Vila Madalena marroquina

março 11, 2012


A culinária marroquina é bem representada no prato principal do Tanger para o almoço da São Paulo Restaurant Week 2012. O evento que reúne mais de 200 restaurantes com cardápios em promoção, na capital e no interior  de São Paulo, vai até o próximo domingo dia 18 de março. Veja também o post do Blú Bistrô na Restaurant Week 2012.

O tagine de frango com amêndoas e ameixas (Coxa e sobrecoxa de frango cozidas com canela, gengibre, ameixas e amêndoas) servido com couscous marroquino estava especial e valeu por todo o cardápio promocional de almoço, que custa R$ 31,90 (além da doação de R$ 1 para a Associação Comunitária Monte Azul). Continue lendo »

Risotto di Salmone con Pisseli do Vicolo Nostro (cubos de salmão, ervilhas frescas e hortelã)

Depois do Obá, a ‘maratona’ do Braun Café na 8ª São Paulo Restaurant Week 2011 passou pelo italiano Vicolo Nostro, o chinês Ping Pong e o francês Robin de Bois. A temporada paulista de cardápios promocionais em 300 restaurantes da capital e 12 cidades paulistas termina neste domingo (3/4), mas deve voltar no segundo semestre.

Juntei neste ‘toast’ minhas impressões de mais três restaurantes visitados e algumas considerações gerais para quem quiser arriscar uma reserva aos 45 do segundo tempo ou já ficar de olho na próxima temporada.

“Vale a pena participar da Restaurant Week?”, perguntei ao sócio-proprietário do Robin de Bois enquanto esperava minha irmã para o jantar, na última quinta-feira. “Vale sim porque você divulga o restaurante e muita gente volta”, disse Otávio. “E o preço do nosso cardápio não está tão acima da promoção. É possível fazer uma refeição por R$ 45 em um dia normal, com entrada e prato principal, que é bem servido, ou prato principal e sobremesa”, comparou.

Opção no cardápio promocional do Vicolo Nostro: Tortelloni d' Agnello (massa fresca recheada com cordeiro ao molho cremoso de sálvia)

Em seu segundo ano de Restaurant Week, o proprietário do bistrô aberto há três anos também fez uma observação interessante: “Se você não entrar na Restaurant Week, prepare-se para ficar com o restaurante vazio por duas semanas… Pode até aproveitar para fazer uma reforma (rs)”.

Levantei a questão após ter lido uma entrevista da chef Paola Carosella do Arturito, que estreou na SPRW com reservas esgotadas antes do início do evento. A chef criticou o evento  dizendo que os preços praticados na Restaurant Week são muito baixos, levando restaurantes a oferecer produtos de qualidade inferior.  Pelo que pude provar em dois ótimos jantares no Robin de Bois e no Obá, por exemplo, o argumento pode ser descartado. Como disseram amigos “ninguém é obrigado a participar”. E se participar, que seja para fazer bonito e atrair clientes depois da promoção.

Ping Pong: saladinha de agrião com shitake e Pork puf (massa folhada com recheio de mignon suíno, coberta com mel e gengibre)

E vale a pena sair de casa às 11h, se perder no Brooklin para chegar às 12h no caro e bem cotado Vicolo Nostro, sem perder a reserva? No meu caso e da amiga Cecília, a aventura compensou pelos ótimos pratos principais: Risotto di Salmone con Pisseli (com cubos de salmão, ervilhas frescas e hortelã) e  Tortelloni d` Agnello (massa fresca recheada com cordeiro ao molho cremoso de sálvia).

A salada caprese estava boa, mas nada espetacular (a gente faz em casa). Já a salada de folhas com croutons feitos de polenta frita mostrou criatividade dentro do orçamento. As sobremesas  (ambrosia e banana flambada com sorvete de creme) estavam gostosas, mas nada de mais. O que me deixou surpresa foi o serviço tão rápido a ponto de servirem as entradas antes das bebidas, claramente um sinal de que a clientela precisava ‘circular’.

O melhor do Ping Pong: bolinhos de massa fina ao vapor recheados de carne de caranguejo e camarão, frango e castanha e camarão e broto de bambú

Percebemos a pressa, mas não demos muita bola. Para celebrar a aventura, arriscamos um rosé francês que custou o almoço das duas (R$ 59), mas era a melhor relação custo-benefício que encontrei. Estava leve e refrescante, perfeito para o ‘almoço do meio-dia’ no sábado. O café com muitos docinhos também foi uma ótima pedida (R$ 5) fora do cardápio. Voltarei ao Vicolo fora da SPRW? Difícil. A maioria dos pratos do cardápio regular custa entre R$ 50 e R$ 80.

No domingo passado foi a vez do chinês Ping Pong. Cheguei às 13h pontualmente e minha reserva estava lá. Como fui sozinha peguei uma mesa no balcão e pude acompanhar a chef Paula Villas Boas dando saída nos pratos para o restaurante lotado por conta do evento. Também fiquei observando o preparo dos bolinhos ‘dim sum’ feitos em recipientes de bambu, furadinhos, em plataformas de vapor.

Mousse de capim santo com gelatina de maracujá também agradou no Ping Pong. Atendimento não foi tão doce para alguns clientes.

A porção de três pequenos bolinhos com massa finíssima semelhante à do guiozá e recheios de caranguejo, frango e camarão foi o que mais agradou no amplo cardápio elaborado pelo Ping Pong. A saladinha de folhas de agrião com shitake, tiras de cenoura e gergelim também estava saborosa.

Na sequência vieram os fritos – Rolinho primavera com legumes e Crispy prawn ball (Camarões fatiados com cebolinha em macarrão de fios de ovos) -, o assado Pork puf (Massa folhada com recheio de mignon suíno, coberta com mel e gengibre), os bolinhos no vapor e ainda uma cumbuca de arroz a base de leite de coco com molho de frango (um pouco salgado). Achei o cardápio bem farto, mas meio carregado. Valeu pelos delicados bolinhos e pela sobremesa (mousse de capim santo com gelatina de maracujá).

Tartare de Saint Pierre com saladinha de rúcula e chips de batata. Boa comida e simpatia no Robin de Bois

O atendimento do Ping Pong foi correto, porém um pouco tenso. Compreensiva, cheguei a levantar da cadeira e ir direto ao balcão para pedir outra água – os garçons perceberam e pega mal para eles. Já duas amigas, que estiveram por lá esta semana, quase partiram para o Kung-Fu. A reserva não tinha sido anotada e as duas quase imploraram pelo atendimento “do refri ao cafezinho”, contou a Simone.

Um belo dia, quando a equipe estiver mais tranquila, pretendo voltar ao Ping Pong fora da SPRW para provar os combinados de bolinhos, que parecem acessíveis (R$ 30 a R$ 40), e os chás florais chineses – outro destaque da casa.

Clássico Boeuf Bourguignon com purê de batata e couve crocante

Finalmente, meu espírito ‘Magali’ sossegou na última quinta-feira em um lugar que eu queria muito conhecer, e que superou minhas expectativas: o bistrô Robin de Bois. De cara me encantei com e clima e a decoração do lugar, inspirado na matriz nova-iorquina que começou como antiquário há 11 anos. A simpatia e atenção do dono da casa, em plena loucura de Restaurant Week, o bom-humor dos garçons e, é claro, a comida saborosa e bem preparada me conquistaram.

A casa também oferece diversas opções interessantes de vinhos em taça e mini garrafas (R$ 14 a R$ 18 em média). Uma taça do adorável Figaro Rouge rosé foi minha escolha (R$ 14) para o jantar. Destaque para o bem temperado tartar de saint pierre com salada de rúcula, o boeuf bourguignon acompanhado de purê de batata e couve crocante e o filé de saint pierre ao molho de maracujá acompanhado de purê de batatas com gengibre.

Le Moules - Mariscos cozidos ao molho Robin (creme de leite, vinho branco e tomate). Há opções de molho ao curry e com leite de coco

Nas sobremesas, a torta de maçã ‘invertida’ (massa crocante quente com canela sobre lâminas de maçã cremosa) ganhou do gateau de chocolate meio-amargo com creme inglês. Falando em doces, o bistrô fica ao lado da Maria Brigadeiro e também oferece no cardápio os quitutes ‘gourmet’ da vizinha para a hora do café.

O único porém do Robin de Bois é a proximidade das mesas para dois (quase entrei no bate-papo sobre música com o casal ao lado). A aproximação faz certo sentido nos bistrôs apertadinhos, mas acho que o restaurante tem espaço para dar mais privacidade aos clientes.

E finalmente, tive mais uma surpresa fora do cardápio do bistrô. Matei a curiosidade e a vontade de comer uma das especialidades da casa: Le Moules (tenros e deliciosos mariscos ‘lambe-lambe’ à moda francesa cozidos em molho de vinho branco, creme de leite fresco e pedacinhos de tomate). A porção farta (R$ 38) acompanha fritas crocantes e fatias de pão ‘tipo italiano’ macio e quentinho. Quase desisti do menu da Restaurant Week para pedir mais. Vale dar uma ligada antes para checar se é dia de mariscos.

Ping Pong – Rua Lopes Neto , 15 – Itaim Bibi – São Paulo (SP). Tel.: (11) 3078-5808

Robin des Bois – Rua Capote Valente , 86 – Pinheiros – São Paulo (SP). Tel.: (11) 3063-2795

Vicolo Nostro – Rua Jataituba , 29 – Jardim das Acácias – São Paulo (SP). Tel.: (11) 5561-5287

Lulas à Provençal com risoto de açafrão e aspargos do Limonn (Foto: Luis Simione/Arquivo SPRW)

Promoções de restaurantes deram tão certo em sites de compras coletivas que temos praticamente uma eterna temporada de descontos gastronômicos. Até o empresário que trouxe a Restaurant Week ao Brasil pegou um jacaré nessa onda e hoje também encontramos serviços temáticos dedicados aos descontos da boa mesa.

Mas a São Paulo Restaurant Week não perde o charme. De 21 de março a 3 de abril você pode descobrir um restaurante bacana que caprichou no cardápio e no atendimento para conquistar clientes – ou aquele que entrou no embalo, não segurou a onda e nunca mais lhe verá novamente.

Mix do Ping Pong inclui camarões fatiados com cebolinha em macarrão de fios de ovos e massa folhada com recheio de mignon suíno coberta com mel e gengibre (Foto: Luis Simione/Arquivo SPRW)

Em sua primeira temporada de 2011, a 8ª São Paulo Restaurant Week virou estadual, passando a oferecer cardápios promocionais a preços fixos em 301 restaurantes de 12 cidades (São Paulo, Barueri, Campinas, Cotia, Embu, Guarujá, Ribeirão Preto, Santos, Santo André, São Bernardo do Campo, São José dos Campos e São Sebastião).

O evento também ganhou aplicativo ‘Restaurant Week 2011‘ para iPhone, iPad e iPod Touch com os cardápios, serviços e mapas dos restaurantes participantes. Há uma versão do site adaptada a dispositivos móveis, que está entrando em operação esta semana. É uma boa porque navegar pelos restaurantes no site tradicional está uma dureza (e testei em três navegadores!).

Salada de verduras assadas na brasa, coalhada caseira, dill, rúcula e alho é uma das entradas do Arturito (Foto: Rafael Weinberg/Arquivo SPRW)

Os menus com entrada, prato principal e sobremesa saem por R$ 29,90 no almoço e a R$ 39,90, no jantar. Vale lembrar que bebidas, serviço e couvert são cobrados separadamente (fique de olho nos preços e confira as dicas do Braun Café para não entrar em roubadas).

Entre os 233 restaurantes na capital paulista, nesta temporada senti falta do AK Delicatessen, que segundo a chef Andrea Kaufmann está prestes a ser reinaugurado na Vila Madalena. “Pena mesmo não estar nesse SPRW, mas  tem casas bem legais como o Arturito, o sempre bom Obá e o Marcel!”, diz Andrea.

'Riso Nero' do Buttina: doce siciliano de arroz arbóreo, amêndoas e chocolate. Finalizado com biscoito e Limoncello (Foto: Luis Simione/Arquivo SPRW)

O Arturito, de influência europeia, é um dos estreantes da SPRW ao lado do Taizan – minha referência desde criança de comida chinesa -, dos italianos La Dolce Vita e Forneria San Paolo, do novo toscano Villa Cioè, e do Portal da Coreia, primeiro coreano a participar do evento.

Veja aqui uma lista de dez restaurantes testados pelo Braun Café e/ou pelos leitores na edição anterior da São Paulo Restaurant Week, e que continuam no evento (os links levam aos cardápios desta temporada):

Buttina
Rua João Moura , 976 – Pinheiros. Tel.: (11) 3083-5991
(Delicioso italiano em uma casa sensacional. O spaghetti de cacau é incrível, mas acho que vale testar o menu na SPRW)

Carlini – Mooca (almoço e jantar)
Rua Dona Ana Néri , 265 – Mooca. Tel.: (11) 3208-2024
(Ótimo italiano tem mais dois endereços recentes em Perdizes e na Vila Madalena. Veja o post do Carlini)

Caroline – (almoço e jantar)
Rua Oscar Freire, 145 – Jardim Paulista. Tel.: (11) 3068-0601
(Muito bem recomendado pelos leitores)

Emprestado Restaurante (menu almoço e jantar)
Rua Mourato Coelho , 992 – Pinheiros. Tel.: (11) 3034-0214
(Elogiado pelo menu criativo e saboroso, apesar das trapalhadas no atendimento)

Ganesh (almoço e jantar)
Av. Roque Petroni Jr , 1089 (Shopping Morumbi – loja 20 – piso lazer). Tel.: (11) 5181-4748
(Para a leitora Cris Sato esse indiano ‘sempre vale a pena‘)

Limonn (almoço e jantar)
Rua Manuel Guedes, 545 – Itaim Bibi. Tel.: (11) 2533 7710
(Só elogios. Esse eu quero conhecer nesta temporada)

Obá Restaurante (almoço e jantar)
Rua Melo Alves , 205 – Jardins. Tel.: (11) 3086-4774
(Delicioso veterano da SPRW. Foi um dos meus primeiros posts na SPRW em 2008)

Ping Pong (almoço e jantar)
Rua Lopes Neto , 15  – Itaim Bibi. Tel.: (11) 3078-5808
(Cardápio criativo agradou na última SPRW, apesar da falta de privacidade entre as mesas)

Seraphini (almoço e jantar)
Alameda Jaú , 1303 – Jardins. Tel.: (11) 3081-1160
(Bem avaliado dentro da SPRW e fora da temporada. Veja post do menu executivo)

Vinheria Percussi

Rua Cônego Eugenio Leite , 523 – Pinheiros. Tel.: (11) 3088-4920
(Italiano de primeira, com bela carta de vinhos. Meu amigo Pedro, ‘objetivo chef’,  esteve por lá na SPRW e recomenda)

Outros restaurantes da lista que despertaram curiosidade foram o bistrô Robin de Bois, o italiano Dolce Villa, que visitei uma vez há muitos anos, e o Becco 388, que oferece um risoto bem interessante.

Ops… crepe de vidro: o bistrô Crepe de Paris decepcionou nossa leitora Michelle na última SPRW. Saiba mais sobre esse episódio.

"Carpe Diem": delicioso rosé chileno acompanhando o último almoço na Restaurant Week 2010

A Restaurant Week 2010 já acabou em São Paulo, mas preciso registrar aqui minhas impressões sobre o almoço promocional no Lola Bistrot, que foi bastante agradável. Vale como dica de bons restaurantes para a próxima temporada paulistana do evento, que deve ocorrer em março de 2011.

O Lola é um bistrô com preços mais elevados e um bar de vinhos bem bacana, na Vila Madalena. Já estava de olho nele há um tempo, chequei o cardápio promocional do almoço e consegui garantir minha reserva no último sábado. O garçom não fez cerimônia e já ofereceu, de cara, o menu da Restaurant Week, mas pedi para dar uma olhada da carta de vinhos.

Mini croque monsieur com saladinha verde e vinagrete de siciliano

Quem me acompanhou foi a amiga Ciça, que também é parceira de Restaurant Week, e escolheu um ótimo vinho para celebrar: o rosé chileno “Carpe Diem”. A bebida de sabor alegre e refrescante fez jus ao nome e ao momento. A carta também oferece o vinho em taça (R$ 16), mas a garrafa (R$56) compensava mais.

Musseline de mandioquinha ao funghi e azeite de ervas. Simples, saboroso e criativo.

Na entrada, Ciça pediu o Mini croque monsieur com saladinha verde e eu fui de Musseline de mandioquinha ao funghi e azeite de ervas. Ambos estavam ótimos e muito bem apresentados. Gostamos muito do delicado creme de mandioquinha servido em um copo de vidro. Uma entrada simples e saborosa para fazer um charme em casa.

Destaque do almoço: Brandade de bacalhau com purê de salsa francesa, castanha e tapenade, servido com folhas de couve refogadas e um toque de pimenta biquinho

Entre duas opções de pratos principais, o destaque ficou com a Brandade de bacalhau com purê de salsa francesa, castanha e tapenade, servida com folhas de couve levemente refogadas e pimenta biquinho para dar o toque final. Um prato delicioso, leve e diferenciado com as castanhas. A escolha da Ciça agradou tanto que já demos a dica à querida Iara, que encontrei por lá. Ela e a amiga aprovaram.

Cordeiro braseado com polenta mole, cogumelo crocante e funghi

Minha opção foi o Cordeiro braseado com polenta mole, cogumelo crocante e funghi. Estava ótimo, mas achei a brandade mais interessante.

Na hora sobremesa, a escolha não foi difícil já que a outra opção era ‘fruta da estação’. Neste ponto achei pouco criativo oferecer fatias de abacaxi. Escolhemos a Maçã crocante, uma espécie de compota de maçã com canela, servida em uma finíssima massa crocante, com um toque de chantily e uma folhinha de hortelã. Doce na medida certa e muito bem montada.

Compota de maçã com canela, servida em uma fina massa crocante, com toque de chantily e folha de hortelã

Após um expresso com pedido de ‘bolachinhas extra’ (tática que Ciça emprega sem medo quando gosta da bolachinha servida junto ao café) saímos satisfeitas e felizes em um sábado de ‘carpe diem’.

Lola Bistrot: Rua Purpurina, 38 – Vila Madalena – São Paulo (SP). Tel.: (11) 3812-3009 (Segunda a sexta das 12h às 15h. Sábado e Domingo das 13h às 16h).

Dicas dos leitores
Aproveito o ‘toast’ para agradecer comentários publicados pelos leitores do Braun Café que fizeram suas maratonas gastronômicas e deixaram impressões por aqui. Agradeço especialmente Cris Sato, Thais e Mirela pelas dicas preciosas e pelos alertas como o da Michelle que ajudarão a orientar nossas escolhas na próxima Restaurant Week. Obrigada e voltem sempre!

Update – O Maria Lima Bistrô apresentou um cardápio interessante e sofisticado na Restaurant Week. A amiga Flávia adorou e fez fotos do almoço para o Braun Café.

A Restaurant Week 2010 continua em outras capitais: Belo Horizonte (13 a 26 de setembro), Curitiba (27 de setembro a 10 de outubro), Rio de Janeiro (18 a 31 de outubro) e Recife (15 a 28 de novembro), Porto Alegre (15 a 28 de novembro) e Salvador (22 de novembro a 5 de dezembro).

Osteria: semifredo ao capuccino com 'ragú de frutas vermelhas'. Se criassem uma 'Dessert Week' seria uma sucesso

Sexta e sábado experimentei os cardápios promocionais de dois italianos participantes da 7ª São Paulo Restaurant Week, que acontece até 12 de setembro na cidade. O jantar do tradicional Don Carlini, na Mooca, estava excelente e o menu do Osteria foi bem executado, mas o que me chamou mais a atenção foram as sobremesas.

Entre as opções oferecidas pelo Don Carlini estava um maravilhoso pudim de pão, acompanhado de sorvete de creme e de uma calda de laranja que fez toda a diferença. Vou dar a dica para minha Tia Loque, que me apresentou seu delicioso pudim de pão com cravo e passas, na infância. Nem preciso dizer que saí do restaurante feliz como uma criança.

Sensacional 'Budino di pane' do Don Carlini na Restaurant Week 2010

No Osteria, o ponto alto do almoço, fora das cervejas importadas, foi o semifredo ao cappuccino extremamente cremoso e perfeito com a calda de frutas vermelhas. Pena que o doce tinha quase um ‘tamanho degustação’.

Bem que a organização do evento podia criar uma ’Dessert Week’. No fim das contas, ou melhor, antes delas, não costumo pedir sobremesas toda vez que vou comer fora. Acho que o cardápio completo acaba trazendo deliciosas surpresas no final, honrando patissiers e profissionais destas praças.

Carpaccio milimetricamente fatiado, com rúcula, molho de alcaparras, pedacinhos de alcachofra e parmesão

Voltando às entradas, fui ao Don Carlini da Mooca por ser o mais tradicional, mas há duas casas na Zona Oeste (Vila Madalena e Perdizes). Fiz minha reserva para jantar em uma sexta-feira, na véspera de um feriado prolongado, então peguei o maior trânsito da história até o começo da Radial Leste.

Embora a região da Rua Dona Ana Neri não seja lá muito amigável, o clima da ‘famiglia italiana’ do local aberto há 25 anos fez tudo valer a pena.  Na entrada, havia uma festa [de casamento, creio eu] com banda ao vivo tocando somente clássicos italianos. É praticamente impossível não recordar de ‘Don Corleone’ diante daquele cenário decorado com painéis de tecido imitando ruas da Itália, das crianças brincando do lado de fora, das bandeiras de províncias italianas e de tudo mais “Michael…”.

Paleta de leitão assada com batata doce, alho assado e legumes em cartoccio. (Sorry pelo flash, mas é duro fotografar à luz de velas)

Fui conduzida ao salão principal do restaurante, iluminado à luz de velas – uma pena para a iluminação das fotos, mas muito romântico – e onde o som do ‘Arrivederci Roma’ não chega. Para embalar o momento, em uma noite quente e seca, optei por um refrescante Lambrusco (R$ 41), com baixo teor alcoólico (8%), que acompanhou bem o jantar.

Entre as opções do menu promocional, escolhi um gostoso carpaccio fatiado milimetricamente com molho de alcaparras, pedaços de parmesão e algumas alcachofras.

Cabrito à moda do cardápio regular (R$ 49). Leve fetuccini da casa no lugar de batatas e arroz

Depois de provar o levíssimo fetuccini na manteiga que acompanhava o macio cabrito escolhido pelo Fábio (R$ 49) suspeitamos que o pessoal da cozinha adote o método ‘Bons Companheiros’ de corte (cena em que um dos mafiosos, na prisão, corta o alho com uma lâmina para preparar o jantar). A massa fez tanto sucesso que comprei um pacote (R$ 9) na lojinha do Carlini, que vende massas frescas, secas, molhos e polpettines.

Opção do Don Carlini na Restaurant Week - Fettuccine com presunto cru, grana padano, salvia, radicchio e pinoli

Meu prato principal foi a Paleta de leitão assada e desossada servida com batata doce e legumes em cartoccio temperados com alho, tomilho e azeite. A carne envolva em uma crosta ‘tipo pururuca’ estava bem macia e suave. Os legumes não tinham tempero, mas minha amada abobrinha estava lá e uma cabeça de alho assado doce e cremoso deu um sabor especial ao prato.

Polpettinis, molhos e massas artesanais à venda no Don Carlini

Depois do pudim de pão sensacional e de um bom café fomos para casa contentes. O serviço foi atencioso e o poderoso chef do Don Carlini ainda ganhou pontos com o Fábio, ‘Don Bolsarini’. Para minha alegria, ainda ganhei um vale-sobremesa grátis no próximo jantar. Oba!

Salada Osteria (rúcula, radicchio, tomate rústico, mussarela de búfala, aliche e tapenagem de azeitonas pretas)

No Osteria, eu e Cecília tivemos o dia do ‘almoço grátis’ já que ela ganhou um ‘Vale-Restaurant Week’ para o local. Demorou um pouco para termos um garçom ligado em nossa mesa, mas depois acertaram no atendimento e pedimos a carta de cervejas. Sim, cervejas harmonizam com tudo, especialmente com um sábado de muito sol. A carta tem opções interessantes. Provamos a ótima tcheca 1765 (R$ 14 – 500 ml) e a saborosa e levemente frutada 8.6, da Holanda (R$ 12,90 a lata de 500 ml).

A holandesa 8.6 entre as opções de cervejas especiais do Osteria

Como o almoço era ‘free’ aceitamos o couvert (R$ 10) com pães variados (alecrim e pão de lingüiça) gostosa tapenade de azeitonas pretas e patê de ricota com manjericão. Optamos pela Salada Osteria (rúcula, radicchio, tomate rústico, mussarela de búfala, aliche, tapenagem de azeitonas pretas). Tempero com azeite de pimenta e azeite de manjericão. A outra opção seria polenta com molho à bolonhesa gratinada, mas nossa escolha principal já tinha polenta.

Galeto ao molho de tomates e cogumelos (ragú de Paris'), polenta cremosa e agriãozinho

O galeto com molho de tomates e cogumelos, polenta mole e agriãozinho estava bem saboroso. Eu até podia dizer que comi frango com polenta e que assim é fácil entrar na Restaurant Week, mas a comida estava bem preparada.  Especial mesmo foi o bate-papo com Cecília, além das cervejas e do semifredo. Talvez um dia a gente volte para repetir o doce.

Don Carlini – Rua Dona Ana Neri, 265 – Mooca – São Paulo (SP). Tel.: (11) 3208-2024. Estacionamento com manobrista (R$ 10). Também conta com unidades em Perdizes (Rua Monte Alegre, 835. Tel.: (11) 3801-3750) e na Vila Madalena (Rua Mourato Coelho, 1325. Tel.: (11) 3032-6881).

Osteria – Rua Manuel Guedes, 243 – Itaim – São Paulo (SP). Tel.: (11) 3073-1287. Estacionamento (R$ 12).

%d blogueiros gostam disto: