O pastel do Giba

janeiro 23, 2011

Bar do Giba anuncia: "Pastel imbatível... Quer apostar?" (Foto: Ciça Aidar)

O Bar do Giba é daqueles lugares sem erro  – exceto pelo fato de não aceitar cartões de débito ou crédito. “Pastel imbatível… Quer apostar ?”, diz uma das lousas que anunciam os quitutes do bar, famoso desde 1987 pelo pastel (R$ 35,40 a porção com 12 unidades sortidas, sequinhas, bem recheadas e acompanhando um bom vinagrete). Todos os recheios são bons, mas o de camarão é infalível e você pode pedir a unidade, de tamanho um pouco maior (R$ 2,85).

Cardápio 'no gogó' traz acepipes de balcão, porções de boteco e especialidades alemãs

A primeira vez que estive no Giba foi rápida, só para provar o pastel de camarão e tomar uma cerveja (R$ 6,50 a Original). A cozinha já estava fechando e o garçom me perguntou se eu realmente só queria pedir uma unidade. Mantive a aposta em um único pastel e me arrependi.

Boa pedida: morango e maracujá com saquê

Felizmente, o ótimo pastel do Giba continua lá, na esquina da Moaci com a Açocê, em um ambiente bacana e sem frescuras. Cardápio, nem pensar. As especialidades são ditas no gogó ou exibidas em cartazes que decoram o bar, entre versos de samba, fotos antigas e adereços do Santos, a paixão do proprietário – tem até camisa autografada pelo rei Pelé.

Bom lugar para happy hour fora do agito de Moema. Cerveja de garrafa (R$ 6,50)

O cardápio está na ponta da língua, mas é bom perguntar os preços. Além dos pastéis, a casa oferece acepipes de balcão (R$ 65 o quilo), porções como mandioca frita (R$ 18,50), picanha em tiras  (R$ 69 – 700 gramas) e carne seca com mandioca (R$ 39,50). Pratos alemães também são muito pedidos pelos clientes. O joelho de porco frito, com muito chucrute e batatas cozidas é bem servido, mas custa R$ 61.

Para ser imbatível, só faltava o Bar do Giba aceitar cartões

O Giba não é bar do momento, mas tem sua grife entre os bons botecos de São Paulo. Serviço simpático, porções de qualidade e cerveja gelada nunca saem de moda. Só acho que colocar uma maquininha de cartão não o torna menos clássico.

Bar do Giba – Avenida Moaci, 574 – Moema, São Paulo (SP). Tel.: (11) 5535-9220. (Não aceita cartões). Funcionamento: sábado das 13h às 1h. Terça a sexta das 17h30 à 1h. Fecha domingo.

Um boteco pra chamar de seu

janeiro 15, 2011

Cervejas de garrafa 'brazucas' e 'gringas'. Na foto, uma Original no copo americano gelado

Cerveja de garrafa bem gelada, servida no copo americano previamente resfriado, e uma porção de bolinhos de feijão tropeiro. Essa é a combinação perfeita para começar sua botecagem no Seu Boteco.

Bolinho de feijão tropeiro 'campeão' do Seu Boteco (Foto: Divulgação)

No estilo ‘velho-boteco-novo’, o bar aberto no ano passado, na Vila Madalena (ao lado do Jacaré Grill) homenageia clássicos das cozinhas de boteco.

Conheci o bar no mês passado com a turma blogueira-botequeira, a convite do Botecagem e da agência Cartaz. Foi um festival de tira-gostos do cardápio recentemente reformulado pelo chef Alberto Landgraf (ex-Astor, Pirajá e Original).

Seu 'velho-boteco-novo'

O atendimento, muito simpático, não deixou a mesa vazia. Provamos ‘de um tudo’: frango à passarinho, picanha com farofa e vinagrete, bolinho de arroz, coxa-creme… mas o favorito foi o bolinho de feijão tropeiro (crocante por fora, cremoso por dentro, com tenros pedaços de bacon). Pedimos até a receita.

Picanha macia em tirinhas (Foto: Divulgação)

Para acompanhar as comidinhas, além das geladas ‘brazucas’, como diz o site (incluindo Caracu), há cervejas ‘gringas’ (da Norteña à Leffe), carta de cachaças e boas caipirinhas (dei uma bicadinha nos sabores lima-limão e melancia).

Destaque para a Meladadinha (cachaça, mel, canela e suco de laranja). Esta doce e deliciosa dose de saúde não impede que um botequeiro, mesmo gripado, falte ao compromisso com os amigos. Veja o vídeo da receita no Mesa pra 1.

Boas caipirinhas, cachaças e drinks 'docinhos' como a 'Meladadinha'

O Seu Boteco é daqueles lugares gostosos para passar a tarde, a noite e bater papo sem hora pra acabar. Ótima pedida.

Veja mais fotos do Seu Boteco no Flickr do Braun Café.

Seu Boteco – Rua Harmonia, 337 – Vila Madalena, São Paulo (SP). Tel.: (11) 2592-5763. Funcionamento: Terça a sexta das 17h até o último cliente; Sábado e Domingo: das 12h até o último. Aceita cartões. Valet: R$ 14. (Se for beber, vá de táxi)

Beijo ciao!

dezembro 29, 2010

Nova bottega no Paraíso oferece vinhos, cervejas e petiscos italianos

Quem busca um happy hour ou até jantar gostoso e sossegado pode encontrar abrigo, cerveja, bons vinhos e petiscos italianos no recém-inaugurado “Ciao! Vino & Birra”.

Em uma região tranquila da Rua Tutóia, no bairro do Paraíso, a charmosa ‘bottega italiana’ aberta no fim de novembro é o primeiro projeto de três chefs de cozinha, que acumulam nos aventais experiências variadas – de eventos a cozinhas internacionais.

Rosé chileno da Viña Aquitania (R$ 55) em uma tarde de sábado na varanda

O cardápio, prático, já vem impresso no jogo americano oferecendo entradas, massas e petiscos bem ‘Itália lá em casa’ como o molho pomodoro acompanhado de porção de pão italiano – inspirado do estiloso BottaGallo, dos mesmos donos do Astor, do Original e da pizzaria Brás.

Atendimento simpático, a cargo dos donos (ex-chefs), e preços amigos

O simpático chef Edu, que atende as mesas ao lado dos sócios com muita simpatia, traz passagens por praças como o D.O.M. Restaurante, além de uma temporada de três meses no renomado catalão El Bulli. “Quando me disseram para descascar a pele da noz achei que era trote”, conta ele, relembrando a passagem pela revoluncionária e disciplinada cozinha de Ferran Adrià.

Porção de brusqueta no pão foccacia (R$ 15)

O atendimento é muito amigável assim como os preços. Em minha primeira visita provei a saborosa e bem servida porção de brusqueta com molho pesto em pão foccacia (R$ 15) – eu só trocaria o pão, um tanto alto, para equilibrar. Recomendo as lascas de grana padano (R$ 16), acompanhadas de aceto balsâmico, e as cremosas batatas bravas servidas com estilo em marmita de alumínio.

A carta de vinhos traz rótulos da importadora Zahil como o delicioso rose chileno Aquitania (R$ 55) e o surpreendente nacional Pizzato Chardonnay (R$ 42). A casa também oferece cervejas de garrafa (600ml) e long necks, por enquanto restritas às marcas da Ambev.

Queijos variados (R$ 23) servidos em placa de piso cerâmico. Destaque para o queijo de cabra com fatias de figo desidratado

Na visita mais recente, a Stella Artois de garrafa grande e bem geladinha foi uma boa pedida com a porção de queijos variados (R$ 23), que vale muito a pena. Destaque para o suave queijo de cabra acompanhado de finas fatias de figo desidratado, que agradou a todos. A apresentação também merece nota: os queijos servidos em uma placa de piso cerâmico, segundo Edu, fazem referência ao serviço do El Bulli.

Local sossegado atrai moradores do bairro para happy hour e jantar

No andar superior há um ambiente aconchegante para pequenos eventos. Pode ser uma boa para dar um ‘ciao’ ao ano que vem por aí. Tenha um feliz e saboroso reveillon!

Beijo, ciao e até 2011!

Ciao! Vino & Birra – Rua Tutóia, 451, Paraíso – São Paulo (SP). Tel (11) 2306-3561

Mestres do colarinho branco

setembro 19, 2010

Concurso elege melhor tirador de chope mundial (Foto: Divulgação)

Profissionais dedicados à árdua tarefa de tirar centenas de chopes por dia, no ponto certo, podem ser recompensados com uma saideira em Londres e um prêmio de R$ 3 mil. Esta é a proposta da etapa brasileira do 14º Stella Artois World Draught Masters, para promover a cerveja belga da Ambev.

A competição acontece até o fim de setembro em 30 bares de São Paulo selecionados pela Real Academia do Chopp. O vencedor das categorias de melhor ritual para servir chope e long neck Stella viaja a Londres, acompanhado do dono do estabelecimento, para concorrer com tiradores de chope do mundo todo. O ‘master do colarinho branco’ ganha uma viagem para o destino que quiser – no ano passado, a felizarda foi Avrill Maxwell, da Nova Zelândia. O segundo e o terceiro colocados podem escolher qualquer destino da Europa.

Blogueiros seguem ritual e degustam chope em evento sobre o concurso (Foto: Divulgação)

O pessoal da Ambev promoveu uma degustação, na última terça-feira, para divulgar o concurso, incluindo dicas sobre a forma correta de servir chope e cerveja. Pedro Marques esteve por lá representando o Braun Café e disse que gostou bastante, mas ainda prefere Guinness. Aí é difícil competir…

Dicas de especialistas que podem ser úteis para servir cerveja em casa: limpar o cálice/copo com detergente neutro e deixar secar naturalmente (nada de pano de prato); mergulhar o copo em água gelada para manter a temperatura da bebida; começar a servir a cerveja com o cálice inclinado a 45 graus (movimento natural para a maioria dos botequeiros), sem encostar o gargalo da garrafa na borda do cálice e, finalmente, a “regra inviolável” é manter a altura do colarinho em dois dedos (cerca de 3 centímetros).

Especialista recomenda copo gelado e três centímetros de colarinho (Foto: Divulgação)

Os bares que participam do concurso na categoria chope são All Black, Bar Anhanguera, Bourbon Street, Café Girondino, Catedral, Chácara Santa Cecília, Charles Edward, Ecco, Giardino, Kaá, MyNY Bar, Na Mata Café, SeoRosa, Tatou, Terrasse,Velho Rabo e Veridiana Jardins. No quesito long neck concorrem Assembléia, Bar Astor, Barxaréu, Barnaldo Lucrécia, Boteco Coutinho, Genuíno, Pandoro, Paróquia, Pecorino, Quitandinha Bar, Sagrado Bar e Sky, The Blue Pub.

Ota campeão*
O vencedor da etapa brasileira do 14º World Draught Master foi Ota Gilson de Castro dos Santos, do bar Seo Rosa, de Campinas (SP).

O campeão, Ota Gilson dos Santos: 20 anos de experiência no colarinho

“Em 20 anos de carreira nunca participei de uma competição como esta, que valoriza e capacita a categoria dos tiradores de chope”, disse Santos, em um comunicado da Ambev. Ele já ganhou uma quantia de R$ 3 mil e vai representar o ‘Brazil zil zil’ no campeonato mundial em Londres, no dia 28 de outubro. Vamos torcer!

*Post atualizado em 6/10/2010

Dona Teresa: pop art e cardápio criativo

Toalhas de chita, detalhes de pop art, cerveja barata e porções criativas chamam a atenção no Bar Dona Tereza, boa pedida para um happy hour próximo ao metrô (Consolação) ou um ‘esquenta’ no Baixo Augusta. É uma saída para quem não tem paciência para se amontoar nos pés-sujos da região e não tem orçamento para  os drinks dos bares da moda.

O ‘pé-limpo’ já foi batizado pela localização, na Rua Fernando de Albuquerque (travessa da Augusta), em uma esquina com a pequenina Rua Dona Tereza. Estive por lá para me despedir da Lygia, que a esta altura deve estar se deliciando com as iguarias portuguesas em uma viagem de seis meses pelo mundo. Ah… que delícia…

Opção entre os 'pés-sujos' e os bares caros da moda

O cardápio chamou a atenção por oferecer porções diferentes, como pastéis de shitake, além dos recheios de carne e queijo, e batatas rústicas no lugar das fritas tradicionais.

Entre os pratos individuais estão o sanduba de falafel muito bem servido com fritas rústicas por R$ 18 (só recomendo um pouco de cuidado com as cebolas cruas), o Thai Fish Cake (bolinhos de salmão e siri) e o Pato à Passarinho, que ainda preciso provar.

Falafel com batatas rústicas (R$ 18). Cardápio tem bolinho de peixe, pastel de shitake e pato à passarinho

O Dona Teresa abre cedo, às 18h, e fica bem tranquilo para bater papo, sem preocupação com o preço da cerveja de garrafa (Skol a R$ 5), até por volta das 22h quando o pessoal do ‘esquenta’ começa a chegar. Entre os drinks que provei, o Mojito é perfeito e a caipiroska também é boa.

O lugar também oferece comanda individual, boa música ambiente, aceita cartões e possui duas disputadas mesas na calçada para os fumantes. Gostei, voltarei e vou torcer para que continue assim: ‘pop, pero no mucho’.

Dona Teresa Bar & Restaurante – Rua Fernando de Albuquerque, 57. Tel.: (11) 2361-5722

%d blogueiros gostam disto: