Mestres do colarinho branco

setembro 19, 2010

Concurso elege melhor tirador de chope mundial (Foto: Divulgação)

Profissionais dedicados à árdua tarefa de tirar centenas de chopes por dia, no ponto certo, podem ser recompensados com uma saideira em Londres e um prêmio de R$ 3 mil. Esta é a proposta da etapa brasileira do 14º Stella Artois World Draught Masters, para promover a cerveja belga da Ambev.

A competição acontece até o fim de setembro em 30 bares de São Paulo selecionados pela Real Academia do Chopp. O vencedor das categorias de melhor ritual para servir chope e long neck Stella viaja a Londres, acompanhado do dono do estabelecimento, para concorrer com tiradores de chope do mundo todo. O ‘master do colarinho branco’ ganha uma viagem para o destino que quiser – no ano passado, a felizarda foi Avrill Maxwell, da Nova Zelândia. O segundo e o terceiro colocados podem escolher qualquer destino da Europa.

Blogueiros seguem ritual e degustam chope em evento sobre o concurso (Foto: Divulgação)

O pessoal da Ambev promoveu uma degustação, na última terça-feira, para divulgar o concurso, incluindo dicas sobre a forma correta de servir chope e cerveja. Pedro Marques esteve por lá representando o Braun Café e disse que gostou bastante, mas ainda prefere Guinness. Aí é difícil competir…

Dicas de especialistas que podem ser úteis para servir cerveja em casa: limpar o cálice/copo com detergente neutro e deixar secar naturalmente (nada de pano de prato); mergulhar o copo em água gelada para manter a temperatura da bebida; começar a servir a cerveja com o cálice inclinado a 45 graus (movimento natural para a maioria dos botequeiros), sem encostar o gargalo da garrafa na borda do cálice e, finalmente, a “regra inviolável” é manter a altura do colarinho em dois dedos (cerca de 3 centímetros).

Especialista recomenda copo gelado e três centímetros de colarinho (Foto: Divulgação)

Os bares que participam do concurso na categoria chope são All Black, Bar Anhanguera, Bourbon Street, Café Girondino, Catedral, Chácara Santa Cecília, Charles Edward, Ecco, Giardino, Kaá, MyNY Bar, Na Mata Café, SeoRosa, Tatou, Terrasse,Velho Rabo e Veridiana Jardins. No quesito long neck concorrem Assembléia, Bar Astor, Barxaréu, Barnaldo Lucrécia, Boteco Coutinho, Genuíno, Pandoro, Paróquia, Pecorino, Quitandinha Bar, Sagrado Bar e Sky, The Blue Pub.

Ota campeão*
O vencedor da etapa brasileira do 14º World Draught Master foi Ota Gilson de Castro dos Santos, do bar Seo Rosa, de Campinas (SP).

O campeão, Ota Gilson dos Santos: 20 anos de experiência no colarinho

“Em 20 anos de carreira nunca participei de uma competição como esta, que valoriza e capacita a categoria dos tiradores de chope”, disse Santos, em um comunicado da Ambev. Ele já ganhou uma quantia de R$ 3 mil e vai representar o ‘Brazil zil zil’ no campeonato mundial em Londres, no dia 28 de outubro. Vamos torcer!

*Post atualizado em 6/10/2010

Depois do caos da Santa Ifigênia, o chope suave de colarinho cremoso é a recompensa

Tomar um chope do Bar Leo, no sábado, por volta das 13h, é a melhor recompensa para quem enfrentou o caos da Rua Santa Ifigênia, no centro de São Paulo.

Outro dia estive por lá com o Dexter e uma listinha de compras incluindo cabos, alicate amperímetro e bateria de telefone sem fio. Passei pelos churrasquinhos de gato que esfumaçavam a multidão e pela horda de camelôs, sem reclamar. Afinal, em algumas horas tomaria o chope de colarinho alto e cremoso do Leo.

Chope une palmeirenses e corinthianos que tomam a calçada nas 17 mesinhas do lado de fora

Naquele sábado, o pequeno bar estabelecido na esquina da ruas Aurora e dos Andradas desde 1940, estava lotado de pessoas apoiando seus chopes nas mesinhas altas da calçada.

Cheguei no horário de pico, por volta de 13h30, ignorei o bar apinhado, entrei e pedi uma mesa ao Gaúcho, o simpático garçom que atende a área próxima à cozinha. Em poucos minutos, quatro lugares estavam disponíveis. Parece milagre, mas a real é que as pessoas gostam de apreciar o chope do Leo em pé mesmo, sem frescura. A lei antifumo também colabora.

O maravilhoso bolinho de bacalhau do Leo (R$5) servido às quartas e sábados. Peça logo dois

Para acompanhar seu chope (R$ 5), peça o bolinho de bacalhau (R$ 5 cada), que é servido somente às quartas-feiras e aos sábados. Aliás, peça logo dois porque esse quitute preparado pelas donas Maria e Marlene é delicioso. Só perdeu o primeiro lugar na minha lista quando provei o bolinho do Bar do Plínio, no Limão. No sábado, elas disseram que chegam a preparar mais de mil bolinhos no Leo.

Donas Maria e Marlene: mil bolinhos de bacalhau no sabadão

Como a especialidade da casa é a cozinha alemã, prove os canapés variados (R$ 22) de pão preto com pasta de roquefort, de azeitona e linguiça moída (o melhor). O sanduba de rosbife (R$ 13) no pão francês cortadinho também é ótimo. E às sextas-feiras, o bacalhau volta a aparecer no cardápio. Dizem que a bacalhoada do Leo é uma delícia. Tentei provar uma vez, nas férias, mas cheguei tarde e o prato do dia já havia acabado.

Canapés variados (R$22) são especialidade

Folclore
O Leo só serve chope claro com o colarinho alto e não tente ‘piratear’. Já ouvi histórias de pessoas que pediram menos colarinho e o garçom recomendou que fossem ao bar do lado. O folclore botequeiro também conta que alguém pediu chope escuro e o garçom respondeu que era só apagar a luz.

A maioria adora esse chope Brahma, bem tirado, do jeito que sempre foi. Até corinthianos e palmeirenses deixam as diferenças de lado depois do primeiro gole.

"Quer chope escuro? Apaga a luz"

Graças a estes apreciadores, incluindo aqueles que se refrescam carregando suas sacolinhas pretas de plástico com um novo HD ou um ‘iFone‘, o Leo serve de 1.920 a 2.400 chopes em um único sábado. Santo remédio.

Bar Leo – Rua Aurora, 100. Tel (11) 3221-0247. Horários: Segunda a Sexta das 11h às 21h30. Sábados das 10h às 18h.

%d blogueiros gostam disto: