La Guapa do Itaim. Casa de empanadas da chef Paola Carosella também tem endereço nos Jardins e está no iFood.

La Guapa do Itaim. Casa de empanadas da chef Paola Carosella também tem endereço nos Jardins e está no iFood.

Tá corrido? Tá. Então a dica é o ‘Menu Guapa’, um combo de empanadas e salada do La Guapa, a casa de empanadas artesanais da chef argentina Paola Carosella. Os sabores e a qualidade são ótimos, o preço é honesto (R$ 24) e o esquema é saudável. Isso se você escapar da sobremesa.

Combo do La Guapa tem duas empanadas e salada farta com fatias de queijo Canastra.

Menu Guapa tem empanadas e salada orgânica com fatias de queijo Canastra.

São dois sabores à escolha do freguês. Como a Paola é jurada do MasterChef Brasil, você tem um desafio: escolher entre os oito convidativos recheios disponíveis (muitos vegetarianos, inclusive). Eu geralmente peço três porque tenho uma Magali Inside. Minhas favoritas, até agora, são as de frango caipira (frango livre, ressalta o cardápio), a clássica salteña (carne, azeitonas, ovo e batata) e a vegana (massa de quinoa com recheio de espinafre, abóboras e nozes).

Empanadas de frango caipira, salteña (carne) e pucacapas (cebolas caramelizadas e queijo)

Empanadas de frango caipira, salteña (carne) e pucacapas (cebolas caramelizadas picantes e queijo).

A salada é guapa e deliciosa: alface, radicchio, tomatinhos orgânicos, amêndoas, fatias generosas de queijo da Serra da Canastra e um suave molho com azeite dando o toque final.

O cardápio gravado na parede do La Guapa, inclui tentadoras sobremesas, como o tabletón.

O cardápio gravado na parede inclui tentadoras sobremesas, como o tabletón.

Enquanto espero meu pedido, na loja do Itaim, fico lendo o cardápio pintado na parede. Se continuar a leitura você também encontra algumas provas de fogo: sorvete de doce de leite, alfajor da casa e o tabletón (mil folhas com limão siciliano, cacau em pó e recheio de doce de leite servido com chantilly de baunilha e cachaça). Se não der pra resistir, tudo bem. Pensa que você vai comer salada antes.

O La Guapa tem endereços no Itaim e nos Jardins, mas vi que eles também estão no iFood.

La Guapa – Empanadas Artesanais e Café
Rua Bandeira Paulista, 446 – Itaim
Tel.: (11) 3079-2631

Al. Lorena, 1731 – Jd. Paulista
Tel.: (11) 4116-4364

https://www.facebook.com/laguapaempanadas/

Ravioli de carne o molho de cogumelos na manteiga é uma das opções de almoço rápido do Eataly.

Ravioli de carne com molho de cogumelos é uma das opções de almoço rápido do Eataly. Menu de R$ 45, com suco e sobremesa, muda semanalmente.

O Eataly nasceu na terra do Slow Food, mas sua loja brasileira se adaptou ao ritmo paulistano e começou a oferecer um almoço rápido com preço fixo, durante a semana. O ‘Pranzo Veloce’ inclui pão italiano e azeite, prato principal (varia de acordo com o restaurante), bebida (suco, água ou refrigerante) e sobremesa por R$ 45.

Duas fatias de pão italiano e azeite para esperar o prato veloce, no La Pasta.

Duas fatias de pão italiano e azeite para começar o ‘pranzo veloce’, no La Pasta.

Estive por lá ao meio-dia, em uma tranquila terça-feira de férias, e provei um delicioso ravióli de carne com cogumelos na manteiga no restaurante La pasta, de massas e pizzas. Estava tão bom que merecia uma degustação bem lenta, ‘piano, piano’. Depois fui pegar a simpática sobremesa na pasticceria (tortinha de limão de colher, servida no pote de vidro) e encontrar a caríssima Kay para um café, um papo e uma voltinha.

Depois da torta de limão (inclusa do menu), um bom expresso.

Depois da torta de limão (inclusa do menu), um bom expresso.

As massas e ‘o molho’
Aproveite para dar uma passada rápida no mercado para comprar una vera pasta italiana. ‘My preciouss’ é o Fusilli da Pisani (R$ 12,90 o pacote de meio quilo), que conheci na Itália. Bem macia e consistente, a massa adere superbem ao molho de tomates. Parece que a nonna acabou de fazer (cozinhe com bastante água).

O fusilli da Pisani: parece que uma nonna italiana acabou de fazer. Veja a dica da Kay para o molho de tomates perfeito.

O fusilli da Pisani é a massa preciosa. Parece que uma nonna acabou de fazer na sua casa.

Outra dica para fazer em casa é o ravióli ‘plin’ (pequenino e fechado com um ‘belisco’, na tradição do Piemonte). A área de massas frescas do Eataly tem opções com recheios de carne e de gorgonzola (R$ 9,90 cada 100 gramas). Depois é só cozinhar por 2 minutinhos, fazer um molhinho de manteiga e sálvia e plin.

Os pequeninos e deliciosos raviolis 'plin' com ao molho mágico de tomates e cebola.

Os pequeninos e deliciosos raviolis ‘plin’ ao molho de tomates e cebola. Veja a dica da Kay para fazer um molho al sugo rápido e sem acidez.

Os molhos do Eataly são caros. Melhor fazer em casa. E se for molho de tomates, siga a dica mágica que a Kay postou no Facebook para tirar a acidez do molho de um jeito fácil e sem crimes culinários, como na foto acima.

Pão de azeitona crocante e cheiroso para fazer sucesso em casa.

Depois do almoço rápido, vale levar um pão de azeitona crocante e cheiroso e bombons de pistache para casa.

E já que você está ali mesmo, leve uns bombons de chocolate meio-amargo (fondente) da Venchi. É um pouco caro (100 gramas por R$ 29), mas é uma opção para provar diversos sabores desse chocolate incrível do Piemonte (não deixe de levar o bombom de pistache). Da padaria, o crocante e perfumado pão de azeitona (R$ 8) fez sucesso em casa.

Eataly
Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 1489 – Vila Olímpia – São Paulo – SP
(Aberto todos os dias das 8h às 23h)
http://www.eataly.com.br/

La pasta
Segunda-feira a quinta-feira: 11h30 às 15h e 18h30 às 23h
Sexta-feira: 11h30 às 15h e 18h30 às 24h
Sábado: 12h às 24h
Domingo: 12h às 23h
Veja os horários dos outros restaurantes do Eataly: http://www.eataly.com.br/restaurant.html

Cozinha aberta do novo Arimbá: culinária caipira de raiz tem pratos feitos na roda de arado.

Cozinha aberta do novo Arimbá: culinária caipira de raiz tem pratos feitos na roda de arado.

Neste sábado (12), a chef Angelita Gonzaga abre as portas de sua nova cozinha caipira de raiz, no bairro da Vila Pompeia. Batizado com o nome dos potes de barro onde os tropeiros guardavam doces, o Arimbá reúne pratos das cozinhas tropeira, campeira e caipira sob o comando da chef capixaba. Este é o segundo projeto da chef capixaba, que deixou o restaurante Garimpos do Interior, em fevereiro do ano passado, e agora abre o Arimbá com mais três sócios.

Angelita serve o Rojão, espeto gigante de carne suína feito na roda de arado.

Angelita serve o Rojão, espeto gigante de carne suína, que é uma das opções de entrada.

O Braun Café esteve por lá esta semana para conhecer o restaurante em fase de teste. Na entrada, você já sente o aroma do fogão à lenha em uma cozinha aberta onde a chef capixaba, que deixou -Garimpos do Interior, prepara o rojão (espeto gigante de carne suína, R$ 39,90), milho assado (R$ 5,50) e pratos feitos no disco de arado. “Quando a roda de ferro perde o corte é usada na cozinha. Vira um frigideirão”, ela conta enquanto dá um agito da cozinha.

Limonada 'Calminha' com capim limão é uma das opções sem álcool ao lado do clássico guaraná Cotuba.

Limonada ‘Calminha’ com capim limão é uma das opções sem álcool ao lado do guaraná Cotuba.

Entre as opções para bebericar estão caipirinhas, as ‘marvadas’ (cachaças aromatizadas como a de mexerica e cambuci) e cervejas artesanais brasileiras (Capitu, Revenge, Divina e Bacuri) selecionadas pela sommelier Paty Albehy. Dos não alcoólicos vale provar a ‘Calminha’, limonada com capim-limão (R$ 7,80) e o clássico guaraná Cotuba, do interior de SP.

Porção de bolinhos de galinha do Arimbá. Pastel de angu com queijo também é boa pedida

Porção de bolinhos de galinha do Arimbá. Pastel de angu com queijo também é boa pedida.

Abrimos os trabalhos com a porção de bolinhos de galinha e farinha de milho, bem sequinhos. Casou bem com a pimentinha da casa e uma Original (R$ 11,50 a garrafa). Outra porção sensacional é o pastel de angu com recheio de queijo, que a Angelita também oferecia no cardápio do Garimpos do Interior. É meu favorito.

Cachaça aromatizada com mexerica e cambuci é uma das opções de 'marvadas' do cardápio.

Cachaça aromatizada com mexerica e cambuci é uma das opções de ‘marvadas’ do cardápio.

O principal foi o Matuto, delicioso ensopado de feijão manteiga e carne de costela (R$ 39,90) com farofinha de milho. Para completar, pedi uma couve refogada. As porções são bem servidas e rolam até para três pessoas. E tem opção para os vegetarianos: Moquequinha de palmito fresco e banana da terra, com vinagrete de pimenta de cheiro e arroz.

Matuto: ensopado de feijão manteiga com carne de costela e  farofa de milho com toucinho para acompanhar.

Matuto: ensopado de feijão manteiga com carne de costela e farofa de milho para acompanhar.

Já aviso que é um pouco difícil escolher um prato entre as opções apetitosas do cardápio. Eu e o querido amigo Fábio Almeida, que me acompanhou no jantar e fez a linda foto de abertura aqui do post, ficamos de olho nos pratos feitos no disco de arado, como o ‘Arroz Bêbado’ com toucinho, linguiça na cachaça e couve, e o ‘Chuletão’.

Nova casa na Vila Pompeia também oferece quitutes como bolinhos de chuva no 'Café Caipira', das 16h às 18h.

Casa também oferece o ‘Café Caipira’, com quitutes como bolinhos de chuva, das 16h às 18h.

Finalizamos com um café coado na mesa, à moda caipira. Falando nisso, gostei da ideia do Café Caipira, servido das 16h às 18h, com sabores da infância. Tem bolinho de chuva, bolo de fubá, queijo da Serra da Canastra e até Toddy batido gelado. Hummm. É pra voltar sempre.

Arimbá Restaurante
Rua Ministro Ferreira Alves, 464-B – Pompéia – São Paulo – SP

Aberto de Terça a Sexta das 16h às 23h.
Sábado, domingo e feriados, das 12h às 18h.
Tel.: (11) 3477-7063 / 3477-7064
No Facebook: Arimbá Restaurante

As tartes de aspargos com parma, shitake com queijo de cabra e outros sabores da Depois de Paris.

Depois de Paris propões comida com afeto. Em destaque, a tarte de aspargos com parma

Há um ano, a Karina Gentile, minha amiga Kay, decidiu seguir seu coração e criou a Depois de Paris, que oferece tartes, quiches, muffins, brownies e outras delícias por encomenda. A inspiração veio depois de uma viagem à cidade luz, com a família, e do encanto pelas tartes, as tortas abertas francesas.

Tartes têm ingredientes orgânicos e opção de massa integral, em 3 tamanhos: indivisual, médio e grande

Ingredientes orgânicos e opção de massa integral em 3 tamanhos: individual, médio e grande

A Kay é designer, mas sempre amou cozinhar e faz isso muito bem. Nas tardes de papos com ela e, rapidinho, saía um fettuccine Alfredo, um risoto ou uma sopinha de grão de bico. Simples e reconfortante. É aquela comida que te dava um abraço, sabe? Com a Depois de Paris, não foi diferente. Seu lema: “Pra gente, gourmet é afeto”.

Os maravilhosos muffins de escarola (muito fofos e bem recheados) têm versão com bacon

O maravilhoso muffin de escarola (grande, fofinho e bem recheado) têm versão com bacon

Me lembro também da primeira vez que provei as tartes, no ano passado. A Kay tinha feito pesquisas, cursos técnicos, criado um conceito e montado uma cozinha pró em casa. E lá estava a mesa cheirosa e colorida com tartes de aspargos com parma, de queijo de cabra com shitake e de espinafre. Fiquei impressionada com a consistência, macia, com o recheio farto e o equilíbrio de sabores.

Tarte de espinafre. Massa macia, com recheio farto e saboroso

Tarte de espinafre: macia com recheio farto e muito saboroso

Karina tem princípios. Todos os ingredientes são orgânicos e de fornecedores selecionados. O queijo que recheia o bolo salgado com presunto e tomate, por exemplo, vem de um fornecedor do Mercado Municipal e este fornecedor será. Ela tem opção de massa integral (muito boa), mas não dispensa glúten ou latose. O muffin de escarola (fofinho e bem recheado) também tem versão com bacon. Gosto de princípios.

Torta Marguerita com tomates e queijo, também faz sucesso.

Torta Marguerita: combinação perfeita de tomates e queijo

Ainda não provei todos os quitutes – tem uma Quiche Lorraine me esperando para hoje à noite. Oba -, mas a tarte de espinafre é um destaque, na minha opinião. Muito bem recheada, leve e saborosa. Outro sucesso é a Margherita, de tomates e queijo, feita a pedido do marido Maurício, o Mau. Legal ver o efeito de um bom trabalho com ingredientes simples e de qualidade. E ainda por cima é saudável.

O 'brownie da Sabine': massa com chocolate belga e os tradicionais pedaços de chocolate branco

O ‘brownie da Sabine’: massa com chocolate belga e os tradicionais pedaços de chocolate branco

O cardápio também tem doces como o cheesecake com frutas vermelhas e o brownie da Sabine, irmã da Kay. Esse clássico, eu conheci há uns 20 anos, quando papeava na cozinha com os Gentile, enquanto a Sabine cortava o chocolate branco que dá o toque no meio da massa. A Depois de Paris resgata a receita com fidelidade e belos pedaços de chocolate branco. É só alegria.

EmbalagemDepois
A Depois de Paris entrega em diversos bairros de São Paulo e está sempre conectada. No Facebook, no Instagram  e no site você pode fazer pedidos, ver os locais de entrega e o cardápio completo, com os preços (a torta média custa R$ 55 e dá para quatro pessoas enquanto o ‘super’ muffin sai por R$ 12 a unidade). Espero que você experimente e se emocione como eu.

Depois de Paris
Facebook: https://www.facebook.com/depoisdeparis
Instagram: @depoisdeparis
Site: http://www.depoisdeparis.com.br/

Udon artesanal e tempurás do 'Meu Udon', casa especializada na Liberdade

Udon artesanal e tempurás do ‘Meu Udon’, nova casa especializada na Liberdade

No restaurante Meu Udon você pode provar udon artesanal, quente ou frio, feito na hora. Na chegada, eu e o Edgard Kanamaru, brother e guia da culinária japonesa, vimos o proprietário, Yoshio Mizumoto, preparando a massa na cozinha, que foi aberta há menos de um mês, na Liberdade. Depois fechamos com um acepipe no Bar Kintaro, logo em frente.

Importante: vale chegar cedo para garantir seu udon. A massa, que leva 20 horas para ficar pronta, pode acabar no fim da noite. 

Veja também: Japa quente: 8 dicas de lamen e udon para se esquentar em SP

Yoshio Mizumoto, o mestre do udon. Massas preparadas na hora e servidas no esquema self-service

Yoshio Mizumoto serve a massa após 20 horas de preparo. Chegue cedo para garantir seu udon

O projeto de Mizumoto começou no ano passado com o ‘Meu Gohan’, em um espaço improvisado na Vila Mariana. Na casa nova, que fica no andar de cima do Espaço Kazu, o esquema self service tem um passo a passo ilustrado para você não se perder. Achei divertido.

Passo a passo do udon self service para ninguém se perder

Passo a passo do udon para ninguém se perder (E o reflexo dos ‘turistas’ tirando foto de tudo)

Então você escolhe a massa (mais ‘al dente’ ou mais macia, com pouco ou muito caldo, quente ou fria), em porção normal (300 g) ou grande (500 g). E se tiver dúvida pode perguntar ao senhor Yoshio, que ele explica na maior boa vontade.

Balcão de tempurás (R$ 4 a R$ 5.50 cada) para acompanhar

Balcão de tempurá (R$ 4 a R$ 5.50 cada) para acompanhar

Na média, os pratos de udon custam R$ 20, exceto o Kare Udon, o curry japonês com frango e tofu, que custa R$ 27. Depois de pegar seu belo prato de cerâmica com a massa é hora de escolher os tempurás de acompanhamento (abóbora japonesa, aspargo, lula, frango, batata doce, berinjela etc.). Cuidado com a empolgação porque são cobrados à parte (entre R$ 4 e R$ 5,50 cada). O de lula é o mais gostoso.

Udon Kama-Taka com ovo cru e cebolinha e o imperdível tempurá de lula

Udon Kama-Tama com ovo cru e cebolinha e o imperdível tempurá de lula

O meu udon foi o Kama-Ague (R$ 19,80), no estilo Sanuki, um dos mais populares no Japão, segundo a casa. A massa, bem macia, vem servida com um pouco do caldo de cozimento, mas a graça é o caldo concentrado, servido à parte (a dica é acrescentar gengibre moído e cebolinha). Basta mergulhar o udon no caldo e ser feliz.

Casa aberta em junho no andar superior do espaço Kazu, na Liberdade

Casa aberta em junho no andar superior do espaço Kazu, na Liberdade

Edgard, o destemido, escolheu o Kama-Tama Udon, servido com um ovo cru, que se mistura à massa e vira uma espécie de carbonara. “Só faltou o bacon”, brincou. Para acompanhar, ele pediu um “tempurá arte” com cebolas, cenoura e batata (mas o de lula ainda é melhor) e oniguiri, bolinho de arroz envolto em alga com o clássico recheio de ameixa japonesa (umeboshi) em conserva.

Senhor Yoshio, o mestre do udon, iniciou projeto com o 'Meu Gohan' na Vila Mariana

Yoshio, o mestre do udon, agradecendo a visita

Para beber você pode escolher uma xícara de Bancha (cortesia), chás frios da casa, cervejas e refris. A gente tomou chá grátis. Só me empolguei muito com os tempurás e minha conta saiu R$ 51, mas valeu muito a pena. Eles aceitam cartões (débito e crédito).

‘Menino de ouro’
Depois do udon, atravessamos a rua para tomar uma cervejinha e provar um petisco do Bar Kintaro, um boteco familiar bem pequenininho, que serve acepipes especiais japoneses preparados pela Dona Líria.

Porção de moela cozida em molho de shoyu, gengibre e cebola da Dona Líria, no Bar Kintaro. Molho de pimenta tem cebola picada.

Moela cozida em molho de shoyu, gengibre e cebola da Dona Líria, no Kintaro. No inverno, o bar também serve oden (legumes cozidos em molho de shoyu e peixe)

Conseguimos uma das duas mesinhas de dois lugares nos fundos e o Edgard recomendou a porção de moela curtida em molho à base de shoyu, cebola e gengibre. Eu gosto de moela grelhada, na farofa, na panela etc. (exceto na canja), mas essa foi a primeira vez que comi moela fria e… (surpresa) estava ótima. Ficou sucesso com o molho de pimenta com cebola picadinha (toque da casa) e a cerveja.

A entrada do izakaya com capacidade para 20 pessoas. No inverno, a casa também serve oden.

A entrada do izakaya, antes de fechar. Capacidade para 20 pessoas, mas sempre cabe mais um.

Kintaro, o “menino de ouro”, é um heroi do folclore japonês, me disseram Edgard e Mario Nagano, outro amigo que adora revelar iguarias da Liberdade e também já tinha me falado desse izakaya. Quem ajuda a Dona Líria no bar são seus meninos de ouro, os filhos Taka e Yoshi (lutadores de sumô), além do Mario, que também trabalha com eles. “Sou o adotado”, disse sorrindo.

O Taka comentou que, no inverno, eles também servem oden (legumes, ovo e tofu cozidos em caldo a base de shoyu e peixe), que provei pela primeira vez no Yakitori. Tá aí outra boa pedida japonesa nos dias frios. Udon e oden. Fechou.

Bar Kintaro
Rua Thomaz Gonzaga, 57 – Liberdade – São Paulo – SP
Telefone: (11) 3277-9124
Site: http://barkintaro.blogspot.com
Horários: Segunda a quinta – 7h30 às 23h; Sexta – 7h30 à 0h; Sábado – 7h30 às 21h
Aceita cartões e TR

Meu Udon
Rua Thomaz Gonzaga, 84/90 (Espaço Kazu) – Liberdade – São Paulo – SP
Telefone: (11) 3203-1588
Horários: Terça à Sábado: 11h30 às 15h30 e 18h às 22h30. Domingos e Feriados: 11h30 às 15h30 e 18h às 21h (Fecha às segundas-feiras, exceto em feriados prolongados)

Pão artesanal fresquinho e sem frescura na Shimura do Shopping Paulista

Pão artesanal fresquinho e sem frescura na Shimura do Shopping Paulista

Achei meio inusitado sentir aquele cheiro gostoso de pão fresquinho no corredor do shopping, mas era isso mesmo. Do lado de uma loja de roupas masculinas saía uma fornada de baguetes e uma cesta de pães franceses da padaria Shimura Pães e Doces, inaugurada há três meses no Shopping Pátio Paulista.

Difícil resistir a uma bela e macia fatia da belíssima rosca de calabresa

Difícil resistir a uma bela e macia fatia da belíssima rosca de calabresa

Logo me aproximei do balcão para conhecer os quitutes do renomado mestre-padeiro e confeiteiro Rogério Shimura, que já foi parceiro de Alex Atala e comanda a Levain Escola de Panificação no Ipiranga.

Muffins de cenoura e chocolate (R$ 4 cada). Tem também limão siciliano e banana.

Muffins de cenoura e chocolate (R$ 4 cada). Tem também limão siciliano e banana.

Além de pães (francês, italiano, baguete etc.) feitos com a técnica levain de fermentação natural, a vitrine exibe doces e bolos convidativos como os muffins (R$ 4 cada) de limão siciliano, chocolate, cenoura e banana. Provei o de limão siciliano agora há pouco e coloquei um pouco de cream cheese por cima pra dar mais uma alegria. Excelente.

Baguete tradicional (R$ 6 cada) da Shimura Pães e Doces.

Baguete tradicional (R$ 6 cada) da Shimura Pães e Doces.

Também não deu pra resistir a uma fatia da suntuosa rosca de linguiça, alta e macia (R$ 45 o quilo) dando um ‘ciao’ na vitrine e a uma baguete tradicional (R$ 6) para viagem.

Muffin de limão siciliano (uma delícia com cream cheese). Ao fundo, o bolinho de banana

Muffin de limão siciliano (uma delícia com cream cheese). Ao fundo, o bolinho de banana

A unidade do Pátio Paulista é a primeira de outras unidades que o mestre-padeiro deve inaugurar em shopping centers, conforme comentou uma das atendentes. Vamos torcer.

Pão italiano dando um 'ciao bello' prateleira. Panificação com técnica levain é forte da casa.

Pão italiano dando um ‘ciao bello’ na prateleira. Panificação com técnica levain é forte da casa.

Ao lado da padaria há duas mesas coletivas de madeira rústica para quem quiser tomar café e comer os pães ou bolos quentinhos por lá mesmo. Hummm! Que delícia.

Shimura Pães e Doces
Shopping Pátio Paulista – Piso Paulista
Rua Treze de Maio, 1947 – Bela Vista, São Paulo – SP
Telefone: (11) 2219-2907

Pães e frios à italiana

agosto 24, 2014

O surpreendente lombo de porco (lonza) é uma das atrações da loja de frios e pães italianos do Friccò

Lonza (lombo de porco) é uma das atrações da loja de frios e pães italianos do Friccò

Ciabuscolo ou ciavuscolo, uma espécie de pasta de salame tradicionalmente italiana, é uma das especialidades da loja de pães e embutidos do Friccò, na Vila Mariana. Aberto há pouco mais de dois anos, o local anexo ao restaurante oferece produtos feitos exatamente como na Itália. As técnicas foram ensinadas por produtores tradicionais das cidades de Norcia e Gubbio, na Úmbria – terra natal do chef Sauro Scarabotta, que comanda o Friccò há 17 anos – e no Marche, província vizinha da Úmbria e da Toscana.

Vitrine da salumeria e panetteria na Vila Mariana

Vitrine da loja de pães e embutidos anexa ao restaurante, na Vila Mariana

Atrás do balcão de frios, o chef Marcio Kimura explicou em detalhes o que aprendeu com os italianos. A suave mortadela da casa, por exemplo, é feita semanalmente, sem conservantes, e o prosciutto) da casa, segundo ele, “não fica devendo para nenhum [presunto espanhol] Pata Negra”.

Fiquei surpresa também com o lombo de porco (lonza) e sua expressiva capa de gordura. Depois de saborear uma fatia lentamente e sentir o sabor da gordura derretendo na boca, não tive dúvida. Levei meus 100 gramas de lonza cortado bem fininho (R$ 18), 100 gramas ciabúsculo (R$ 10) e um pão italiano tradicional (R$ 10) para celebrar em casa, com um bom tinto. Valeu cada centavo. Perfetto.

O delicioso ciabuscolo no pão italiano macio do Friccò

O delicioso ciabuscolo no pão italiano macio do Friccò

Pão quentinho
Se quiser provar um pão italiano ainda quente, a primeira fornada do Friccò sai por volta de 11h. Além do pão tradicional é possível encontrar o semi-integral (R$ 13) e o recheado (R$ 15). As focaccias variam de R$ 13, nos sabores de sal grosso e alecrim e tomate e orégano, a R$ 15, as especiais.

Panini
O cardápio do restaurante inclui sanduíches tradicionais feitos com os frios e pães da casa como panini de porchetta (barriga de porco), de legumes grelhados e de queijos (R$ 18 cada).

Cursos
O restaurante também oferece cursos de massas, pães e embutidos. Veja o calendário: http://www.fricco.com.br/cursos-e-eventos/agenda/

Friccò
Endereço: Cubatão, 831 – Vila Mariana, São Paulo – SP
Telefone: (11) 5084-0480
Horários: Terça e quarta das 12h às 15h. Quinta e sexta das 12h às 15h e das 19h às 23h. Sábado das 12h às 16h30 e das 19h às 23h. Domingo das 12h às 16h30 (Segunda: fechado).
Cartões: débito

%d blogueiros gostam disto: