fusquinha é tuuuuuudo!
    21/08/2006 17:10

    Curtir


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: