Medalhões de peito de frango com batatinhas e cogumelos puxados no azeite do português A Tasca da Esquina (Foto: Ciça Aidar)

Peito de frango com batatas e cogumelos puxados no azeite do português A Tasca da Esquina (Foto: Ciça Aidar)

A quinzena promocional de restaurantes que chegou ao país em 2007 e inspirou outras “Weeks”, em São Paulo, ainda traz algumas propostas atrativas. Uma delas é o português A Tasca da Esquina, que participa da São Paulo Restaurant Week com uma boa apresentação da casa em seu menu de almoço (R$ 35 + R$ 1 de doação para o Instituto Ayrton Senna).

Pelo que pesquisei nos menus desta temporada, que vai de 2 a 15 de setembro, vale mais a pena visitar os restaurantes no almoço, já que o menu do jantar custa (R$ 48 + R$ 1 de doação). Na prática, a conta do almoço com café, água e taxa de serviço vai para R$ 50, no Marcel, por exemplo, ou para R$ 70 se incluir uma taça de vinho, como no A Tasca. Dos restaurantes que fazem cardápios criativos, saborosos e honestos no almoço da Restaurant Week indico AK Vila, Nama Baru e Obá Restaurante.

Veja também:
Wolf’s Garten: um brinde à boa mesa na Restaurant Week
Blú Bistrô: o lado bom da Restaurant Week

Nhoque ao molho aromatizado de trufas é a entrada do francês Marcel (Foto: Priscila Dal Poggetto)

Gnocchi ao molho aromatizado de trufas é a entrada do Marcel (Foto: Priscila Dal Poggetto)

Fazer reserva e escolher um cardápio que realmente vale a pena são as dicas básicas para aproveitar melhor o evento. Só que, este ano, a navegação no site da SPRW está bem ruim para quem quer pesquisar opções entre 130 cardápios participantes. A Veja São Paulo fez um especial com dicas e divisão por tipos de cozinha, restaurantes estreantes e bairros, que dá uma boa ajuda (acesse aqui).

Outra dica é aproveitar o período para experimentar clássicos como o suflê de queijo do francês Marcel, uma das opções do almoço promocional ao lado da delicada entrada de gnocchi ao molho aromatizado de trufas, que quase rouba a cena do suflê. A casa também oferece o boeuf bourguignon com tagliatelle como opção ao suflê (veja o menu).

O clássico suflê de queijo do Marcel (Foto: Daniela Braun)

O clássico suflê de queijo do Marcel (Foto: Daniela Braun)

Cadê o camarão?
No geral, o almoço no restaurante A Tasca da Esquina, foi agradável. Só um porém na entrada: ao contrário da foto e do que diz o menu, a sopa fria de tomates com camarão e cebolete (veja o menu) tem “farofinha de camarãozito” e não camarões, de fato. De qualquer forma, a leve entrada com toque de creme de leite e azeite é saborosa – só faltou o camarão da foto.

Nos pratos principais,  embora a opção certeira em uma casa portuguesa seja o bacalhau às natas (delicioso, apesar das duas espinhas de brinde), não menospreze os tenros medalhões de peito de frango acompanhados de batatinhas assadas e molho com cogumelos puxado no azeite. Quase pedi um ‘replay’ do prato principal – talvez a porção pudesse ser um pouquinho maior também.

Sopa fria de tomates com farofinha de camarão do A Tasca da Esquina. Só faltou o camarão de verdade mostrado na foto de divulgação.

Sopa fria de tomates com farofinha de camarão do A Tasca da Esquina. Só faltou o camarão de verdade mostrado na foto de divulgação. (Foto: Daniela Braun)

O pudim de ovos com creme de laranja fechou bem o menu. Para quem não é muito chegado aos doces portugueses, a opção é um simples sorvete de chocolate com farofa de castanhas. Vale tomar um café expresso acompanhado de copinho de creme de arroz doce. (R$ 4,60)

A carta de vinhos viaja por todas as regiões produtoras de Portugal, só em garrafas. Se quiser uma opção em taça peça o cardápio ao garçom e prepare-se porque o preço é salgado: a taça de vinho verde, perfeita para o almoço, custou R$ 24.

Pudim com ovos e creme de laranja entre as sobremesas do A Tasca da Esquina (Foto: Daniela Braun)

Pudim com ovos e creme de laranja do A Tasca da Esquina (Foto: Daniela Braun)

Dica final: Se for em duas pessoas tente evitar reservar as três mesinhas no sofá, ao fundo do salão porque são muito próximas. Só é legal para fazer amizade com outros clientes.

No geral, valeu a pena aproveitar a Restaurant Week para conhecer um bom restaurante, que é exatamente a proposta do evento – e não criar cardápios baratos e sem criatividade, que fogem da proposta do lugar. A casa também oferece seu próprio menu executivo no almoço, de segunda a sexta. Os preços variam de R$ 53 para o cardápio com pratos do mar e R$ 43 para opções “da terra”, que incluem costelinha de porco, por exemplo.

Café expresso com creme de arroz doce do A Tasca da Esquina (R$ 4,60)

Café expresso com creme de arroz doce do A Tasca da Esquina (R$ 4,60)

Bocheca de vitelo e risoto de parmesão no jantar do Wolf's Garten durante a São Paulo Restaurant Week 2012

O austríaco Wolf’s Garten é um daqueles lugares especiais que fazem a São Paulo Restaurant Week (SPRW) valer a pena.  O evento acaba hoje, mas já recomendo a visita na próxima temporada deste ano. E quem não quiser esperar pode investir, sem medo, no cardápio da charmosa casa europeia, em Pinheiros. Veja todas as fotos no Flickr do Braun Café.

Este foi um dos meus melhores jantares das últimas temporadas de SPRW tanto pela qualidade da comida como pela simpatia e hospitalidade do chef Markus – já conhecido do Braun Café como personal chef de um inesquecível almoço, em 2010.  Continue lendo »

Bouquet de maçã verde, salsão, nozes e queijo de cabra fresco

A caminho de conhecer mais um novo restaurante na 9ª São Paulo Restaurant Week (SPRW), que termina neste domingo (18/09), os amigos Ciça e Paulo comentavam como era difícil encontrar um menu bem servido, mantendo a personalidade do restaurante entre os mais de 230 participantes do evento. Felizmente tivemos uma grata surpresa no francês Le Bou, no Itaim.

Em sua estreia na SPRW, o pequeno e charmoso bistrô mostrou que é possível apresentar pratos simples, saborosos, em porções adequadas, mantendo a linha francesa, mas com um toque brasileiro.

Tartine de salmão defumado, dill e suave creme azedo

Comecei com uma delicada tartine de salmão defumado, dill e suave creme azedo. Ciça elogiou o bouquet de maçã verde, salsão, nozes e queijo de cabra fresco. A chegada, até rápida demais, dos pratos principais não a impediu de saborear sua  saladinha até o fim.

A costelinha de porco, melaço, purê-rústico e escarola refogada pedida pelo Paulo surpreendeu. Imaginei uma ‘costelinha’ de feijoada, mas o prato exibia uma tenra carne rosada de porco acompanhada de um saboroso purê de batatas.

Costelinha de porco, melaço, purê de batatas rústico e escarola refogada surpreendeu

Para beber, água e um suave vinho argentino Uxmal, Malbec 2010 (R$ 45) – mais acessível para três pessoas do que as opções em taça (R$ 16 cada).

Filé ao poivre-vert, macio e ao ponto, acompanhado de simples e saboroso arroz com tomates

Entre as sobremesas, o creme caramel, na forma de um pequeno pudim, ao perfume de laranjas estava gostoso, mas os olhares da mesa se voltaram para o ‘ganache chocolat‘ com creme de cupuaçu, farofa de castanha de caju e um toque de chantily, pedido pela Ciça. Um expresso bem tirado finalizou o almoço, que saiu por cerca de R$ 70 para cada um. Bom preço para uma refeição gostosa e bem preparada. Nota dez.

Olhares para a ganache de chocolate, creme de cupuaçu e farofa de castanha de cajú

Le Bou
Rua Bandeira Paulista , 387 – Itaim Bibi
São Paulo – SP. Tel.: (11) 3078-7619      
Horário: Segunda a sexta das 12h à meia-noite. Sábado das 12h à 1h. 

Rede europeia traz fusão de sabores asiáticos e opções saudáveis

Apresentar especialidades da Ásia de forma criativa e até saudável é a proposta da rede europeia Nood, que está entre os participantes da 9ª São Paulo Restaurant Week (SPRW). Recentemente conheci a casa, aberta no ano passado, em um divertido jantar com amigos e optei pelo menu da SPRW (R$ 43,90), que reúne pratos do menu regular. Com certeza, o Nood vai entrar no meu cardápio de restaurantes em São Paulo.

Yaki udon: massa grelhada, com tenros camarões médios, pedacinhos de frango, tiras de pimentão e gengibre curtido

Confesso que, a princípio, achei simples demais ver uma espécie de yakissoba como opção de prato principal, mas a opinião mudou rapidinho quando provei o saboroso Yaki udon. A massa grelhada, com tenros camarões médios, pedacinhos de frango, tiras de pimentão e gengibre passou bem longe do macarrão oriental carregado de molho e óleo que conhecemos.

Ebi katsu: camarões empanados à moda japonesa com duas opções de molho (asiático e geleia de pimenta)

O Ebi katsu, uma das sugestões de entrada, também merece destaque. A porção traz quatro deliciosos camarões empanados à moda japonesa, servidos com duas opções de molho: geleia de pimenta e outro à base de maionese e mostarda com um toque de gergelim. Os bolinhos foram compartilhados com os amigos e aprovados.

Cremoso cheesecake de morango em calda azedinha de frutas vermelhas com 'corações'

As sobremesas da casa seguem o estilo europeu. Não deixe de provar o cremoso cheesecake de morango com calda de frutas vermelhas. Se possível leve mais uma pessoa contigo para dar uma colherada no hot apple crumble (pedaços de maçã e canela em crosta de farinha crocante quente) com sorvete de creme. Uma delícia.

Refrescante sangria branca é cortesia para os clientes às quintas-feiras

Vale notar que o cardápio do Nood traz opções acessíveis fora da temporada promocional. O almoço executivo, incluindo bebida e café, sai por R$ 34,90. E às quintas-feiras, o cliente é presenteado com uma refrescante sangria (recomendo a de vinho branco). A jarra custa R$ 49 normalmente. Entre os não-alcoólicos estão sabores interessantes à base de suco de maçã (de R$ 5,50 a R$ 6,50) como o Minto (maçã e hortelã) e o Raw (laranja, cenoura, pepino e maçã).

Kare lamen: curry de coco e citronela, típico da Malásia, com peito de frango grelhado, broto de feijão, pepino, limão e massa soba

Meus amigos não entraram na SPRW e partiram para outras iguarias da casa. O teriyaki de salmão estava no ponto certo e o Chan-han do Nood (arroz no wok com camarões, frango, cogumelos e milho) revelou um sabor especial. Para a próxima visita, o pedido já está na memória: Kare lamen (curry de coco e citronela, típico da Malásia, com peito de frango grelhado, broto de feijão, pepino, limão e massa soba). Hummm!

Nood Asian Food
Rua Pedroso Alvarenga, 890 – Itaim Bibi
São Paulo – SP. Tel.: (11) 2372-9700
Horário: Segunda a domingo, das 12h à meia-noite. 

'Pizza Pazza' é uma das opções de entrada no jantar da Vinheria Percussi durante a SPRW 2011 (Foto: Carol Fullen)

A Vinheria Percussi é uma das boas experiências na 9ª São Paulo Restaurant Week. Estive por lá ontem, com a amiga Carol Fullen, que parte para a Itália no fim da semana, em um delicioso bate-papo sobre dicas de viagem.

Nesta segunda edição da SPRW 2011, o cardápio promocional da casa, disponível somente no jantar (R$ 43,90), começa com o ‘Crespelle al pesto’. Acabei de saber no perfil da @Percussi que o delicioso crepe com creme de manjericão e molho de tomates foi resgatado do cardápio de 25 anos atrás. Outra opção de entrada é a ‘Pizza Pazza’, massinha de pizza crocante com berinjelas, tomate seco e queijo de cabra.

Crespelle al pesto: crepe de molho al pesto cremoso com molho de tomates

O couvert, vale lembrar, é cobrado à parte, assim como as bebidas e o serviço. A cestinha de pães (italianos e de azeite) com manteiga custa R$ 7,50 por pessoa. Na premiada carta da Vinheria há opções acessíveis em taça como o Montepulciano d’Abruzzo Chronicon DOC 2006 (R$ 12) e em garrafa como o suave Rupestro Cardeto 2009, da Umbria (80% Merlot e 20% Sangiovese), por R$ 55 – dica do simpático maitre Jonas Soares.

Orecchiette al ragu di costole

Nos pratos principais provei o saboroso e bem servido orecchiette, uma massa artesanal típica da região da Puglia, com leve ragu de costela de boi. A porção de risotto alla matriciana parecia mais modesta. Segundo a Carol, o prato estava gostoso, mas o ponto do arroz ficou bem ‘al dente’.

Risotto alla matriciana e bem 'al dente' com tomates, cebolas crocantes, pancetta e pimenta (Foto: Carol Fullen)

Na hora da sobremesa, a escolha foi rápida e certeira: Babá al rum. O delicioso e levíssimo pãozinho de ló com calda de laranja ao rum e creme estava perfeito. Eu até comeria mais um.

O café, também cobrado à parte, acompanha docinhos como o cantucci e o macaron de chocolate, que derrete na boca. O serviço da casa, que estava bem movimentada em tempos de SPRW, foi impecável.

Babá al rum: leve pãozinho de ló com calda de laranja ao rum e creme

Certamente, a Vinheria já preparou o paladar da Carol para suas experiências gastronômicas na Itália. Para mim foi um momento de deliciosas recordações.

Vinheria Percussi
Rua Cônego Eugênio Leite, 523 – Pinheiros – São Paulo (SP)
Tel.: (11) 3088-4920 

*Por Thais Cerioni

Becco 388, o favorito: Risoto de costela bovina desossada sem gordura, cozida lentamente no molho de vinho tinto coroada com onion rings

Nesta edição da RWSP, quase que sem querer, bati meu recorde de restaurantes visitados. Foram sete: quatro no almoço e três no jantar. Desses, três eu escolhi com antecedência, enquanto aos outros fui por não conseguir os que eu preferia, por indicação de amigos ou por casualidade mesmo.

Os escolhidos por mim foram Matriz Hamburgueria, Becco 388 e Obá – além do Entrecote de Paris e do Limonn, que gostaria de ter ido, mas cheguei até a porta e desisti por conta da espera.  Por acaso, tanto meu preferido quanto a grande decepção foram escolhas minhas.

A pior escolha: apesar das fritas, serviço atrapalhado do Matriz Hamburgueria deixou a mesa sem sobremesa

A pior escolha foi a Matriz Hamburgueria, onde almocei com colegas de trabalho na sexta (26/3). A batata frita de lá é excelente, o problema foi que ela chegou à mesa bem depois dos sanduiches (que são apenas OK, diga-se de passagem). Estávamos bem-humorados e não queríamos estresse, mas não deu pra evitar quando a conta demorou mais de meia hora para chegar à mesa e as sobremesas só vieram depois das máquinas de cartão. Obviamente, saímos sem comer o doce, nervosos e insatisfeitos.

Salada de erva doce laminada, gengibre japonês, gomos de laranja e lascas de parmesão do Becco 388

Na outra ponta do ranking está o Becco 388, que eu já conhecia, mas resolvi retornar durante a RWSP porque o cardápio me conquistou. Não só no papel. Certamente, foi o menu mais caprichado de todos os restaurantes que visitei e a execução, do couvert à sobremesa, estava impecável – impressão compartilhada pela amiga que estava comigo e escolheu todas as outras opções.

Destaque para o risoto de costela bovina com onion rings: simplesmente divino! Apesar de pequeno e “jovem” (tem pouco mais de um ano), o restaurante também não deixou nada a desejar em termos de serviço. Fica a dica para uma visita na próxima RWSP ou mesmo fora dela – nesse caso, prepare-se para uma conta salgadinha, mas que vale cada centavo!

Obá entre as boas pedidas da SPRW: Moqueca capixaba de peixe, leve e perfumada, com arroz, farinha e pirão

O Obá entrou na minha lista na última hora pela localização prática e pelo convincente post do Braun Café. Não vou me estender sobre ele, que já ganhou um post inteiro da Braun, mas vale destacar o sabor dos pratos e a cordialidade do serviço no almoço do último domingo (trocaram a minha entrada sem eu pedir, apenas porque o garçom me ouviu comentar com os amigos que tinha esquecido de pedir sem vinagrete. Me ganharam ali!).

Jantei também no Antonietta, que tem serviço simpático, mas comida apenas OK. Valeu pela entrada, surpreendentemente saborosa para uma salada de folhas verdes com nozes, pêra e gorgonzola.

Saint peter ao forno com berinjela à siciliana do Antonietta. Boa salada de pêra com gorgonzola e nozes, mas cardápio apenas 'OK'.

Na sexta-feira (1/4), almocei no Ban Kao, que não conhecia e não sabia nada a respeito. Gostei muito do serviço (especialmente para uma sexta, às 13h) e achei a comida legal para o que se propõe – mas definitivamente não é a especialidade de que mais gosto. Destaque para o fato de serem servidas as duas opções de entrada e de sobremesa, em porções reduzidas, para todos os clientes. Assim todo mundo experimenta de tudo um pouco!

Doce de abóbora na colher chinesa com calda de laranja do Ban Kao. Para evitar dúvidas, restaurante vietnamita serviu as duas opções de entrada e sobremesa, em porções pequenas

Totalmente sem querer, almocei no PJ Clarkes em uma terça-feira, às 13h. Serviço rápido e eficiente para o dia e horário, mas comida apenas OK – já não sou fã no PJ Clarkes e, além de tudo, eles não serviram no evento sua especialidade, que são os hambúrgueres. O resultado foi um menu pra lá de bobo – que até fez meu amigo optar por um sanduichão fora da RWSP.

Opção de almoço do PJ Clarkes: Meio galeto com purê de batatas e salsa verde. Cadê o hamburguer?

Finalmente, o primeiro que visitei, logo no segundo dia de evento: La Vecchia Cucina. Incomodada com o atendimento desagradável da hostess do L´Entrecôte de Paris, atravessei a rua para tentar a sorte no top de linha do Sérgio Arno.

Para minha surpresa, a hostess de lá (uma senhora muito simpática) consegui uma mesa para duas pessoas imediatamente. Daí pra frente, o serviço foi perfeito: o garçom nos indicou o vinho da casa (com bom custo-benefício), reduziu o ar condicionado, conversou, fez brincadeiras… e até nos presenteou com alguns petiscos, por eu ter dito que aceitaria a carne (em vez do peixe) caso ele tivesse anotado errado. Fofo, né?

Sorte e grata surpresa no La Vecchia Cucina. Medalhão de filé envolto com bacon e batatas ao molho de ervas, entre as opções

A comida, como é de se esperar de um restaurante desse porte, também não decepcionou. Apesar de simples, tudo extremamente bem preparado. E destaca-se ainda o fato de todos os clientes terem direito à massa, além de uma opção de prato principal. Bem à italiana!

*A querida Thais é jornalista, boa de garfo e adora provar novos sabores. Sempre trocamos figurinhas na SPRW e foi uma alegria receber este recorde de avaliações para os leitores do Braun Café. Obrigada Tha!

Lulas à Provençal com risoto de açafrão e aspargos do Limonn (Foto: Luis Simione/Arquivo SPRW)

Promoções de restaurantes deram tão certo em sites de compras coletivas que temos praticamente uma eterna temporada de descontos gastronômicos. Até o empresário que trouxe a Restaurant Week ao Brasil pegou um jacaré nessa onda e hoje também encontramos serviços temáticos dedicados aos descontos da boa mesa.

Mas a São Paulo Restaurant Week não perde o charme. De 21 de março a 3 de abril você pode descobrir um restaurante bacana que caprichou no cardápio e no atendimento para conquistar clientes – ou aquele que entrou no embalo, não segurou a onda e nunca mais lhe verá novamente.

Mix do Ping Pong inclui camarões fatiados com cebolinha em macarrão de fios de ovos e massa folhada com recheio de mignon suíno coberta com mel e gengibre (Foto: Luis Simione/Arquivo SPRW)

Em sua primeira temporada de 2011, a 8ª São Paulo Restaurant Week virou estadual, passando a oferecer cardápios promocionais a preços fixos em 301 restaurantes de 12 cidades (São Paulo, Barueri, Campinas, Cotia, Embu, Guarujá, Ribeirão Preto, Santos, Santo André, São Bernardo do Campo, São José dos Campos e São Sebastião).

O evento também ganhou aplicativo ‘Restaurant Week 2011‘ para iPhone, iPad e iPod Touch com os cardápios, serviços e mapas dos restaurantes participantes. Há uma versão do site adaptada a dispositivos móveis, que está entrando em operação esta semana. É uma boa porque navegar pelos restaurantes no site tradicional está uma dureza (e testei em três navegadores!).

Salada de verduras assadas na brasa, coalhada caseira, dill, rúcula e alho é uma das entradas do Arturito (Foto: Rafael Weinberg/Arquivo SPRW)

Os menus com entrada, prato principal e sobremesa saem por R$ 29,90 no almoço e a R$ 39,90, no jantar. Vale lembrar que bebidas, serviço e couvert são cobrados separadamente (fique de olho nos preços e confira as dicas do Braun Café para não entrar em roubadas).

Entre os 233 restaurantes na capital paulista, nesta temporada senti falta do AK Delicatessen, que segundo a chef Andrea Kaufmann está prestes a ser reinaugurado na Vila Madalena. “Pena mesmo não estar nesse SPRW, mas  tem casas bem legais como o Arturito, o sempre bom Obá e o Marcel!”, diz Andrea.

'Riso Nero' do Buttina: doce siciliano de arroz arbóreo, amêndoas e chocolate. Finalizado com biscoito e Limoncello (Foto: Luis Simione/Arquivo SPRW)

O Arturito, de influência europeia, é um dos estreantes da SPRW ao lado do Taizan – minha referência desde criança de comida chinesa -, dos italianos La Dolce Vita e Forneria San Paolo, do novo toscano Villa Cioè, e do Portal da Coreia, primeiro coreano a participar do evento.

Veja aqui uma lista de dez restaurantes testados pelo Braun Café e/ou pelos leitores na edição anterior da São Paulo Restaurant Week, e que continuam no evento (os links levam aos cardápios desta temporada):

Buttina
Rua João Moura , 976 – Pinheiros. Tel.: (11) 3083-5991
(Delicioso italiano em uma casa sensacional. O spaghetti de cacau é incrível, mas acho que vale testar o menu na SPRW)

Carlini – Mooca (almoço e jantar)
Rua Dona Ana Néri , 265 – Mooca. Tel.: (11) 3208-2024
(Ótimo italiano tem mais dois endereços recentes em Perdizes e na Vila Madalena. Veja o post do Carlini)

Caroline – (almoço e jantar)
Rua Oscar Freire, 145 – Jardim Paulista. Tel.: (11) 3068-0601
(Muito bem recomendado pelos leitores)

Emprestado Restaurante (menu almoço e jantar)
Rua Mourato Coelho , 992 – Pinheiros. Tel.: (11) 3034-0214
(Elogiado pelo menu criativo e saboroso, apesar das trapalhadas no atendimento)

Ganesh (almoço e jantar)
Av. Roque Petroni Jr , 1089 (Shopping Morumbi – loja 20 – piso lazer). Tel.: (11) 5181-4748
(Para a leitora Cris Sato esse indiano ‘sempre vale a pena‘)

Limonn (almoço e jantar)
Rua Manuel Guedes, 545 – Itaim Bibi. Tel.: (11) 2533 7710
(Só elogios. Esse eu quero conhecer nesta temporada)

Obá Restaurante (almoço e jantar)
Rua Melo Alves , 205 – Jardins. Tel.: (11) 3086-4774
(Delicioso veterano da SPRW. Foi um dos meus primeiros posts na SPRW em 2008)

Ping Pong (almoço e jantar)
Rua Lopes Neto , 15  – Itaim Bibi. Tel.: (11) 3078-5808
(Cardápio criativo agradou na última SPRW, apesar da falta de privacidade entre as mesas)

Seraphini (almoço e jantar)
Alameda Jaú , 1303 – Jardins. Tel.: (11) 3081-1160
(Bem avaliado dentro da SPRW e fora da temporada. Veja post do menu executivo)

Vinheria Percussi

Rua Cônego Eugenio Leite , 523 – Pinheiros. Tel.: (11) 3088-4920
(Italiano de primeira, com bela carta de vinhos. Meu amigo Pedro, ‘objetivo chef’,  esteve por lá na SPRW e recomenda)

Outros restaurantes da lista que despertaram curiosidade foram o bistrô Robin de Bois, o italiano Dolce Villa, que visitei uma vez há muitos anos, e o Becco 388, que oferece um risoto bem interessante.

Ops… crepe de vidro: o bistrô Crepe de Paris decepcionou nossa leitora Michelle na última SPRW. Saiba mais sobre esse episódio.

%d blogueiros gostam disto: