Uma tarde em Montalcino

julho 2, 2011

Sonho realizado: degustação em Montacino, na Tenuta Vitanza e meio Brunello de lembrança

Fazer um tour em uma vinícola da Toscana era uma das minhas metas na viagem à Itália, mas o tempo era curto e alugar um carro estava fora de questão.

Veja mais fotos de Montalcino no Flickr do Braun Café.

Felizmente, em Siena, encontrei uma portinha simpática com a placa da Wine and Tours. A agência oferece pacotes de meia tarde, um dia ou até dois para as regiões de Chianti – incluindo uma passagem por San Gimignano e suas torres medievais -, Montepulciano e Montalcino. Os preços variam de 38 euros (de micro-ônibus) a 80 euros (de Land Rover). Fomos de micro-ônibus, tranquilamente, e saiu mais barato do que alugar um carro. Além disso, não precisamos agendar visitas antecipadamente ou correr com reservas.

Regra clara: Brunello di Montalcino deve ser 100% Sangiovese, da região, envelhecer por 3 anos em carvalho e mais 6 na garrafa

Para quem tem tempo e alguns ‘dinheuros’ a mais, recomendo uma olhadinha no site da vinícola Villa Dievole, que tem um resort de vinhos! Provei um delicioso rosé Dievole 2010 em Siena me surpreendi ao visitar o site. O pacote Tuscan Flavors, por exemplo, inclui três dias (duas noites) no resort, incluindo café da manhã, tour com degustação e jantar com degustação,  por 480 euros para duas pessoas. Me parece um bom investimento.

Voltando à agência, próxima à Piazza del Campo, consegui reservar exatamente o dia da visita a Montalcino, em uma quinta-feira (alegria total).

Degustação da casa: Chianti Colli Senesi, Brunello di Montalcino 'Tradizione' e Supertoscano 'Quandrimendo' Vitanza

No tour Gran Brunello, o visitante passa uma tarde na comuna de Montalcino, conhecida mundialmente pela produção do premiado Brunello di Montalcino. O vinho, elaborado exclusivamente com uvas Sangiovese da região, foi batizado de ‘Brunello’ pela família Biondi Santi, no século 19, devido à cor escura da variedade ‘grosso’, além de ter sido o primeiro a receber a Denominação de origem controlada e garantida (DOCG).

No caminho, de uma hora e meia, fomos degustando a paisagem da região, com seus lindos campos verdes recheados de vinhedos. Interessante notar que cada fileira de videiras era finalizada com belíssimas roseiras. Mas por trás do detalhe charmoso, está uma ferramenta para proteger o cultivo das uvas, já que as pragas se manifestam primeiro nas rosas.

Pecorino da região (suave e macio) e azeite produzido só para consumo da família acompanham a degustação

A primeira parada, e mais deliciosa, foi a visita às instalações da jovem vinícola Tenuta Vitanza, que iniciou sua produção em 1994 e oferece diferentes blends de Brunello di Montalcino. O Brunello de 1995 já recebeu altos pontos da Wine Spectator (93) e colocou a Vitanza em evidência no mercado.

O Brunello tem regras claras. Deve ser armazenado por três anos em barricas de carvalho francês e por mais seis anos em garrafa. E nada de plantar outro tipo de uva, que não seja Sangiovese no terreno. “Os inspetores aparecem às vezes, de surpresa”, contou Lilian, sobrinha dos donos da vinícola e responsável pelos tours. “Se encontrarem uma vinha sequer de outra casta, você está desclassificado”.

Lilian, a sobrinha dos donos da Tenuta Vitanza, conduz o tour e a degustação pelo mundo dos vinhos toscanos

Na sequência são degustados três vinhos da casa: Chianti Colli Senesi (‘Colinas de Siena’), Brunello di Montalcino ‘Tradizione’Super Toscano ‘Quandrimendo’ Vitanza. Este último é elaborado com 50% Sangiovese e 50% Merlot, uva preferida de Rosalba Vitanza, segundo sua sobrinha Lilian, que está entre os seleto grupo de dez funcionários da vinícola.

Os três vinhos eram muito bons, mas em primeiro lugar ficou o Brunello, redondo, encorpado, perfeito e tudo mais. O Chianti também era ótimo, mas não chegava ao nível da atração da casa. O Super Toscano da tia Rosalba era interessante, mas o que vale nesta categoria é a criação do produtor. Segundo Lilian, há supertoscanos com sete uvas diferentes. Nem sempre o resultado é ‘super’.

Café dos Biondi Santi, os criadores do 'Brunello', no centro de Montalcino

Após a degustação, acompanhada de suave queijo pecorino da região, que eu queria muito levar pra casa, e azeite produzido para consumo da família, é possível adquirir os vinhos provados a preços extremamente animadores. O Brunello di Montalcino Vitanza 2005 custa 22 euros. Meia garrafa da safra 2003 sai por 10 euros.

No Brasil, os vinhos da Tenuta Vitanza são comercializados pela importadora Magnum e os preços começam em R$ 200. É de chorar, mas o fato é que eu estava de mochila e tinha uma longa viagem pela frente. Pelo menos trouxe meia garrafa do Brunello 2003, que veio bem agasalhada nas milhas blusas e chegou intacta.

Depois da degustação, um café e um docinho na cidade dos vinhos encantados

O passeio inclui uma parada pela histórica Abadia de Sant´Antimo, construída no século 10, onde monges entoam cantos gregorianos todas as manhãs.  O interior extremamente simples e medieval, destoava dos duomos grandiosos das capitais italianas, mas ao contrário destas, me pareceu um lugar realmente sagrado. O jardim ao redor era tão agradável que ficamos fazendo fotos e atrasamos a excursão.

A última parada, ao cair da tarde, foi a cidade de Montalcino, repleta de lojas com ofertas tentadoras de rótulos locais. Reserve um tempo para um café ou uma taça de vinho no Caffé Fiaschetteria Italiana 1888, fundado pelo próprio Ferruccio Biondi Santi, inventor do Brunello. A enoteca, nos fundos, oferece o Brunello da família por 85 euros a garrafa.

Brunello da família Biondi Santi (85 euros). Lojas oferecem embalagens reforçadas para quem se empolgar nos vinhos para viagem

Para quem não resistir à tentação de embrulhar alguns Brunellos para viagem, as lojas oferecem embalagens reforçadas com isopor. A Enoteca La Fortezza Di Montalcino, localizada no interior da fortaleza da cidade, é uma delas. O lugar é lindo e merece uma visita.

A dica do tour em Montalcino também está na coluna Blue Chip, do Valor Econômico, de 28 de junho.

Caffé Fiaschetteria Italiana 1888
Piazza del Popolo, 6 – Montalcino, Siena, Itália 

Tel.: +39 0577 849043

Enoteca La Fortezza Di Montalcino
Piazzale Fortezza – Montalcino, Siena, Itália
Tel.: +39 0577 849211

Wine and Tours
Via Casato di Sotto, 12 – Siena, Itália
Tel.: +39 0577 46091

Os encantos de Siena

junho 19, 2011

Siena é um convite à 'dolce vita'. Entardecer na Piazza Del Campo, uma taça de Brunello di Montalcino e outra de pinot grigio

Siena é uma encantadora cidade medieval na Toscana. Depois do agito de Roma, pegamos o trem para lá e a ideia inicial era ficar um dia, seguindo viagem por outras cidadezinhas da região. Na primeira vista do alto da cidade, largamos as mochilas e nos apaixonamos. Encontramos o Bed & Breakfast Le Camerini Di Silvia, em uma residência típica toscana, e namoramos Siena por quatro dias.

Veja mais fotos das delícias de Siena no Flickr do Braun Café.

Dentro dos muros da cidade antiga, em cada cantinho há um lugar especial. Pelas ruas de pedra (sem calçada), você encontra o quitandeiro, o sapateiro, o artista em seu atelier, o confeiteiro e por aí vai. E entre uma viela e outra, de vez em quando, há uma surpreendente vista dos verdes campos toscanos. Inacreditável.

Prosciutto e pecorino no Trattoria Fonte Giusta, com uma garrafa de Chianti, ao fundo.

A culinária local é vasta e deliciosa. Começamos por um jantar na Trattoria Fonte Giusta, localizada na rua Camollia, onde estão as principais lojas da cidade. Entre elas, tentadoras vitrines de massas, vinhos  e doces como a torta de frutas e castanhas Panforte, uma especialidade local (as docerias vendem embalagens pequenas de diferentes sabores para presente. Não deixe de trazer).

A porção de presunto cru, macio e saboroso, e pecorino da região estava divina. O pão italiano muito macio também nos surpreendeu (bem melhor do que o pão duro de Roma). Já o Chianti que pedimos (10 euros a garrafa) podia ser mais fresco. Estava calor e serviram o vinho na temperatura ambiente. Tristeza.

Panforte, a torta medieval de Siena. Vontade de ter uma mala só de doces, malas e vinhos para trazer de Siena

Experimentamos boas massas na trattoria: o pici (um spaghetti mais grosso, tradicional de Siena) com ragu de javali e fetuccine com ragu de pato.

O agito da cidade, que tem duas universidades, está na Piazza del Campo, com seu belo Palazzo Comunale, rodeado de pássaros ao entardecer. É um convite irrecusável a uma taça de vinho (7 euros, em média).

Pizza com presunto speck e mascarpone na Piazza del Campo

Os restaurantes e bares ao redor são bem turísticos e caros, mas não resisti a uma pausa para relaxar e apreciar a vista. Por lá dividimos uma saborosa pizza com presunto speck e mascarpone (10 euros) e duas taças de vinho (Brunello di Montalcino e um refrescante pinot grigio). Valeu a pena.

Vinhos da região são muitos e estão por toda parte. Entre uma esquina em outra encontramos o Le Bonfà di Giangio, uma salumeria e enoteca muito agradável, onde provei um excelente rosé Dievole Rosato 2010 (100% sangiovese)  na temperatura certa. A vinícola Dievole conta com um ‘hotel e wine resort‘, que deve ser sensacional. Fica para a próxima…

Delicioso rosé de sangiovese da toscana Dievole, que tem um resort de vinhos...

Os sandubas de frango empanado e hambúrguer do bar mataram a fome, mas não empolgaram. O negócio é ficar nas taças de vinho com uma porção de frios e queijos locais, deixando o tempo passar.

Entre um passeio e outro, um gelatto sempre vai bem. A vitrine da gelateria Brivido é uma tentação. Desta vez, o sorvete de chocolate foi acompanhado do sabor creme inglês. Muito bom.

Um sorvete 'piccolo' de chocolate e creme inglês da Brivido.

Wi-Fi grátis é raridade nos estabelecimentos de Siena. Felizmente conhecemos o Zest Cafe Winebar, ao lado do santuário de Santa Catarina (di Siena). O café oferece internet grátis aos clientes, comidinhas e massas rápidas e carta de vinhos interessante. Provei uma deliciosa tortilla espanhola de salmão com aspargos e salada. O Dexter ‘mangiou’ um penne ao sugo com manjericão e ficamos felizes da vida navegando na internet.

Tortilla espanhola de salmão e aspargos do Zest. Wi-Fi grátis, ótimo atendimento e carta de vinhos convidativa

O simpático Giacomo abriu o Zest há dez meses e apostou em um ambiente mais moderno, que contrasta com os estabelecimentos da cidade. Vale fazer uma pausa para um lanche, café ou uma tacinha de vinho com mix de presuntos e salame. O atendimento é nota dez.

A festa do caracol
Siena é famosa pelo Palio, uma corrida de cavalos disputada entre as 17 ‘contrade’ (comunidades ou bairros) da cidade. Cada contrada possui uma bandeira e um animal como referência. Por conta disso, a cada esquina, o viajante encontra uma estátua,  fonte ou azulejo simbolizando uma pantera, águia, tartaruga, caracol etc., que marca os limites da comunidade.

Festa da contrata do caracol. Momento veramente italiano

Nossa hospedagem ficava na contrada do caracol (Chiocciola), que estava promovendo uma ‘quermesse’ praticamente no quintal do B&B. A dona ficou preocupada e nos alertou sobre o barulho, mas queríamos mesmo era entrar na festa.

Nos acomodamos em uma das longas mesas de madeira ao ar livre, bem no estilo ‘Poderoso Chefão’, e provamos o cardápio fixo servido em pratinhos de plástico. Dividimos o prato de churrasco (bisteca, costelinha e uma linguiça ‘toscana’ sensacional), penne ao ragu de carne de boi com cogumelos e um acompanhamento simples e divino: grão de bico cozido, refogado com azeite e alecrim. Esse eu vou fazer em casa.

Grão de bico refogado no azeite com alecrim. Simples e delicioso

Depois do jantar ‘veramente italiano’, acompanhado do vinho tinto da quermesse, o aroma de Nutella me conduziu à barraquinha de crepes para finalizar a celebração. Depois me arrastei feito um caracol para o B&B.

Em Siena há agências especializadas em tours pelas vinícolas de Chianti, Montalcino e Montepulciano.  No próximo post, conto tudo sobre a visita à terra do Brunello.

Gelateria Brivido
Via Pellegrini 1 – Siena, Itália
Tel.: 0577 280058

Le Bonfà di Giangio
Via Casato di Sopra, 10 – Siena, Itália
Tel.: +39 057 746 766

Trattoria Fonte Giusta
Via Camollia, 102 – Siena, Itália
Tel.: +39 057 740 506

Zest Cafe Winebar
Costa di Sant´Antonio, 13 – Siena, Itália (em frente ao Santuário de Santa Catarina de Siena)
Tel.: +39 057 747 139

Dica extra: bem em frente ao café Zest há um beco. Siga esse beco e você sairá em uma área incrível com diversas opções de restaurantes bacanas. Depois me conte…

%d blogueiros gostam disto: