O picante Tantan Lamen é uma das especialidades do Momo Lamen, na Liberdade

O picante Tantan Lamen é uma das especialidades do Momo Lamen, aberto em junho, na Liberdade.

O Momo Lamen é o mais recente endereço de lamens e udons, na Liberdade, em São Paulo. A casa de três andares, aberta em junho pelos mesmos donos da loja de produtos orientais Marukai, aposta nas massas feitas no local para atrair clientes que fazem fila na porta de vizinhos adorados como Aska, Lamen Kazu entre outros.

Veja também: Três dicas quentes de lamen para você abraçar em São Paulo

O tradicional shio lamen simples (R$ 27). Casa aposta em massas caseiras.

O tradicional shio lamen simples (R$ 27). Casa aposta em massas caseiras.

O inverno ainda está aí chamando a gente para um tradicional shio lamen. No Momo, a massa bem leve é servida em um caldo suave, à base de frango e porco. A versão básica do shio (R$ 27) vem com broto de bambu, ovo cozido com gema dura (ao contrário da gema molinha de outras casas, que prefiro), broto de feijão, alga, cebolinha e uma fatia de copa lombo derretendo. Se quiser com quatro fatias de copa, o prato sai por R$ 33.

Frango frito (karaague) e pão cozido recheado de frango ou carne (...) são opções de entrada.

Frango frito (karaague) e pão cozido recheado de frango ou carne (nikuman) são opções de entrada, além do guioza.

Entre as especialidades da casa está o Tantan Lamen, com molho de gergelim bem picante e supersaboroso. Acompanha carne de porco moída, broto de feijão, acelga chinesa e cebolinha. Diz o garçom que os clientes suam a camisa, mas a maioria encara o Tantan sem deixar rastros.

Balcão no terceiro andar da casa, que abre diariamente.

Balcão no terceiro andar da casa, que abre diariamente.

Vale experimentar também as entradinhas como o frango frito (karaague), servido com um pedacinho de limao siciliano (hummm), e a porção de nikuman (pão japonês recheado de frango ou porco e cozido no valor), que custa R$ 15.

Quando estive por lá, na última quinta-feira à noite, o salão estava bem tranquilo, os pedidos chegaram rápido e a equipe foi bem atenciosa. Outra boa notícia é que a casa abre todos os dias para o almoço e para o jantar.

Momo Lamen
Rua dos Estudantes, 34, Liberdade, São Paulo – SP
Tel: (11) 3207-5626
Horários: Diariamente das 11h às 15h e das 18h às 22h

A fila na porta do badalado Jojo Ramen, aberto no começo de maio, no Paraíso, é um exemplo de como o lamen vem encantando os paulistanos. Aqui no Braun Café, com a ajuda do amigo expert Edgard Kanamaru, vamos falar de três casas mais recentes dedicadas a esse prato tão querido dos japoneses.

Veja também: 8 dicas de lamen e udon para se esquentar em SP

2nd Floor Noodle Bar (em novo endereço)

O '2nd floor lamen' tem pancetta e ovo pochê bem molinho.

O ‘2nd floor lamen’ tem pancetta e ovo pochê bem molinho.

Antes situada no andar superior de uma casa, na Vila Mariana, a lamen house comandada por uma turma de jovens chefs se mudou para Moema. No cardápio, o pessoal reforça que trabalha com três caldos feitos artesanalmente, e sem conservantes, para compor as receitas. O resultado é evidente no saboroso prato de lamen, que leva o nome da casa (R$ 35), com caldo a base de shoyu, copa de lombo, pancetta, ovo pochê bem molinho e interessante variedade de algas.

Pãozinho Bun recheado de kimchi, pancetta e cebolinha é ótima opção de entrada no 2nd Floor Noodle Bar.

Bun recheado de kimchi, pancetta e cebolinha é ótima opção de entrada.

A cozinha inclui outros clássicos quentes como udon, domburi e tonkasu karê. Na entrada, peça os buns, pãezinhos macios feitos no vapor com recheios como o de kimchi e pancetta (dois por R$ 23). É um sucesso e vai bem com uma cervejinha (a witbier Or  Blanc Terezópolis sai por R$ 21). Na próxima quero provar as ‘korean ribs’ ao som de Queen e Aerosmith.

Jojo Ramen

Chio Ramen do Jojo com carne de porco finalizada na grelha e caldo bem saboroso.

Ramen Jojo com carne de porco finalizada na grelha e caldo bem saboroso.

Na primeira colherada você conclui que a espera de uma hora, em plena segunda-feira, valeu a pena. O caldo, bem temperado, tem um leve defumado das finas fatias de carne de porco finalizadas na grelha e a saborosa gordurinha aparente da carne de frango. A massa, que leva farinha de tapioca, é leve e delicada. O Ramen Jojo Shio (R$ 32) acompanha algas, broto de bambu e ovo curtido com gema macia. Uma explosão de sabores. Para beliscar, peça o ‘Kimuchi’,  acelga picante de origem coreana (R$ 4) e o Tsukudani (R$ 4), alga curtida com peixe. A cerveja Original de 300 ml sai por R$ 12.

Para beliscar: kimchi (ao fundo) e alga curtida com peixe (tsukudani).

Para beliscar: kimchi (ao fundo) e alga curtida com peixe (tsukudani).

Os sócios da casa investiram no conceito e importaram um chef do Japão para compor a receita, mas a maioria dos ingredientes é local. Não é à toa que encontramos a turma do 2nd Floor e o mestre Masanobu Haraguchi, do Ban, esperando para conferir a novidade. Legal o app da casa para você acompanhar a espera pelo smartphone. Dá tempo de tomar uma witbier no barzinho ao lado, o Açaí Burguer, e relaxar até chegar a sua vez.

Lamen Açu

O reconfortante Shio Lamen, do Lamen Açu.

O reconfortante Shio Lamen, do Lamen Açu, na versão com caldo de frango.

Esta casa de lamen abriu há menos de dois meses, perto da saída do Metrô Praça da Árvore e já tem uma pequena fila formada, basicamente, por moradores da região. Vale a pena esperar para comer o lamen servido no simpático restaurante. Prove o Shio Lamen (R$ 25), caldo temperado com sal. Pedi para trocarem o caldo de porco, que consta no cardápio, pelo de frango, que é consistente e saboroso.

Porção de guioza do Lamen Açu é boa pedida de entrada.

Porção de guioza do Açu é ótima entrada. Prove também a berinjela grelhada.

O macarrão, que não é feito na casa, é bem trabalhado e forma uma refeição reconfortante com os toppings chassu (fatias de carne de porco), cebolinha e vegetais. Nestes dias frios vale por um abraço. Se a fome for grande, vale pedir, de entrada, a berinjela grelhada (R$ 16), sem falar do saboroso guioza (R$ 16 a porção com seis). Além de lamen, a casa oferece pratos em formato de teishoku (de R$ 25 a 35).

2nd Floor Noodle Bar (novo endereço)
Alameda dos Nhambiquaras, 921 – Moema
Tel.: (11) 2339-8878

Não aceita cartões de crédito (Só débito ou dinheiro)

JoJo Ramen
Rua Dr. Rafael de Barros, 262 – Paraíso
Tel.: (11) 3279-5005

Segunda a Sábado das 18h30 às 22h.
Aceita cartões.

Lamen Açu
Rua Guaraú, 120 – Metrô Praça da Árvore.
Tel.: (11) 5589-9124
Terça a Domingo das 11h às 14h30 e das 18h às 21h30.
Aceita cartões e não cobra 10% de taxa de serviço.

No Bueno, a especialidade é o teishoku. “No sushi. No sashimi”

No salão térreo do restaurante japonês Bueno, na Alameda Santos, um cartaz dá o recado aos clientes: “No sushi, no sashimi!”. A especialidade da casa é o teishoku, o PF japonês. “Aqui servimos o que os japoneses comem no dia-a-dia”, diz Wilson, que era cliente da casa e acabou virando sócio. Continue lendo »

A estação do sushi

julho 8, 2012

Sushi de aji, gunkan de água viva e temaki de salmão no tradicional Sushi Guen*

O inverno é a estação perfeita para ir a restaurantes japoneses, já que os peixes acumulam mais gordura, afirma o amigo Edgard Kanamaru. Essa foi nossa deixa para jantar com os amigos no tradicional Sushi Guen. O clássico aberto em 1974 por Mitsuaki Shimizu está bem guardado em uma galeria no Jardim Paulista, pertinho da estação Brigadeiro do metrô. Continue lendo »

Japa de família

agosto 4, 2008


O Shigue é um restaurante japonês simples, familiar e acolhedor, no bairro do Paraíso. Na semana passada, fui matar a curiosidade e explorar o local com uma amiga.

A parte boa de um japonês que não tem rodízio é estudar o cardápio em busca de sabores diferentes. Começamos com um Sunomono, saladinha de algas, frutos do mar e pepino com molho agridoce (R$ 9,50). Boa entrada, embora não tenha atendido a expectativa. Exceto pelo camarão no topo e pelo kani desfiado, os frutos do mar não estavam lá.


Outra entrada gostosa é o bolinho de arroz quente recheado (R$ 4 a unidade). O de salmão cozido desfiado é o mais pedido e foi a escolha certa.

Na hora do principal foi um pouco difícil escolher entre as seções de sushis, milanesas, yakissobas, grelhados, lámens etc.. Eu estava com vontade de comer peixe cru mesmo e entrei no Teishoku Combinado – 8 fatias de peixes variados, 2 niguiris e 2 uramakis – que acompanha porção de arroz, missoshiru (com tofu e pedacinhos de nabo) e saladinha e alface (R$ 25). Peixes  excelentes.

Também matei a vontade do tradicional shimeji na manteiga (R$ 13,90). A porção bem servida e com bastante cebolinha estava no ponto certo.

Para acompanhar, além da cerveja de garrafa grande geladinha (R$ 5), minha amiga resolveu experimentar uma dose de Shochu (pronuncia-se ‘sotchu’), aguardente destilado de batata, arroz ou cevada.

Servida com gelo, a bebida é bem aromática e parece um meio termo entre gim e cachaça. Beberiquei um poquinho e gostei. A Ciça apreciou o sabor do perigo e repetiu a dose (R$ 11).  Ainda bem que o Shigue  fecha cedo.

Shigue – Rua Doutor Sampaio Viana, 294, Paraíso – São Paulo. Tel.: (11) 3885-9606. Segunda a sábado, das 11h30 às 14h30 e das 18h30 às 22h (fecha domingo).

%d blogueiros gostam disto: