Almoço à grega

fevereiro 18, 2018

Kouzina: comida grega nos Jardins com preços amigáveis.

Tá calor? Vá de culinária mediterrânea. Minha dica no modo verão é almoçar no Kouzina, um simpático restaurante grego na esquina da Rua Peixoto Gomide com a Alameda  Lorena, nos Jardins. O ambiente todo pintado de branco imita as casinhas de Plaka, um pitoresco bairro de Atenas. Apesar do nome, no Kouzina você não precisa fazer o prato na cozinha, como no tradicional Acrópolis, no Bom Retiro. Mas se for almoçar mais tarde, no fim de semana, prepare-se para uma certa fila de espera.

A colorida salada grega cheia de frescor e sabores (R$ 30).

Para entrar no clima, você pode começar com uma salada grega. A combinação colorida e saborosa traz pimentão amarelo, pepinos, cebola roxa, tomatinhos, queijo feta e azeitonas gregas (R$ 30). Como não amar?

Tzatziki (iogurte com pepino) e pão pita quentinho.

Outra boa pedida é o Tzatziki – o nome é complexo, mas a mistura de iogurte com pepino é simples e perfeita (R$ 15). Vai bem com o pão pita, que vem quentinho da chapa (R$ 8 cada) e uma taça de vinho rosé (R$ 29).

Prato do dia: Spaghetti com lulas à provençal (R$ 36). Não deixe de perguntar.

Vale perguntar qual é o prato do dia. No sábado em que estive lá, o spaghetti com lulas à provençal e um toque de vinho branco (R$ 36) estava ótimo. A berinjela tostada com tomate em cubinhos e alho por cima (R$ 24 ) também valeu a pena. Nas próximas visitas ainda quero explorar outras especialidades, incluindo a clássica moussaka.

Café grego (R$ 9) para quem aprecia a bebida sem ser coada.

Na hora do café, recomendo que você opte pelo expresso normal. O café dos gregos (R$ 9) vem com o pó de presente. É servido sem coar mesmo. O ritual é bacana, a foto ficou bonita, mas essa foi minha segunda tentativa de tomar café grego e não rolou.

Kouzina
Rua Peixoto Gomide, 1.710 – Jardins, São Paulo – SP
Tel.: (11) 2935-0888
https://pt-br.facebook.com/Kouzinamyk/

Anúncios
La Guapa do Itaim. Casa de empanadas da chef Paola Carosella também tem endereço nos Jardins e está no iFood.

La Guapa do Itaim. Casa de empanadas da chef Paola Carosella também tem endereço nos Jardins e está no iFood.

Tá corrido? Tá. Então a dica é o ‘Menu Guapa’, um combo de empanadas e salada do La Guapa, a casa de empanadas artesanais da chef argentina Paola Carosella. Os sabores e a qualidade são ótimos, o preço é honesto (R$ 24) e o esquema é saudável. Isso se você escapar da sobremesa.

Combo do La Guapa tem duas empanadas e salada farta com fatias de queijo Canastra.

Menu Guapa tem empanadas e salada orgânica com fatias de queijo Canastra.

São dois sabores à escolha do freguês. Como a Paola é jurada do MasterChef Brasil, você tem um desafio: escolher entre os oito convidativos recheios disponíveis (muitos vegetarianos, inclusive). Eu geralmente peço três porque tenho uma Magali Inside. Minhas favoritas, até agora, são as de frango caipira (frango livre, ressalta o cardápio), a clássica salteña (carne, azeitonas, ovo e batata) e a vegana (massa de quinoa com recheio de espinafre, abóboras e nozes).

Empanadas de frango caipira, salteña (carne) e pucacapas (cebolas caramelizadas e queijo)

Empanadas de frango caipira, salteña (carne) e pucacapas (cebolas caramelizadas picantes e queijo).

A salada é guapa e deliciosa: alface, radicchio, tomatinhos orgânicos, amêndoas, fatias generosas de queijo da Serra da Canastra e um suave molho com azeite dando o toque final.

O cardápio gravado na parede do La Guapa, inclui tentadoras sobremesas, como o tabletón.

O cardápio gravado na parede inclui tentadoras sobremesas, como o tabletón.

Enquanto espero meu pedido, na loja do Itaim, fico lendo o cardápio pintado na parede. Se continuar a leitura você também encontra algumas provas de fogo: sorvete de doce de leite, alfajor da casa e o tabletón (mil folhas com limão siciliano, cacau em pó e recheio de doce de leite servido com chantilly de baunilha e cachaça). Se não der pra resistir, tudo bem. Pensa que você vai comer salada antes.

O La Guapa tem endereços no Itaim e nos Jardins, mas vi que eles também estão no iFood.

La Guapa – Empanadas Artesanais e Café
Rua Bandeira Paulista, 446 – Itaim
Tel.: (11) 3079-2631

Al. Lorena, 1731 – Jd. Paulista
Tel.: (11) 4116-4364

https://www.facebook.com/laguapaempanadas/

Tutto Italiano

março 17, 2013

2013-03-08 21.23.47

Rossini, o primo do Bellini com morangos, entre os drinks do Tutto Italiano

Vou tirar o pó da mesa aqui do Braun Café para recomendar um restaurante e bar que faz uma homenagem aos sabores e ao estilo da Itália. Aberto em meados do ano passado nos Jardins, o simpático e descontraído Tutto Italiano é uma boa pedida para um drink, jantar ou ambos (a casa também abre para o almoço).

As mesinhas na varanda, logo na entrada, são um convite aos aperitivos no fim do dia. Além dos vinhos em taça (R$ 18, em média) ou garrafa, a carta de drinks tem uma área especial para clássicos como Negroni, Bellini e Spritz (R$ 23 cada). Provei o Rossini, uma versão do Bellini com creme de morangos e prossecco (leve e bem doce). O Fábio foi de Negroni, um dos exemplos de que a Itália ama Campari. Eles também amam a bela atriz Claudia Cardinale, sucesso na década de 60, que estampa os jogos americanos ao lado de Enzo Ferrari.

Negroni e Claudia Cardinale

O Negroni e a Claudia Cardinale

Se quiser ficar só nas entradas para acompanhar os drinks, não faltam opções apetitosas como a burrata com aliche, pinolis e tomatinho (R$ 26 ) ou o Peposo, receita toscana de carne cozida lentamente com vinho e cesta de pães para não deixar escapar nenhum pouco do molho delicioso (R$ 26).

O cardápio faz jus ao nome, tem “tutto” de bom – da saltimboca à bisteca de vitelo à milanesa (R$ 48), dos risotos às massas (carbonara, matriciana, vongole, frutos do mar etc.). A galinha d’angola ao molho de pimenta verde (R$ 48) também parece interessante. É aquele negócio: você faz o pedido já pensando nas opções para a próxima vez (dá uma olhada no cardápio).

2013-03-08 21.54.12

Depois  do Peposo resolvemos optar por uma massa para os dois. Os pratos são individuais e a casa não traz a porção dividida (seria mais simpático se o fizessem), mas oferece um pratinho extra.

O linguine ala matriciana estava saboroso, embora o sal tenha passado do ponto e a presença de cebolas tenha me surpreendido um pouco – diz o cardápio que é a tradicional receita da cidade de Amatrice.

Linguine à matriciana (com cebola)

Linguine à matriciana (com cebola)

Aliás, se quiser preparar uma massa à matriciana em casa recomendo uma visita ao site www.matriciana.com.  A página, em italiano, descreve a verdadeira receita da cidade e destaca que o queijo pecorino tem que ser o suave de Amatrice. “Nada de pecorino romano salgado e forte, que altera o sabor”.

Depois de um Peposo, duas taças de vinho e una pasta não sobrou espaço para a sobremesa. O tiramissú (R$14) estava lá, em destaque, convidando ao dolce ao lado da panna cotta, da baba ao rum, do merengue de morango e tutto mais.

Tutto Italiano
Alameda Tietê, 665 (esquina com a Rua Melo Alves) – Jardins
Tel.: (11) 3061-9639
E-mail: tutto@tuttoitaliano.com.br
Horários: Segunda a quinta das 12h às 16h e das 19h à meia-noite. 
Sexta e sábado: das 12h às 2h
Domingo: das 12h às 17h

Caldinho de feijoada com fio de azeite em xícara de porcelana. Pimenta da casa vai bem

Atualização (20/08/2011): O Azulejo Pernambucano fechou na Al. Franca há alguns meses e reabriu no Lounge e Bistrô Estação Caneca (Rua Frei Caneca, 384 – Consolação). Dica do Marcelo Katsuki.

O Azulejo Pernambucano é um bom exemplo de que é possível servir boa comida, com estilo, a um preço acessível, na cada vez mais cara capital da gastronomia. Aberto há cerca de sete meses no bairro paulistano dos Jardins, o pequeno e charmoso restaurante oferece um menu degustação com entrada, três pratos, suco e buffet de sobremesa por R$ 35 – nada mais, nada menos.

Azulejo Pernambucano: Brunch nordestino (R$ 35 com suco e sobremesas à vontade)

O segredo vem da experiência do simpático e caprichoso chef André Palma, que fez carreira na área de eventos em Recife e agradou paulistanos com sua culinária regional. Atendendo a pedidos, ele aposta em um “bistrô pernambucano”, localizado em um charmoso espaço no andar superior de uma academia de yoga, na Alameda Franca.

O esquema de buffet é reproduzido na pequena cozinha do restaurante. Como os pratos são fixos, o chef já tem tudo preparado para esquentar e servir aos clientes, pessoalmente e com muito apreço.

Suave suco de graviola e castanhas de caju

Antes de descrever a experiência, quero destacar que o crédito da descoberta vai para a querida Cris Sato, que conheci graças ao Braun Café. Há cerca de duas semanas fomos conhecer juntas este lugar especial, em um almoço delicioso temperado com um bom bate-papo sobre comidinhas do mundo.

Menu degustação começa com picadinho de carne e farofa de cuscuz

Enquanto esperávamos ansiosas pela degustação, beliscando algumas castanhas de caju, escolhemos o suave e refrescante suco de graviola natural, que acompanhou nossa refeição. O cardápio oferece suas opções de suco à vontade, mas depois de provar o de graviola nenhuma das duas quis trocar a próxima taça pelo sabor maracujá.

Segunda delícia: macaxeira cozida e carne seca acebolada

Logo na entrada, além da decoração charmosa, o chef mostra seu capricho. O cremoso caldinho de feijoada com um fio de azeite veio servido em uma linda xícara de louça antiga. Duas gotinhas da pimenta vermelha da casa e o sabor de aventura ficou perfeito.

Arrumadinho para comer desarrumado: carne de sol picadinha, feijão de corda, vinagrete e farinha

A sequencia de degustação vem servida em pratos pequenos, como de sobremesa. Pode parecer pouco, no começo, mas vale lembrar que são três pratos diferentes. Além disso, você precisa reservar espaço para as sobremesas, que são muitas e muito boas.

André Palma, o chef: experiência em eventos, capricho e uma ótima ideia

O cardápio é sempre modificado, mas naquele sábado a sequencia de pratinhos começou com um gostoso picadinho de carne com legumes sobre farofinha amarela. Em seguida veio o meu favorito: macaxeira cozida com manteiga de garrafa e carne seca acebolada no ponto certo. E o terceiro prato foi o Arrumadinho (feijão de corda, carne de sol em cubinhos, farinha de mandioca e vinagrete). Seguindo a recomendação do chef, provamos tudo ‘desarrumadinho’ mesmo.

Bolo de rolo com toque de goiabada mole, macaxeira e delícia de abacaxi

E aí? Reservou espaço para ler a sobremesa? Então prepare-se para fazer pelo menos duas viagens à vasta mesa de doces regionais. Logo avistei o clássico bolo de rolo, impecável e cortado bem fininho pelo chef.

A fatia do clássico bolo pernambucano com goiabada era tão fininha que peguei duas sem perceber em eu primeiro pratinho, com um pouco de goiabada mole por cima, um pedacinho do bolo molhadinho de macaxeira e a delícia de abacaxi, cujo nome não precisa de modéstia – o creme de abacaxi em pedaços, uvas passas e doce de leite é delicioso mesmo.

Bolo de rolo, macaxeira, compotas, pudim de café e muito mais no buffet de sobremesas

“Mais geleia? – Mais geleia”, ja diria Picolino. Então fiz mais um pratinho com bolo, compota de banana e um pedaço do sensacional pudim de café. Adoro pudim, adoro café e estava realmente muito bom.

Suspiros no final e um café fresquinho coado na hora finalizaram o almoço perfeito. A xícara e o açucareiro mimosos, no pique de ‘casa da vó’, foram escolhidos a dedo pelo chef em feiras de antiguidades como a do Bixiga.

Café coado na hora e louças de antiquários

Para quem se inspirou e quer conhecer o Azulejo Pernambucano, o local também serve almoço executivo, com entrada, salada e um prato principal, e jantar na mesma faixa de preço do brunch dos sábados.

O Azulejo não faz reservas. O negócio é ligar antes para checar os horários e chegar cedo ou esperar um bocadinho porque o local tem poucas mesas. Marquei com a Cris às 13h15 e encontramos mesa para dois. Outra dica é ir em até quatro pessoas para se acomodar melhor.

Mesinhas no corredor de entrada do pequeno bistrô

Seguindo o esquema ‘minimalista’, a carta de bebidas se resume, por enquanto, aos vinhos Rio Sol (produzidos no Vale do São Francisco), mas acho que o chef vai acabar aumentando a pequena adega climatizada e o empreendimento, que tem de tudo para ganhar muitos azulejos.

Azulejo Pernambucano Lounge e Bistrô Estação Caneca
Rua Frei Caneca, 384 – Consolação
Tel.: (11) 2371-5744

Almoço por R$ 33 com entrada (2 opções), prato principal (7 opções) e sobremesa (3 opções). Foto: divulgação

Sim. É possível almoçar em um restaurante bacana, em São Paulo, pagando um preço honesto, fora da temporada da Restaurante Week. O italiano Seraphini, que também participou da quinzena de menus promocionais, oferece normalmente um menu completo com duas opções de entrada, sete de prato pincipal e três de sobremesa por 33 reais durante a semana.

Couvert: Crostini apimentado, pão caseiro e caponata

O lugar discreto, com três salões muito bem decorados, é ideal para impressionar em um almoço de negócios ou agradar os mais chegados. O legal é que o preço mais acessível não impede que o menu executivo fuja do trivial.

Caprese com rúcula em novo formato

Estive por lá com meus pais, que são bem exigentes para restaurantes, fomos muito bem atendidos e ganhei pontos com eles. O couvert (cortesia) tem cestinha com crostini apimentado, torradas e pães de alecrim feitos na casa – as massas também são preparadas por lá – manteiga e caponata.

Salada de alface com risoni e peito de peru

Na entrada, a melhor escolha foi a salada de alface crespa com risoni, pedacinhos de peito de peru e abacaxi. A caprese com rúcula estava bem apresentada, com bastante azeite, mas senti falta de um balsâmico.

Leve ravioli de bacalhau da casa com molho de alho poró

Entre as diversas opções de principais, meu pai escolheu o mais light: namorado grelhado com legumes (beringela, mandioquinha, abobrinha e cenoura). Minha irmã não resistiu ao corte argentino de carne com batatas (pediu quase bem passado, o que eu acho um crime, mas ainda assim a carne estava macia) e minha mãe escolheu o leve e saboroso ravioli de bacalhau com molho de alho poró.

Cordeiro glaceado com batata doce (excelente e bem servido)

Resolvi apostar na sugestão do chef: cordeiro assado ao alecrim com molho glaceado e batatas doces. Foi o prato que mais impressionou. A porção também era a mais generosa, a carne estava derretendo e ficou perfeita com as batatas doces – e olha que não sou muito chegada nelas.

Namorado grelhado com legumes

Todos os pratos estavam muito bem montados. As porções não são muito grandes (exceto o cordeiro) mas é o ideal para um almoço com menu completo. Afinal ainda temos a sobremesa.

Pão de mel macio bem casado com doce de leite

Destaque para o pão de mel meio amargo e muito macio, quebrando com um toque de doce de leite por cima. A massa da tortinha de limão que pedi estava ótima, mas achei a consistência do recheio muito líquida e senti falta do sabor do limão. No fim, o saldo foi positivo. Um bom expresso e a conta – muito justa para o nível do almoço.

Torta de limão (creme bem líquido e pouco limão)

A casa também oferece seu menu baseado em clássicos da cozinha italiana, tanto no almoço como no jantar. Os preços são mais acessíveis na comparação com outros italianos como o Empório Ravioli, por exemplo.

As sugestões do chef  Rogério Giudice parecem valiosas: polenta branca italiana, com gema de ovo, salsa de trufas e Grana Padano de entrada, stinco de javali com fagioli, garoupa com crosta de macadâmia e molho de beterraba ou bavette ao nero de seppia com frutos do mar.

Seraphini – Alameda Jaú, 1303 (Esquina com a Ministro Rocha Azevedo). Tel.: (11) 3081-1160
Horário: Segunda, das 12h às 15h; Terças, Quartas e Quintas, das 12h às 15h e das 19h à 0h; Sexta, das 12h às 15h e das 19h à 1h; Sábado, das 12h às 16h e das 19h à 01h; Domingo, das 12h às 17h. Aceita cartões.

%d blogueiros gostam disto: